Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Quarto de Vigia na proa 2008


Quarto das 0800/1200
Não quero ver Marinha.
Do Mar só quero peixes para os meus restaurantes

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

ONDE ESTAVA A MARINHA?


......A Biblioteca Nacional comprou cartas de Vitorino Nemésio ao filho de Ricardo Jorge.
No mesmo leilão , na semana passada , em Lisboa, o empresário Ricardo Martins Mota adquiriu um conjunto de cartas enviadas pelos exploradores Serpa Pinto, Hermenegildo Capelo e Roberto Ivens a José Vicento Barbosa du Bocage, amigo comum, zoólogo e na altura (1877) ministro da Marinha. Nelas se encontram, não só relatos pormenorizados sobre o continente africano como, sobretudo, um conjunto de observações e confidências que explicam as divergências entre os três expedicionários e que acabariam por resultar na separação da comitiva em dois grupos, um liderado por Serpa Pinto e o outro por Ivens e Capelo. As cartas reportam especificamente ao período da primeira viagem científica de Capelo e Ivens, de Angola às Terras de Iaca, e à altura em que as diferenças de personalidade e de ambição dos três cientistas-militares se mostraram inconciliáveis.
Algumas das cartas adquiridas têm cunho confidencial e só agora ficam disponíveis para estudo, revelando-se, dessa forma, como documentos de valor indiscutível na história da colonização portuguesa de África.

Estas cartas a Biblioteca não arrematou e nem sei se chegou a licitar.
E a Marinha nem apareceu , que se saiba.

Quarto de Vigia na proa 2008


Quarto da alva
0400/0800
Vi vagas , vi vagalhões....
E não quero sair daqui

Quarto de Vigia na proa 2008


Quarto da Meia Noite ás quatro
(0000/0400)
Vi vagas , vi vagalhôes......

TEMOS HOMEM



Uma vez mais a comunicação ao País do Presidente da República foi um atestado de incompetência passado aos locatários da Assembleia da Republica.
Os Senhores deputados fazem leis com erros constitucionais frequentes , votam coisas sem estudar , e por vezes sem ler , e , gravosamente empenham a liberdade de vindouros.
Há alineas do diploma do estatuto dos Açores que são inadmissíveis e muito mais gravosas para a dignidade e competências do próprio Parlamento Português do que para o Presidente da República.
Uma vergonha , digo eu.
E , no meio de tudo isto , confesso ficar absolutamente baralhado com o voto de abstenção do PSD e muito mais com o voto favorável do CDS.
Até fico a pensar que , se calhar , não estavam a perceber bem do que se tratava.
Mas temos Homem. Ao menos há um Português (dos que têm acasso à TV , porque de resto há muitos , felizmente) que bate o pé.

Loud and clear

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

BEM HAJAM


Não , não é o Ocaso deste vosso entretem amigo.
Antes pelo contrário. É o momento do Solstício de Inverno (simbólico , visto que este ano foi pouco depois do meio dia TMG) , para comemorar o 5000º visitante.
E para saudar o Rei Sol , que por enquanto , mas não sei se será por muito mais , ainda é de borla.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

SALVEM OS BANCOS


HOJE. Sec XXI.


O ZIMBABWÉ é meu. (sic)

BOA GENTE

Ouçam lá , oh povo ignaro e bruto:
Então não leram o meu livro , saído há pouco (por coincidencia , claro) sobre mim, um gestor de sucesso?
Então ainda têm o escarro na mente de pensar que me sinto culpado?
Mas culpas de quê?
Saio de onde estou (vários lugares) , porque meto licença sabática.
Os brasileiros andam , discretamente , a sussurar que me demitirei da Fundação luso-brasileira , mas dessa não caio eu:

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

NÃO ACREDITO


O general espanhol que chefia a missão da UE na Guiné-Bissau vai chamar um especialista para resolver um diferendo entre dois oficiais portugueses, um da GNR e outro da Armada, soube o DN junto de várias fontes.O impasse no processo de reforma das forças de segurança da Guiné-Bissau - a cargo da missão da UE que Portugal recusou chefiar - centra-se no Sistema de Autoridade Marítima (SAM), actualmente na tutela do Ministério dos Transportes. Das informações recolhidas, os representantes da GNR e da Marinha levaram para a Guiné-Bissau o braço-de-ferro que as duas instituições travaram há poucos meses em Portugal sobre a matéria.Segundo as fontes, o coronel Costa Cabral - oficial da GNR que é o número dois da missão da UE - defende a criação de uma Guarda Costeira guineense com responsabilidades de fiscalização até às 12 milhas, a partir das quais transitariam para a Marinha de guerra. O modelo implica que o SAM guineense seja integrado no Ministério da Administração Interna.O representante da Armada, capitão-de-mar-e-guerra Fernandes Carvalho (com patente igual à de Costa Cabral e mais antigo, observaram as fontes), sustenta que a Guiné-Bissau deve copiar o modelo português de ter uma "Marinha de duplo uso". Esta solução implica colocar o SAM na tutela do Ministério da Defesa e, segundo os seus defensores, permite concentrar recursos humanos e materiais numa única estrutura, evitando duplicações e permitindo poupanças de verbas.Perante a irredutibilidade das duas visões sobre o futuro do SAM guineense, o general espanhol Esteban Verástegui decidiu "chamar um maritime adviser" de outro país europeu para ultrapassar o dilema, revelou uma das fontes.Quanto às autoridades guineenses, diz-se nos bastidores que o vice-chefe da Armada, capitão-de-mar-e-guerra Zamora Induta, defende o SAM na tutela da Defesa. Contudo, o recente ataque contra o Presidente Nino Vieira deixou o ramo "na mó de baixo", observou uma das fontes.Segundo outra fonte, há também divergências entre portugueses quanto à reforma do Exército guineense: o representante da GNR - e a França, com interesses na região - privilegiam a existência de uma Guarda Nacional. A missão de reestruturação do sector da segurança guineense - a "UE RSS Guiné-Bissau" - foi criada por proposta de Lisboa na presidência portuguesa da UE (2007). Esta operação europeia é a primeira a abranger a reforma conjunta dos sectores da Defesa, Segurança e Justiça.Os debates no Ministério da Defesa e com o dos Negócios Estrangeiros levaram Portugal a abdicar da chefia da operação da UE, entregue a um general espanhol.

BOM NATAL



A CACINE engalanou-se para desejar Bom Natal e novo Ano com bom vento e boa maré aos seus já quase 4800 leitores.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

CLUB NAVAL


Parece que vai haver eleições , e parece que com mais do que uma lista.
Ao menos aqui nem o ministro ,nem o secretário de estado que nos anda a lixar , entram.
Não são bem vindos!!!!

NO REINO de SEVERIANO



Os depositos POLNATO , na trafaria ,costa acima e morro do Rei , estão vazios e a detereorarem-se a olhos vistos.
A Marinha não faz a manutenção , mas garante a segurança , o que equivale a centenas de milhares de € por ano.
O Gabinete Português para as Reservas Estratégicas de produtos petrolíferos anda vai para anos a tentar negociar com o Ministério da Defesa o aluguer , por bom dinheiro , daquelas infra estruturas.
A burocracite e falta de decisão não têm deixado.
O Ministro vende patrimonio militar. Mas para o alugar , deixar um Ramo de pagar , e ainda receber....não consegue

NÃO ESTOU AÍ

José Paulo de Carvalho . Deputado
Desculpe , lá , amigo , mas não posso concordar consigo e muito menos ir por aí.
1-Se discorda do Presidente do Partido acho que faz muito bem. Há vários orgãos onde tem assento e nos quais pode mostrar as suas , certamente válidas, razões.
Sair do CDS só por discordar do Presidente , parece-me pouco.
2-E mais grave. O meu Amigo não foi eleito deputado pela sua simpatia (que é real) e qualidades(que aprecio). O meu Amigo foi eleito numa lista do Partido, que tanto fazia ter o seu nome em 2º lugar , como outro qualquer militante, que o nº de votos seria quase o mesmo..Desculpe lá ,e não me leve a mal , mas é assim mesmo. O mandato será talvez mais do Partido do que seu. Parece-me lógico e óbvio.
Pense lá melhor e concorde comigo. Seria muito mais livre e útil, para si e para o CDS, se tivesse ficado .

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

OH PEDRO


Santana em Lisboa....com uma coligação á direita não seria mau.
Espero bem que a sua bandeira seja o cais dos contentores em Alcântara.
Costa está a fazer muito mal á cidade e , ainda por cima , leva o Zé na lista.

AINDA LÁ ESTÁ



Passei por lá , e o sujeito ainda lá se encontra.
Mas vi-me aflito para lá chegar, pois era Domingo , e não se pode atravessar a "baixa" de carro. O Sr. Costa quiz fazer uma coisa bonita para "o Povão" e resultado:
Povão não havia nenhum
Policias eram mais que as Maes a chatear os automobilistas
Engarrafamentos era mato
Um electrico antigo da Carris ás moscas
Comes e bebes zero.
É só gastar vilanagem, mesmo como eles gostam

domingo, 14 de dezembro de 2008

SIDONIO



Um Homem do século, daqueles que passa perenemente à História.
Portugal talvez tivesse sido bem diferente , se o não matam , sem lhe dar tempo de acabar a luta.
Penso até que o próprio assassino , um militar frustrado , guitarrista , motoqueiro (agora quase endeusado em pequeno livro-também não dá para mais né? ) assim o pensaria , se tivesse cabeça para pensar , depois do monstruoso crime cometido.
Faz hoje 90 an0s que , com a sua morte matada , Portugal parou.

A CONDIÇÃO MILITAR


O anúncio do "subsídio"

A foto significa: Estes estão comigo?

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

VAZIO


Pois....
Que moral tem esta gente para estar a fazer leis ?
Os "bustos" estão à gargalhada

NO REINO de SEVERIANO



Este senhor, o diplomata que nos anda a lixar, está em Cabul.

Não sei a convite de quem , pois duvido muito que alguém o deseje.

Eu , pelo menos , se lá estivesse tirava 1 dia de licença

A CONDIÇÃO MILITAR


Com a devida venia

quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

PARA QUE CONSTE

O Secretário de Estado da Defesa Nacional e dos Assuntos do Mar, João Mira Gomes, recebeu hoje em audiência membros da Comissão de Trabalhadores do Arsenal do Alfeite com o propósito de clarificar aspectos relacionados com o processo de modernização, nomeadamente sobre a necessidade de empresarializar o estaleiro e o regime de recursos humanos aplicável na transição para o futuro Arsenal do Alfeite, S.A..
Para o Ministério da Defesa Nacional, a grande ambição é conseguir para Portugal uma indústria naval mais forte, dentro do sector público e garantindo, ao mesmo tempo, melhores perspectivas para os trabalhadores do Arsenal do Alfeite. Na perspectiva do Ministério da Defesa Nacional existe potencial tecnológico, operacional e humano que permitem transformar o estaleiro numa unidade competitiva num ambiente internacional, algo que hoje não acontece, proporcionando um crescimento das actuais receitas do Arsenal do Alfeite em pelo menos 20% a médio prazo e gerando assim riqueza para o País.
A constituição do Arsenal do Alfeite em Empresa não é um objectivo em si, é sim um mecanismo imprescindível para conseguir a sua modernização. As razões que mostram a empresarialização como o melhor para o futuro do Arsenal do Alfeite e dos seus trabalhadores estão perfeitamente identificadas:
Só como Empresa o Arsenal do Alfeite pode encontrar junto de entidades bancárias o capital necessário para os investimentos de que carece, uma vez que o Orçamento de Estado não deve disponibilizar a totalidade desse capital.
Só constituído em Empresa o Arsenal do Alfeite pode ter acesso a fundos de formação e de inovação, não disponíveis a repartições da orgânica central do Estado.
Como repartição da Marinha, integrada na orgânica central do Estado, o estaleiro jamais conseguirá ajustar a sua estrutura de forma a poder incorporar mais quadros qualificados; a encontrar mais capacidade em áreas tecnológicas; a responder com eficácia às frequentes variações da carga de trabalho, habituais no regime de funcionamento da indústria onde se integra; e a conseguir condições de aquisição de bens e serviços menos burocratizadas.
O Arsenal do Alfeite é hoje uma repartição da Marinha Portuguesa, gerido segundo estatutos que datam já dos anos 30 do século passado e corre sérios riscos de atingir níveis de inoperacionalidade caso não se modernize.
O processo de empresarialização proposto pelo Ministério da Defesa Nacional assegura todos os direitos e garantias dos trabalhadores do Arsenal do Alfeite, ao abrigo do seu actual vinculo à função pública. Durante o período de transição será assegurada a estabilidade laboral mantendo-se em vigor o actual regime salarial e quaisquer outros benefícios ou regalias. Durante este período, os actuais trabalhadores do estaleiro poderão:
Celebrar voluntariamente contratos individuais de trabalho com a nova empresa;
Ocupar voluntariamente vagas disponíveis no quadro civil da Marinha Portuguesa ou qualquer outro organismo da Administração Pública;
Manter-se no regime de mobilidade geral e ser requisitados pela nova empresa;
Integrar o regime da mobilidade especial.
A dimensão final do quadro de pessoal do Arsenal do Alfeite, S.A. só será determinada pela nova Administração, após definição e aprovação final do plano estratégico. Os estudos efectuados recentemente apontam para que, de forma a responder à carga de trabalho requerida para os anos imediatos, a nova empresa deva deter um quadro de pessoal com cerca de 800 a 1000 trabalhadores. Logo que tome posse, a nova Administração irá iniciar o processo de transição dos trabalhadores.
O propósito deste processo de empresarialização é modernizar e aumentar a competitividade do Arsenal do Alfeite, o que irá naturalmente permitir melhorar significativamente as actuais condições de trabalho na empresa. O know-how da organização está nas pessoas que nela trabalham, desta forma, o futuro Arsenal do Alfeite, S.A. terá todo o interesse em reter todos os trabalhadores que aportem valor à organização e que queiram contribuir para transformar a nova empresa num caso de sucesso.

A ver vamos!!!!!!!!!

A MEMÓRIA



Cá está. O túmulo do Marquês de Pombal , acolhido na Igreja da Memória , (que recorda, perenemente, o 3 de Setembro de 1758-atentado contra o Rei D. José).
Aproveitando "a crise", Sebastião José fez tudo o que quiz, e ainda lhe sobrou tempo.
Pois!!!!!

ESTRANHO , não?

Portugal vai doar duas máquinas ao Uruguai que vão permitir a este país da América Latina iniciar o primeiro projecto de transplantação de fígado, uma iniciativa que se insere num programa de cooperação entre os dois países.
A adenda ao memorando de entendimento em que Portugal se compromete a doar o equipamento ao Uruguai foi ontem assinada em Montevideu.
O secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro, explicou que esta iniciativa se insere no programa de cooperação que Portugal mantém com o Uruguai desde 2007 e que já garante a presença em Portugal de um grupo de 14 médicos que estão a dar apoio ao Instituto Nacional de Emergência Médica.
"O Uruguai não tem nenhum programa de transplante hepático e nós temos em Portugal três, em particular o que se desenvolve no Hospital Curry Cabral, o maior programa de transplantes hepáticos da Europa continental", disse.
O governante salientou que, numa primeira fase, 16 profissionais de saúde de várias áreas vieram em 2008 a Portugal para receber formação.
"Agora, numa segunda fase, oferecemos dois equipamentos que faltavam ainda no Hospital Central das Forças Armadas de Montevideu, onde vai ser iniciado o programa de transplantação em Março de 2009, e as equipas do Curry Cabral virão ao hospital de Montevideu ajudar ao início do programa no Uruguai"
Manuel Pizarro destacou que a cooperação no sector da Saúde insere-se num programa de cooperação multidisciplinar vasto com o Uruguai, em resultado do qual este ano foram vendidas duas fragatas da Marinha portuguesa ao Uruguai e há uma série de empresas portuguesas que estão a preparar investimentos neste país.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

AINDA LÁ ESTÁ


Vítor Constâncio admitiu hoje implicitamente que o salário do governador do Banco de Portugal é muito elevado, aceitando por isso que a sua remuneração venha a ser reduzida. "Já tenho dito que deveria haver uma redução , afirmou Vítor Constâncio em declarações aos jornalistas à margem do almoço da Câmara do Comércio e Indústria Luso-Espanhola.
O governador do banco central português ganha 250 mil euros por ano, 18 vezes mais que o rendimento per capita nacional, só atrás do governador do banco de Hong Kong (que recebe 896 mil euros por ano) e do da Itália (que aufere 650 mil euros por ano).
Esse salário "não depende de mim", acrescentou Vítor Constâncio.
Poor man....não depende dele, coitado

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

PIRRO


"Mais uma vitoria como esta e estou perdido" disse este camarada aqui ao lado quando venceu os Romanos em Ásculo.

Se com este suplemento que nos dão , e depois de uma guerra barulhenta, consideramos que a alma está confortada , então Amigos , já não cruzo mais a minha espada.

O principal, para mim, é a nossa dignidade , o respeito , a memória e a compreensão de que os militares são necessários , muito necessários, à Pátria e não um apêndice , ou , ainda pior , uns chulos.

Quando o Dr. Judice , ou o Dr. Vital , ou o Dr. Cadilhe vêm a público vociferar o seu ódio (ou será complexo?) contra nós , temos de ter uma voz a defender o que só é, e pode , ser defensável, e essa voz é a dos nossos Chefes , que gostaremos de ouvir.

Não , eu desejaria não me ficar por aqui. O que foi dado devido o era , ou parte dele.

Falta o resto , que é muito , mas muito , mais.


APLAUSO



O deputado democrata-cristão ao Parlamento Europeu José Ribeiro e Castro, acompanhado da deputada democrata-cristã francesa Nicole Fontaine e do deputado socialista espanhol Enrique Barón Crespo, entregou ontem a Hans-Gert Poettering, presidente desta câmara, o processo destinado a homenagear permanentemente Francisco Lucas Pires em Bruxelas.

Esta iniciativa foi lançada em Julho passado por Ribeiro e Castro, tendo sido co-patrocinada, logo de início, por estes dois deputados, ex-presidentes do Parlamento Europeu. A decisão final quanto a este assunto competirá à Mesa do Parlamento Europeu, coloquialmente conhecida pela sua designação francesa - Bureau.

DEPOIS QUEIXAM-SE



Os Senhores deputados à sexta feira piram-se para férias.
Diz o Senhor deputado Guilherme Silva (da Madeira , para que conste) , que a solução do problema é não haver plenários à Sexta.
Mas que brilhantíssima ideia.
Eu , anónimo eleitor deles (nunca falhei) , atrevia-me a propôr que , ao menos , lhes descontem o dia....mas se calhar é pedir demais

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

28 ANOS


Impossível esquecer

ESTA É NOVA



Corvos-marinhos: plano europeu para reduzir efeitos negativos na pesca
O Parlamento Europeu exortou hoje a Comissão e os Estados-Membros a promover uma gestão sustentável das populações de corvos-marinhos e a criar condições adequadas para a elaboração de um plano de gestão destas aves à escala europeia. Com uma ingestão diária na ordem dos 400-600 gramas de peixe, os corvos-marinhos consomem anualmente mais de 300 mil toneladas de peixe das águas europeias.

A população de corvos-marinhos aumentou 20 vezes na Europa durante os últimos 25 anos e inclui actualmente uma média de 1,7 a 1,8 milhões de aves. Estes efectivos populacionais excessivos tiveram, em muitas zonas da UE, uma repercussão imediata sobre os recursos de pesca locais e também sobre a própria pesca, tendo consequentemente transformado a "presença dos corvos-marinhos num problema à escala europeia", sublinha Heinz KINDERMANN (PSE, DE), relator da Comissão das Pescas do PE. São particularmente graves as perdas em espécies de peixes já de si ameaçadas, como enguias, peixes-sombra, bogas do Danúbio e outros salmonídeos, bem como juvenis de salmão.

O relator considera que, embora a competência primária neste domínio se situe ao nível dos Estados-Membros, as medidas estritamente locais e/ou nacionais não estão em condições de reduzir de modo sustentável o efeito nocivo dos corvos-marinhos nos recursos de pesca europeus e na pesca, defendendo, por isso, "uma abordagem comum, juridicamente vinculativa, aceite e aplicada a nível europeu".

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

NO REINO de SEVERIANO

Farei isto , sim , se alguem me enviar fotos da conferencia do ministro no IDN.
O que mais gostarei , certamente , serão aquelas que lembram a "brigada do reumático" , pois deve haver muitas , concerteza.
Também aquelas com o "diplomata que nos anda a lixar" , e aqueles que lhe fazem sorrisos.


Desde já obrigado.


terça-feira, 2 de dezembro de 2008

NO REINO de SEVERIANO

Se eu fosse vivo , e recordando o tempo que lá trabalhei , escreveria o "Fado do Arsenal".


















Lembraria sua inauguração , a 5 de maio de 1939 , com os couraçados franceses "Strasbourg" e "Dunkerque", fundeados no Tejo e os parabens dos governos Francês e Inglês por tão importante obra.
E louvaria , claro , a inteligência deste ministro, e do diplomata que o acompanha, e do bem que eles têm feito à , e pela , Marinha , ao lhe tirarem agora este empecilho , e darem assim oportunidades merecidas e esperadas , para a colocação de boys , militantes e trabalhadores socialistas.E , claro , não perdendo a deixa , de lixar , uma vez mais, "Essa tropa".
Talvez escolhesse a música do "Timpanas" .....

QUOTAS MULHERES



Que complexos!!!!
A Mulher , assim escrita , sente-se , de certo , ofendida por esta lei.
Lei estúpida , complexada, fora de tempo, ofensiva.
Só mesmo destes!!!!!!

E VIVA A DEMOCRACIA!!!!!

Este Homem, o da esquerda , é o Cap.Gonçalves , ex-comando , e que em 25 de novembro de 1975 , subiu a calçada da Ajuda, comandando uma das companhias de Jaime Neves.
A outra era comandada pelo Cap. Sampaio de Faria.
Estes Homens , sobretudo os 2 capitães , já fora de serviço, andaram por todo o País a recrutar os seus "Comandos"retreinaram-nos brevemente e , quando chegou a hora, avançaram.
A eles devemos muito da liberdade que temos.
Pois nem o País , nem os responsáveis , nunca lhes agradeceram.
Há por aí medalhas em barda a ser didtribuídas , mas a estes , ZERO.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

EU BEM TENTEI

Eu bem tentei ouvir hoje na rádio o discurso de encerramento do XVIII Congresso do PCP, até para depois não dizer asneiras.
Mas a jornalista da TSF não mo permitiu.
É que interrompia constantemente Jerónimo de Sousa para dizer aos ouvintes o...que ele tinha dito.
É que a TSF , ou pelo menos esta jornalista(mas deve ser geral porque é sempre isto) pensa :
-Ou que o ouvinte é surdo
-Ou que o ouvinte é estupido
E lá continuam todos contentes.......