Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 31 de janeiro de 2009

VADE RETRO

Sondagem de hoje.......

Deputados:

PS......106
PSD.... 65
CDU... 24
BE.......18
CDS.....17

Maioria necessária......116
PS+BE = 124
PS+CDS = 123

i.e. A esquerda, com 148 deputados , somados com mais uns, Barões , que circulam desde sempre pelo PSD e a quem a esquerda interessa, faz uma larguíssima maioria.Será isto que interessa e salva o País?
Esquecia-me de mencionar a Abstenção, dentro em breve com maioria absoluta.

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

TIRO no PÉ?


Onde pára a estrela?
Será que afinal parou com as Janeiras?

CONDECORAÇÃO


Medalha de Honra da Cidade de Lisboa
Proximo dia 5 de Fevereiro

LIMITAÇÃO de MANDATOS



Eu? Eh pá , já que os outros cá estão eu vou ficando

SERÁ SÓ PARA ISTO?

Em tempos de crise, as Forças Armadas podem ser a porta de saída do desemprego para milhares de jovens portugueses. Certo é que o número de candidatos a ingressar numa carreira militar tem vindo a aumentar e este ano os três Ramos têm mais de três mil empregos para oferecer.
Só o Exército dispõe de cerca de 1.500 vagas para a categoria de praças, em regime de contrato por um período mínimo de dois anos e máximo de seis, ou de voluntariado, que vigora apenas por 12 meses.
Os interessados têm que se dirigir a um dos centros de recrutamento espalhados pelo país e apresentar a sua candidatura.
Ppara quem prefere a Marinha, estão disponíveis 864 lugares: 792 em regime de contrato e 72 para o quadro permanente. O mesmo acontece na Força Aérea, que este ano abriu 846 vagas para o regime contrato e 35 para o quadro permanente. Feitas as contas: estão disponíveis 3.245 empregos nas Forças Armadas.
Afinal quem quer acabar com as Forças Armadas está , necessáriamente , a não permitir a luta contra o desemprego.
Nota: Até parece que as F.A. só servem para isto.Mas ao menos que se cale o Dr. Judice

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

SÓ Para ter uma ideia


FAIR PLAY??

Já aqui disse que não vou por aí.

Não se pode acusar uma pessoa , em parangonas nos jornais e crucificada na TV sem mínimas provas consistentes. Mínimas.
Ainda por cima uma acusação grave, gravíssima , e únicamente baseada em carta anónima, e contra um 1º Ministro , que , quer se goste ou não, tem uma maioria do voto popular(apesar da abstenção).

Não se deve , nem pode, tratar um 1º Ministro ,ainda por cima eleito, como a nossa comunicação dita "social" o vem tratando.
Isto não é democracia, e muito menos europeia e civilisada, nem tem sequer veleidade de prova de Watergate.E também , ainda , não é o Zimbabwé.

Isto é indecente , indecente , e os responsáveis por estas campanhas deviam ver-lhes rebentados na boca os petardos da sua malvadez , para não dizer podridão.
Não , eu não vou por aí. E tenho vergonha de viver num País , que se diz de direito , e onde os jornalistas e os juizes é que mandam , pois têm e usam armas que não dão defesa a ninguém.
Quem lhes cai na malha deixa de ser cidadão. Limita-se a ser gente , por vezes!

NAVY


Estes não estão com meias medidas.

HMS"Daring" , o último grito, e 1º da série Destroyer 45

LIMITAÇÃO de MANDATOS

Eu? Está parvo ou quê?

Não vê que ando a candidatar o País para o Mundial de 2018?

O QUE AINDA VAI DAR o ESTATUTO

"Os governos dos Açores e Madeira estão a estudar os desenhos de "Jaque" para os navios de guerra içarem quando fundeados em águas territoriais açoreanas ou madeirenses."

In " news of old zimbabwe" , by Willis Knuckles

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

LIMITAÇÃO de MANDATOS


Eu? Já nem sei há quantos.
Os do Continente que contem

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

FIGURAS QUE GOSTO

Não sei se diz da melhor forma ou feitio , mas o que é certo é que diz.
Pelo menos pôs a nu algumas (porque não pôs todas !) das regalias dos Juizes.

E outras malfeitorias que por aí se fazem.

Basta os Juizes o odiarem para o povo o amar(adagio popular)

NO REINO de SEVERIANO

O ministro da defesa caiu definitivamente em desgraça.
Conta-se no Governo que o primeiro-ministro, José Sócrates, lhe anda com um pó nunca visto, por causa das broncas sucessivas em que o homem se mete.
Dizem até que Sócrates fica logo irritado mal lhe ouve a voz.
É por isso que já andam por aí muitos candidatos ao lugar.
in Correio da Manhã , 23 Janeiro 2009
Nota: Mas que grande injustiça , caramba!!!!!!!
Ainda outro dia , o das "Janeiras", lhe chamou"general"! e "amado".

SILENCIO

Vamos ouvir a sonata ?

Se calhar neste País (como se chama a Portugal) e agora , talvez o final do Requiem

Faria hoje 253 anos .

E , olhando o mundo , já nem lhe apeteceria compôr.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

YES WE DID


O Sr. Amado, enorme fã, foi convidado para Prof. nesta Escola

ESTA É NOVA !!!!!

A força naval da NATO sob comando português vai passar por zonas de pirataria na Somália, mas a sua missão não é de combate aos piratas, garante o Chefe de Estado Maior General das Forças Armadas.
A força naval, que integra oito navios incluindo a fragata Álvares Cabral, vai deslocar-se para o sudeste asiático, passando pela costa da Somália e pelo estreito de Malaca, duas zonas infestadas pela pirataria. Mas, para já, não há ordens para intervir, explica o general Valença Pinto, que quer esclarecer o que considera ser um tema que tem originado equívocos.Nenhum dos navios que integram a missão pode actuar contra actos de pirataria enquanto forças da NATO, porque não possuem ordens nesse sentido.Uma intervenção nestes casos apenas poderá acontecer em legítima defesa, caso algum dos navios seja atacado por piratas.

Nota:Confesso que estava preocupadíssimo , mas depois desta oportunissima e super esclarecedora opinião de quem sabe destas matérias , fiquei muito tranquilo. Ainda temo , é certo , que eles ataquem mesmo uma Fragata , mas com este General ao leme não deve haver perigo

LIMITAÇÃO de MANDATOS



Eu? Só cá estou vai para 20

Mas demiti-me da Liga de Clubes , que querem mais?

OUTRA VEZ O HOSPITAL

Será que ainda se lembram da antiga farmácia do HM? A mais linda do País?
Restauraram a dita cuja , em boa hora , e dá ideia que o fizeram muito bem.
Só que agora está fechada e não sei que fim tem.
Pois para além de não perceber porque está fechada (as coisas restauradas não quer dizer que se fechem) , e por isso se nega ,a quem lá vai, ver uma peça histórica de rara beleza , o que realmente não entendo é a "botica" que existe ao lado.
Não tem a maioria dos medicamentos , leva o mesmo preço que uma farmácia normal , e demora-se uma eternidade a ser atendido.
Porque não a fecham?

domingo, 25 de janeiro de 2009

LIMITAÇÃO de MANDATOS



Eu ? Só cá estou vai para 10

Eu VÍA um rio....

Este Homem não pode passar assim anónimo para a história , sem que os Lisboetas lhe recordem o facies.
Aliás devia ser-lhe esculpida uma estátua , para as pessoas poderem atirar tomates e ovos , quando olharem para o velho Rio e o não virem mais.
Foi o edificio no Cais do Sodré , seráo os contentores em Alcântara , foi a Escola de Pescas em Pedrouços , será a Docapesca , vai ser a sede da APL.....e só parará quando alguém se lembrar de mandar o Homem embora.Mesmo assim vai deixar projectos para se fazerem.
E é tudo quase à socapa .Quando se dá conta já está meio feito......

sábado, 24 de janeiro de 2009

FREEPORT

Não vou por aí.
Eu detesto o PS, o governo PS , o 1º Ministro e , sobretudo aquela criatura que está na defesa , que deveria de ser Nacional , mas com ele lá não é nada.
Mas não combato como os jornalistas , com o Tio , os Primos , o ver que o valhas. Abrem ao publico a vida das pessoas , acusam-nas sem provas evidentes , escacham a sua imagem e...depois , se nada se provar ou mesmo se for absolvido , são incapazes de limpar o que fizeram , deixando para sempre uma fotografia turva e mentirosa.
Não têm perdão e gostava que sofressem o mesmo , mas aí entra o compadrio......e esqueçe.
Eu não vou por aí.

YES WE CAN ,Dr. JUDICE

Uma cerimónia em Ferrol, Espanha, assinalou ontem a passagem do comando da Sanding NATO Maritime Group One (SNMG1), da Marinha Espanhola para a Marinha Portuguesa. À frente do comando desta força de reacção imediata da NATO está a partir de hoje, Contra-Almirante José Domingos Pereira da Cunha.
No momento alto da cerimónia, o contra-almirante Juan Rodriguez, anterior comandante, dirigindo-se aos militares, declarou que, a partir daquele momento, deveriam “reconhecer o comando” de Pereira da Cunha. Na resposta, o contra-almirante português respondeu: “Eu, José Domingos Pereira da Cunha, assumo o comando da SNMG1”.
Ficou, desta forma, formalizada a passagem do comando, sob o olhar atento do almirante inglês, Mark Stanhope, comandante-em-chefe da frota da NATO. O almirante inglês foi o primeiro a discursar na cerimónia, tendo destacado o “sucesso” da missão desempenhada pela SNMG1 durante o último ano, sob o comando do espanhol Juan Rodriguez e manifestado ainda confiança nas capacidades do contra-almirante Pereira da Cunha, que vai comandar este ano a SNMG1.
No seu discurso, o contra-almirante português sublinhou estar “pronto para responder com a necessária determinação ao novo desafio”. “Espero ser o homem certo para esta missão”, afirmou. Pereira da Cunha defendeu que a NATO “não é a solução” para todos os problemas de segurança no mundo, pelo que considerou importante que a Aliança Atlântica “estenda a sua presença e partilhe as suas actividades” com países parceiros e amigos. Nesse sentido, salientou a importância de “mostrar gratidão” a esses países, com quem a NATO também deve “aprender e melhorar a cooperação, em nome da liberdade e da paz”.
Permanentemente atribuída à NATO, a SNMG1 é uma Força Naval multinacional que garante à Aliança Atlântica a capacidade de responder rapidamente a situações de crise em qualquer parte do mundo. A SNMG1 forma um núcleo flexível de navios que permite responder a uma ampla gama de missões, incluindo evacuações de não-combatentes, combate ao terrorismo, resposta às crises, operações de embargo, entre outras.
Segundo uma nota divulgada pela Marinha Portuguesa, durante o comando português, a Força irá participar em diversos exercícios multinacionais, e conduzirá operações cirúrgicas de luta contra o terrorismo no Mediterrâneo ocidental (Operação Active Endeavour). “A partir de Março, irá participar em operações no Médio Oriente e sudeste asiático, fora da área normal de responsabilidade da NATO, operando a distâncias nunca antes atingidas por Forças NATO”, lê-se ainda.
O navio chefe - NRP «Álvares Cabral» assume durante este ano as funções de Navio Almirante da SNMG1. Comandado pelo Capitão-de-mar-e-guerra Jorge Manuel Nobre de Sousa tem uma guarenição constituída por 208 militares, em que está incluído o destacamento de voo (helicóptero Lynx MK95), uma secção de Fuzileiros e uma equipa de Mergulhadores-sapadores.

A QUADRATURA

O programa , que já foi bem mais interessante , agora torna-se irritante , pela demasiada intervenção do jornalista moderador, Carlos Andrade , que quer ser tão importante como os convidados.
É ridiculo e insuportável, mas enfim.....
Mas inaceitável foram as palavras de António Costa sobre o CDS (ou outro partido que fosse). Este Senhor é alto responsável no PS , ainda Presidente da CML e vamos a ver o que acontece se , por azar dos diabos , o futuro provocar uma cambalhota política , que é o que mais há por aí.
Guardo o que ele disse para ver o que ele faz.
Muito mal. Para não dizer ordinário.
Mas o interessante é que hoje , 5 deputados do PS votaram com os tais energúmenos do CDS , segundo Costa , e um deles foi Alegre.
Costa devia acusar Alegre , ou não ? Ou pelo menos falar....que é o que eu gostaria , para depois ouvir a resposta vernácula do poeta.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

OBAMA em PORTUGAL


YES , WEEKEND
Acrescento :
Sobretudo nas greves dos Sindicatos

5 ANOS DEPOIS


Uma cimeira da NATO, na ilha de Santa Maria, para a integração de um país fictício é o cenário do exercício militar “Açor 081”, que se realiza de 29 a 30 de Janeiro, envolvendo cerca de 400 militares dos três ramos das Forças Armadas.
O Vice-almirante Carvalho Abreu, comandante do Comando Operacional dos Açores (COA), apresentou o exercício numa conferência de imprensa, onde explicou que um grupo de trinta militares dos fuzileiros, pára-quedistas e forças especiais vão procurar infiltrar-se na ilha de Santa Maria e atacar diversos pontos específicos da ilha, como o aeroporto, porto, central eléctrica, centro de comunicações, depósitos de combustíveis e local onde se realiza a Cimeira da NATO.
Os militares do Exercito, Força Aérea e Marinha, colocados nos Açores, que estão à disposição do COA, vão procurar garantir a segurança da cimeira e impedir a realização de acções de sabotagem pela força oponente.
Durante o exercício não serão utilizados qualquer tipo de munições, granadas ou explosivos, tendo sido emitido uma directiva para que os militares salvaguardem a preservação do ambiente e não alterem a rotinas diárias da população da ilha de Santa Maria.

COM a DEVIDA VÉNIA



AS “DOUTAS”OPINIÕES DO DR.JÚDICE SOBRE AS FORÇAS ARMADAS
“Quem te manda a ti, Oh sapateiro,
tocar rabecão?”
Aforismo popular

O conhecido casuídico que um dia ao ver-se ao espelho se deve ter achado o mais bonito e inteligente dos seres,assumindo desde então uma importancia que só ele julga ter, veio num curto espaço de tempo escrever duas catilinárias sobre as FAs e os militares. Referimo-nos aos artigos “Um golpe de estado dos pequenitos”,de 7/11/08 e “O cilindro de comando”,de 9/1/09,no jornal “O Público”.
Como ainda estamos no reino do disparate e não no das ofensas (embora o primeiro artigo a coisa lá roce) vamos responder às diatribes com palavras em vez de bengaladas como tão bem sugeriria a ramalhal figura.
Não o faço com a finalidade de lhe iluminar o bestunto,que já vimos ser duro,mas para proveito dos leitores menos esclarecidos,bombardeados que são por papagaios que bolsam sobre o que não sabem sem terem a humildade de antecederem os seus ditos com pelo menos um “parece-me”.
Lá dizia o saudoso Comd.Virgilio de Carvalho que a ignorancia era atrevida...
Lendo com algum cuidado os escritos nota-se uma diferença de estilo,mais cautelosa de um para o outro,que talvez a “moderação na exaltação” explique – devolvo-lhe a acintosa dos bêbados no romance do Lartéguy.
Quanto ao primeiro artigo vou deixar para alguns visados (gen.Loureiro dos Santos e cor Vasco Lourenço,por ex.) a incumbencia de se defenderem e quero dizer-lhe claramente que não vou discutir as aleivosias que disse relativamente à extinção do Exército, da F.A. e quejandos.O senhor mostra ser demasiado incompetente e ridiculo neste ambito para que se possa ter consigo uma conversa séria. A sua visão do país deve resumir-se à Quinta das Làgrimas e ao escritório de advogados.Por isso a PSP chega-lhe.
Aceite um conselho e tenha cuidado com os alvitres que eventualmente lhe dêem entre duas garfadas no “Eleven”. A avaliar pela patética defesa que fez do Aristides Sousa Mendes no concurso sobre o melhor português de sempre,não devem ser grande coisa.
A única coisa acertada que diz nos artigos citados é a afirmação de que “a qualidade da formação dos militares é superior à da média nacional. De facto assim é,supondo-se por isso que os licenciados em Direito também estejam abrangidos nesta assumpção. Mas o nosso comentarista diletante invoca esta evidencia como argumento para tentar reconverter os militares para outras funções públicas e assim deminuir os efectivos que ele está seguro – vá-se lá saber porque bulas – serem excessivos!
É caso para perguntar porque é que S.Exª quando era bastonário da ordem dos advogados não se lembrou de pôr em prática tal medida com os excedentes de licenciados que as 27 –leram bem? – faculdades de direito lançam no mercado todos os anos...
E para o caso de andar distraído sempre lhe lembro que os militares não são própriamente funcionários públicos,embora a maioria dos politicos desejam que passem a ser.Mas isso já é outra história.
Vamos então tocar nalguns pontos que aborda cujo nexo justifica umas linhas. As suas atoardas – não me atrevo a apelidá-las de críticas,pois estas subentendem alguma substancia,objectivo e fio condutor – focam-se muito no alegado excesso de efectivos,nomeadamente generais;na desproporção que diz existir no número de oficiais,sargentos e praças e na reforma que é preciso fazer. E claro queixa-se do custo que tudo isto comporta.

O senhor acha que há efectivos a mais,mas qual é a sua referencia?estão a mais relativamente a quê?E baseados em que estudos?Ou é simplesmente porque o senhor acha e pronto? Depois afirma que há generais a mais,porquê?Já analizou a estrutura das FAs e os compromissos externos - que os governos sempre subrescrevem e depois não dão meios para se cumprirem?Já lhe ocorreu que em vez de haver generais a mais (e há três tipos de generais) pode é haver soldados a menos?E já lhe passou pelas suas moléculas pensantes que as coisas devem também ser vistas em termos relativos?Isto é,considera que ter cerca de duas centenas de oficiais generais é muito,e não é muito existirem vários milhares de directores gerais e equiparados?
E já alguém lhe explicou que há dificuldade em recrutar soldados,sobretudo para o Exército que é onde a sua falta mais se faz sentir,porque se acabou (mal) com o serviço militar obrigatório,que os voluntários são muito mais caros e que não há dinheiro nem vontade politica para o arranjar?
Quando afirma que há mais generais agora do que quando o país estava em guerra,porque não compara também o ministério da defesa da altura com o actual?Pensa por acaso que a complexidade das relações internacionais,a gestão de conflitos e a maneira de fazer a guerra, parou no tempo?A matriz da sociedade de uma época para a outra tem alguma comparação?
O senhor tem alguma consciencia daquilo que diz?
Quando fala da desproporção que supõe existir entre oficiais,sargentos e praças tem alguma noção de que na Marinha e FA,dado o modo como operam e a tecnologia envolvida a necessidade de praças se faz sentir em termos expressivos,apnas nos fuzileiros e na policia aèrea?E no Exercito este tipo de realidade também aumentou muito?E nunca lhe passou pela massa encefálica que os governos não podem andar a mudar de ideias relativamente ao que querem das Fas,como quem muda de camisa e que aos militares tem que se lhes proporcionar uma carreira cujas caracteristicas não têm paralelo em mais nenhum grupo profissional?E que as carreiras bem como as missões,o dispositivo e o sistema de forças não são própriamente um bocado de plasticina que os politicos, no mais das vezes ignaros e nem sempre com boas intenções,que estão de passagem,podem moldar a seu belo prazer?- para já não falar em advogados ociosos que se armam em comentaristas...
Será assim tão dificil de entender que decisões tomadas no ambito da gestão de pessoal vão ter consequencias nos próximos 10,20 e 30 anos? Que um exército não se improvisa,que é necessário garantir valencias,capacidades e conhecimento?
Ah, e as reformas,ele quer mais uma!
O senhor tem vivido cá?É que só pode! Desafi-o a apontar um único ministério,orgão do estado,empresa pública ou seja o que for que se tenha reformado tanto e reduzido tanto,como as FAs nos últimos 30 anos. Tendo, ao mesmo tempo, nos pretéritos 15 anos,visto os seus orçamentos deminuirem em termos reais. Não me venha pois,falar em época de contenção,os militares estão fartinhos de dar para esse peditório.Nada lhes deve pesar na consciencia tanto a nivel de instituição como a nivel individual.Pelo contrário tenho consciencia nitida de que se tem apertado o cinto continuamente com espirito de serviço – embora não de cara alegre – enquanto a generalidae do país e sobretudo o estado e os politicos,que deviam dar o exemplo,têm andado no forróbadó da cigarra.
O senhor em ainda o despautério de afirmar que os militares contribuem muito pouco para a produtividade nacional.Como é que é que entende que a Instituição Militar deve contribuir para a produtividade?Quer que produza automóveis?cultive batatas?promova o turismo?.O senhor ignora por acaso que o produto acabado da força militar se chama defesa,segurança,dissuasão,afirmação de soberania,garante da unidade do estado,ser elemento fundamental da politica externa do estado e seguro de vida da Nação?Possui indicadores para aferir tudo isto?O senhor tem ideia de que os sucessivos governos têm sistemáticamente asfixiado as FAs em termos financeiros ,em pessoal,em estruturas,em equipamentos,em autoridade,em termos legislativos,emfim, em tudo,e ao mesmo tempo aumentaram-lhes as missões?Ao passo que nos ultimos 20 anos já foram empenhados em acções fora do território nacional cerca de 30000 homens em mais de 30 paises diferentes?E que todas estas missões foram cumpridas e de um modo que não deslustra os nossos maiores?E que a Nação ignora tudo isto e os sacrificios que tem acarretado?
Se o senhor não sabe nada disto peça contas aos responsáveis politicos,não aos militares,que ainda por cima não podem falar publicamente. Mas se o senhor não sabe e não sabe que não sabe,só tem que se queixar a si mesmo.
Finalmente,acha V.mercê que as FAs são caras.Pois olhe custam cerca de 1.1% do PIB,talvez a taxa mais baixa de todos os paises da NATO à excepção do Luxemburgo.Mas como já vimos ao menos os militares ainda vão cumprindo razoavelmente as suas missões que tem justificado o dinheiro.
Mas se tanto o preocupa os gastos do estado,dou-lhe um alvitre para uma acção patriótica:proponha na Ordem de que já foi bastonário que todas as firmas de advogados recusem as encomendas de pareceres juridicos,resolução de contencioso,consultodorias e afins,que diferentes ministérios continuam a fazer em catadupas e que seria suposto serem tratados pelos respectivos serviços.Aceita o desafio?
Agora sempre lhe quero dizer que caro,caro,e injusto,injusto,é o facto de todos os cidadaõs - militares incluidos - verem um ror de dinheiro dos seus impostos ser vertidos no ministério dito da Justiça,que tem certamente mais funcionários do que a Marinha,o Exercito e a FA juntos e um número de juizes conselheiros muito superior ao dos generais –e a ganharem o dobro daqueles - e nada funcionar.
De facto os tribunais só têm duas velocidades,que é devagarino e parados; ninguém consegue dar conta do número de casos que prescrevem ou são mal instruidos;numerosas leis são desadequadas ao ambito e pessoas em que se aplicam;as prisões estão a abarrotar e os presos não são postos a trabalhar nem regeneram;a impunidade campeia (bem como as providencias cautelares);a deontologia forense já conheceu melhores dias,etc.Em suma o sistema é caro,burocrático,gerador de injustiças,revolta,sensação de insegurança,desmotivador das forças policiais e de investigação.Quanto à confiança dos portugueses,essa exauriu-se hà muito.
Mas o Dr Júdice está é preocupado com generais a mais sendo duvidoso que conheça sequer os postos!O senhor já é crescidinho,falta agora tornar-se responsável.
Poderá até,como alega no fim do segundo artigo,gostar mais de piramides do que de cilindros, mas a mim parece, pelo que escreve,que se aproxima mais da esfera:não tem ponta por onde se lhe pegue.
Espero ficar por aqui,já estou velho para dar recrutas.
João J.Brandão Ferreira
Tcorpilav(ref.)

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

AINDA LÁ ESTÁ


O ,ainda, governador do Banco de Portugal disse hoje , irritadíssimo , que se continuam com acusações e a descredibilizar o banco de Portugal , ele conta tudo.

Mas , então , se conta tudo é porque sabe de coisas que não contou , e já foi 2 vezes ao Parlamento.

Também parece que não percebe que ele é que está em causa. As pessoas não querem demitir o Banco , querem é demitir o governador.

Também a desculpa que "lá fora" a supervisão não correu muito bem, não é desculpa que se dê , assim como a pouca gente que tem. E a gente a mais que tem no gabinete de estudos?.

O que é facto é que passei por lá hoje , e o homem ainda lá estava, a receber o ordenado.

SANTA MARIA


22 de janeiro de 1961(Domingo):


"O calor era infernal.Era 01.15 horas .Meti no bolso um grande colt de calibre 42........à 0145 dei ordem de ataque. Depois de tomada a sala do radio sem dificuldade , o grupo de Sottomaior encontrou inesperada resistencia por parte do Oficial que estava na ponte, o único individuo corajoso e varonil que encontrámos entre os 350 membros da tripulação.Da troca de tiros resultou a morte deste Oficial (Nascimento Costa) e ferimentos noutro..."
"...No camarote encontrei um grupo patético, a maioria em pijama ou roupão, com o Capitão também em pijama, todos derrotados , sem a mais leve resistencia, um deles chorando como bezerro abandonado......

in O Asalto ao Santa Maria por Henrique Galvão

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

NÃO ACREDITO



Soube hoje que já nã há a palavra ARMADA.

Amanhã será o Marinheiro.

e, a seguir , a Pátria.

Ficam os políticos , para o enterro.

Podem dançar , depois.

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

FIGURAS QUE GOSTO

NO REINO de SEVERIANO

Atenção pessoal. O "Leão" está bravo.
7 ou 8 barras fechadas .

Estou esperando que o ministro que nos coube na rifa ou o seu inefável secretário de estado(o diplomata que nos anda a lixar) apareçam nas televisões a dizer que o governo está a dirigir, à distância , todos os navios que se encontram no mar e a tomar medidas para acalmar este.
Se tudo correr bem haverá "Fevereiras" ao 1º Ministro

OBAMA

Tentei ver , com atenção e respeito , a magnífica cerimónia da posse do Presidente dos EUA.

E digo tentei porque os jornalistas da SIC fizeram tudo para me impedir de ouvir o que se passava e perceber alguma coisa.
A dignidade da passagem de testemunho e a atenção dispensada ao casal Bush foi de elevada categoria.


segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

NAÇÃO CABOVERDEANA


É hoje o seu dia.
Bom povo , boa gente.
Nos Terra

domingo, 18 de janeiro de 2009

NO COMMENTS


CDS

Diz-me , quem esteve no Congresso do CDS, que o melhor discurso foi deste Homem , mas não foi o mais aplaudido. Foram outros , menos bons.
Acredito.
Eu ouvi o de Portas , no final, pela TV. Excelente...mas nunca mais acabava!!!!
Mas a maior ovação da sala, diz-me o amigo Congressista , foi para um convidado , na sessão de encerramento , e só pela presença.
O representamte da Associação dos Deficientes das Forças Armadas.
É bom saber que ainda há gente de bem e que aprecia quem lutou e sofreu pela Pátria

COISAS BOAS

"Barcos no Tejo perto da Torre de São Julião da Barra" .
Penso que este quadro pertencia ao Dr. Irineu Cruz , médico , grande coleccionador de motivos ligados ao mar.
Estava previsto ser leiloado por Cabral Moncada , com um preço entre 3000 a 4500€.
Luís Ascêncio Tomasini (1823-1902), capitão de navios, foi discípulo de Tomás da Anunciação e seu amigo.
Realizou inúmeras viagens, tendo-se registado o seu denotado esforço na salvação de vidas. Depois de abandonar a vida marítima dedicou-se à pintura.
O Museu de Marinha acabou de adquirir esta bela obra....dizem-me.

sábado, 17 de janeiro de 2009

JANEIRAS - A letra da musica


Viva o nosso 1º ministro

Viva o nosso dirigente

Seja sempre iluminado

Pela estrela mais fulgente*


Mandaram-me o texto (CPM)
Anda mais vergonha tenho
*será a estrela de um general?

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

È mas são VERDES....

Para mim , verde é isto.
Estas maravilhas da natureza.
O Partido Ecologista "Os verdes", vermelhos por dentro como diz Sócrates, tem toda a legitimidade de existir , com a sua meia duzia de militantes , três duzias de dirigentes e não sei quantas empregadas .
Votos é que se não sabe. Nunca foi a votos. Não sei se terá 1000 se 1020.
Ora um partido que nunca foi a votos (como a ID-Intervenção Democrática, partido unipessoal de Corregedor da Fonseca) , não pode estar no Parlamento e muito menos ter direito de falar , quanto mais de constituir um grupo parlamentar.
É , de facto , um "embuste político" , como ontem disse o Primeiro Ministro , com coragem e uma fraude aos eleitores.Quem vota CDU vota PCP e nada mais, acabou.
Só que o Sr. Primeiro Ministro disse isso no próprio Parlamento, onde , pelas regras que existem , o tal Partido tem toda a legitimidade de estar e falar.É um embuste do PCP( que está convencido que engana o povo com isso , por um lado e que faz coligação eleitoral porque ganha lugares, com o sistema em vigor, por outro) , mas é assim que os políticos quiseram ao fazerem as leis.Nomeadamente o PS
Por isso o Sr.Primeiro Ministro poderá dizer o que disse , e tem razão , em todo o lado , menos em São Bento , e o Presidente da Assembleia , se fosse corajoso , devia ter intervido.
Pois.... Só cá

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

AINDA LÁ ESTÁ



Este cavalheiro esteve hoje toda a tarde com as orelhas mais vermelhas que um pimento morrone.
E que o Dr. Cadilhe passou todo esse tempo no Parlamento , a zurzir e a dizer coisas gravíssimas deste cavalheiro e do banco que ele lidera , que é , nada mais nada menos , que o BANCO de PORTUGAL.
Como é possível que ainda ninguém dissesse NADA?
Bom , o homem ainda lá está , a aforrar os milhares anuais , que segundo Cadilhe , não são devidos , atendendo a incompetência

POIS.......

A Polícia Judiciária (PJ) concluiu um inquérito em que foram constituídos 43 arguidos pela prática de crimes de corrupção. Os suspeitos são alunos e responsáveis de escolas de formação de náutica de recreio, os quais estarão envolvidos num esquema que, mediante pagamento, concede as respostas correctas dos exames que possibilitam o acesso às cartas de navegação.De acordo com uma nota da Direcção Central de Investigação da Corrupção e da Criminalidade Económica e Financeira (DCICCEF) da PJ, o inquérito teve início numa denúncia feita pela Inspecção-Geral de Obras Públicas, Transportes e Comunicações, que tutela a área. Na sequência das investigações, apurou-se que muitos alunos, após pagarem quantias não especificadas, obtinham as respostas aos exames. Essas respostas eram fornecidas não só por responsáveis de algumas das escolas investigadas mas também por alguns dos elementos que compõem os júris que corrigem cada prova.A DCICCEF explica que o objectivo de alguns dos responsáveis das escolas identificados era não só a obtenção de mais proventos financeiros (através do recebimento em dinheiro) mas, sobretudo, o aumento do número de inscritos nos respectivos cursos de navegação de recreio. A maior parte das escolas investigadas localiza-se na região Centro do país. Há também diversos estabelecimentos de ensino localizados no interior do país ou em áreas que nada têm a ver com a tradição marítima, como seja, por exemplo, Salvaterra de Magos. As fraudes e a corrupção nesta área têm, segundo apurou o PÚBLICO, uma tradição de quase 20 anos. No início da década de 1990, quando as licenças para este tipo de navegação eram passadas pelas capitanias, chegaram a ser detidos, pela Polícia Marítima (PM), em flagrante delito, num restaurante de Tomar, dois responsáveis da capitania da Nazaré e um elemento da PM.A obtenção de cartas de marinheiro (só para maiores de 16 anos) é a mais desejada e procurada, já que possibilita a condução de motos de água. Para a sua obtenção é necessário, antes do exame, ter 50 horas de lições e pagar uma quantia de 350 euros. No entanto, tal como aconteceu há dois anos, na zona de Almada, há quem conceda a licença num único fim-de-semana: no sábado, entre as 8h e as 20h, dão-se as lições teóricas, no domingo de manhã têm lugar as aulas práticas e, à tarde, com garantia de êxito uma vez que as respostas correctas já foram fornecidas, procede-se ao exame.As coimas que a lei preconiza para quem for apanhado a conduzir uma mota de água sem a devida licença oscilam entre os 250 e os 2500 euros. Este montante (que tanto se aplica a quem conduz a embarcação como ao seu proprietário) é para pessoas singulares. No caso das pessoas colectivas, o valor duplica. 12.914Em Portugal, em 2006, de acordo com o Instituto Portuário e dos Transportes Marítimos, havia 12.914 títulos para navegadores de recreio

AINDA A BAJULICE



Diz aqui que a ideia foi do Director do Colégio !!!!!!!
Se assim foi , e eu não quero acreditar , isso é muito grave.
Isso já devia meter a Associação de Pais dos alunos , pois não de usam estes para se conseguir estrelas.
Se assim fôr , e eu não quero acreditar , o senhor major general não pode continuar , nem mais um dia , no Colégio Militar.
Mas aguardemos para ver se é verdade!!!!!!

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

BRIOSA

A transferência técnica das duas fragatas compradas por Portugal à Holanda em 2006 vai ser formalizada na próxima sexta-feira pelo director-geral de Armamento e Equipamentos de Defesa do Ministério, vice-almirante Viegas Filipe , na Holanda.
O certificado de transferência dos dois navios (comprados em Novembro de 2006 por cerca de 240 milhões de euros) será assinado pelos directores gerais de armamento dos dois países, numa cerimónia exclusivamente militar, onde também vai estar presente o chefe de Estado-Maior da Armada, almirante Melo Gomes.
De acordo com o Ministério da Defesa Nacional, a cerimónia de entrega oficial terá lugar em território português no quadro das comemorações do dia da Marinha, no mês de Maio.
Para a tutela, a entrada ao serviço das duas novas fragatas para a classe 'Bartolomeu Dias' - uma em 2009 e outra em 2010 - constitui 'uma importante etapa no reforço da esquadra para a prossecução da missão da Marinha em prol da defesa dos interesses nacionais'.
A guarnição destes navios é composta por 164 militares, dos quais 19 oficiais, 41 sargentos e 104 praças, que estiveram em formação e treino, primeiro em Portugal e depois na Holanda, de forma a estarem preparados para operar o navio.
Nota: A Fragata não trás, no seu parque de sinais. a Bandeira dos Açores .
1º porque foi impossivel de encontrar nos arredores do estaleiro
2º porque se espera que um Cap. Fragata da Armada Poruguesa nunca se vergue perante outro que não o principal símbolo da sua Pátria, a Bandeira Nacional.

1867

Owners of capital will stimulate working class to buy more and more of expensive goods, houses and technology, pushing them to take more and more expensive credits, until their debt becomes unbearable. The unpaid debt will lead to bankruptcy of banks, which will have to be nationalized,and State will have to take the road which will eventually lead to communism."
Foi este camarada que disse isto ou teria sido o Dr. Rendeiro?

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

ENTROU NO "IN"

A raça quase foi extinta nos anos 70 ( segundo o Guiness Book, o cão mais raro do mundo) devido a falta de interesse por estes cães..
Foi salva pela americana Daynne Miller, que levou alguns cães de Portugal para os E.U.A. no início dos anos 70.
O Senador Edward Kennedy possui dois cães d´água , o Sunny e o Splash, que o acompanham sempre ao trabalho no Capitólio em Washington. Quem ofereceu o primeiro cão d´água portugues ao senador foi o antigo mordomo de Jacqueline Kennedy, o alentejano Ifigenio Pinheiro que serviu a ex-primeira dama dos Estados Unidos durante mais de 15 anos. Esses dois cães estão sempre à bordo do barco " Mya" quando o senador veleja ao largo de Cape Cod.
Agora o Primeiro Cão será português!!
Já instalado na Casa Branca , vai ser uma diversão ler as nossas revistas "ditas do jet set" e ver essa pirosada toda a andar de trela com o "Cão de água português".
Não tarda muito estará um em S. Bento e outro....em S.Julião da Barra

PARA QUE CONSTE

O Parlamento Europeu decidiu atribuir o nome de Francisco Lucas Pires à Sala de Leitura da respectiva biblioteca no seu edifício-sede em Bruxelas. A decisão foi tomada, ontem à noite, em Estrasburgo, e comunicada oficialmente hoje de manhã ao deputado José Ribeiro e Castro.
Francisco Lucas Pires, advogado, jurisconsulto e professor universitário, foi ministro da Cultura, membro do Conselho de Estado e deputado à Assembleia da República, em Portugal. Eleito em três legislaturas como deputado ao Parlamento Europeu desde 1987, foi o primeiro português a ser eleito vice-presidente do Parlamento Europeu, no período 1997/98.
A decisão do Bureau segue-se à iniciativa lançada em Julho passado por Ribeiro e Castro, com o apoio e o endosso de dois antigos presidentes do Parlamento Europeu – Enrique Báron Crespo (socialista, Espanha) e Nicole Fontaine (democrata-cristã, França). Esta iniciativa, propondo a homenagem permanente a Lucas Pires na biblioteca do Parlamento Europeu, foi reunindo, ao longo dos meses seguintes, um vasto apoio de largas dezenas de qualificados membros do Parlamento Europeu, pertencentes a distintos grupos políticos.
Nota: Fico muito contente com esta noticia. Lucas Pires era um Homem bom , de enorme inteligencia e que bem merece uma homenagem perene. Para além disso é uma honra para o nosso País

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

MAY WE, Dr. Judice?

A aventura começa ainda este mês. Um navio e almirante portugueses ao comando de uma força da OTAN, numa longa e complexa missão - enfrentar piratas e fazer a Aliança Atlântica passar em mares nunca antes navegados.
Quando, no dia 17, a fragata "Álvares Cabral" zarpar da Base Naval do Alfeite, a OTAN inicia aquela que vai ser uma das suas mais importantes missões, a mais longa viagem operacional fora da sua área tradicional de responsabilidade, rumo ao Índico, um exibir de bandeira que vai chegar à Índia, Paquistão e Austrália, associado à necessidade de pacificar as águas que medeiam o Corno de África, assediadas pelos ataques dos piratas.
A força, designada por Standing NATO Maritim Group (SNMG) é constituída por oito navios de outros tantos Estados da Aliança, Portugal, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Alemanha, Canadá, Noruega e Dinamarca e sucede à antiga STANVFORLANT. Ao comando vai estar o contra-almirante Pereira da Cunha, que curiosamente embarcou nos anos 90 sob o comando do então contra-almirante Reis Rodrigues, o primeiro oficial português a comandar a STANAVFORANT.
E uma das principais missões passa pelo trazer da estabilidade às águas que medeiam o Corno de África, como aponta, em declarações ao JN, o contra-almirante Pereira da Cunha, ameaçadas pela pirataria. "Há vários grupos de piratas a actuar, mas há três principais identificados a actuar", aponta o oficial português.
Até à chegada à região, prevista em Março, a força vai ser sujeita a um conjunto de exercícios para enfrentar a ameaça dos piratas, uma novidade plena para fragatas e destroyeres da SNMG.
O alvo dos modernos piratas é a navegação comercial, com raptos de tripulações e sequestro de navios, para conseguir o resgate, e as últimas informações dão conta de 15 navios e guarnições sequestrados.
A missão da SNMG é manter os corredores de navegação abertos e garantir a segurança da navegação, mas não estão previstas acções em terra, se bem que a actividade dos piratas esteja identificada, assim como os pontos de origem, vilas piscatórias ao longo da costa da Somália. Há, pois, o risco de que logo que a força da OTAN deixe a zona ou a força da União Europeia na região termine o mandato - acaba no final do ano -, o problema volte a surgir em força. Os navios mercantes têm usado todos o meios legais - estão proibidos de usar armas - para combater as embarcações de piratas, desde o lançamento de objectos pesados, óleo de máquinas até ao disparo de pistolas de sinais luminosos.
Pereira da Cunha não acredita que os piratas, armados com armas ligeiras e roquetes, queiram fazer frente aos navios da OTAN. "Normalmente rendem-se ou fogem".

JANEIRAS

CARTA DE UM EX-ALUNO do CM

Senhor Presidente, caro Martiniano:
Só para te informar da minha indignação com a noticia , que depois confirmei na TV , de o Orfeão do Colégio ter ido cantar as “janeiras” ao Senhor Primeiro Ministro , num acto de bajulice e partidarismo , pouco comuns na história do CM , ainda por cima a acompanhar o ministro da defesa. Os miúdos claro que não foram tidos nem achados , mas nós , eu pelo menos , que usamos barretina sentimo-nos envergonhados e devemos ter conhecimento das responsabilidades de quem os obrigou a tal acto. Porque uma coisa , bem diferente , é ir ao Comandante Supremo das FA , outra é entrar no jogo político eleitoralista e populista. E o mais curioso , ou triste , é que o ministro que lá mandou ir os alunos , é precisamente o mesmo que impediu a Escolta a cavalo do CM de prestar homenagem ao Rei D. Carlos , já falecido à 100 anos , e que foi seu Comandante de Batalhão honorário Sei que serei ignorado , mas gostaria de ter pormenores , e se calhar outros ex-alunos , sobre de quem foi a peregrina ideia e a absurda e humilhante ordem.
Aceita um abraço
92/53
*Carta ao Presidente da Associação dos ex-alunos daquele Colégio , no proprio dia da "janeirada"

domingo, 11 de janeiro de 2009

JANEIRAS

CARTA ABERTA AO MINISTRO DA DEFESA NACIONAL

Senhor Ministro da Defesa Nacional
Excelência,

Tomei conhecimento de que há dias o orfeão do Colégio Militar foi, com a presença de V. Ex.ª e de Sua Excelência o General Chefe do Estado-Maior do Exército, cantar as “janeiras” junto da residência de Sua Excelência o Primeiro-Ministro.
Com todo o respeito institucional que V. Ex.ª e as citadas entidades me merecem, não posso deixar de expressar a minha grande estranheza por tão invulgar acontecimento na História do Colégio Militar.
E a minha estranheza, e até alguma estupefacção, radicam no facto de não entender com que propósito tal manifestação artística se realizou.
Será que foi um acto de homenagem e reconhecimento ao Senhor Primeiro-Ministro por louváveis decisões governamentais tomadas, que eu desconheço, no sentido de se ultrapassarem as dificuldades com que o Colégio se tem vindo a defrontar para assegurar a sua sobrevivência como escola exemplar de formação juvenil, quer pela boa qualidade do ensino ministrado, quer muito especialmente pelos valores morais de patriotismo, honra, camaradagem, lealdade, disciplina e sentido das responsabilidades que procura incutir nos jovens que por lá passam?
Ou será que de uma forma calculista, como aparentemente se pode deduzir, se usaram estes jovens para fins pouco transparentes que, no fundo, nada têm a ver com o Colégio Militar?
É que nesta matéria de homenagens, se alguém deveria homenagear alguém, parece-me que os mais de dois séculos de relevantes serviços prestados pelo Colégio Militar à nossa colectividade, com tantos dos seus ex-alunos que, nos mais diversos sectores da vida nacional, se distinguiram e serviram o País de forma altamente meritória, empenhada, abnegada e até heróica, mais justificariam uma homenagem do Senhor Primeiro-Ministro ao Colégio do que o inverso.
Assim, como ex-aluno alarmado pela situação descrita, rogo a V. Ex.ª os esclarecimentos tidos por convenientes, para que os muitos ex-alunos que partilham das minhas preocupações possam de facto conhecer e bem avaliar os reais motivos deste insólito acto.

José Manuel Castanho Paes
Ex-aluno nº 228/52

Nota:Este ex-aluno é Almirante de 4 estrelas

JÁ NAO HÁ PACHORRA

Outra vez. É mesmo , outra vez.
É que quando não tem assunto para escrever nos artigos que o "Publico" lhe paga a peso de ouro , o sujeito lá vem marrar(peço desculpa pelo termo , mas é meramente o que mais próprio se parece para a frase) com os militares .
No Dr. Judice , nota-se , existem imensos fantasmas e complexos insanáveis , e o facto de ele nunca ter sabido bem o que era um militar ,o serviço à Patria , o preservar os valores da Nação, da Camaradagem , da Ética , fazem com que se perca , ou tente ganhar públicos , martelando numa Corporação que agora sente fraca , frágil , sem lideres que a defendam.
Fosse a Corporação forte , poderosa e com lideres que a dignificassem e lá teríamos , quem sabe , um ou muitos Drs Judices a defender a Causa.
Agora foi no "Publico" de sexta feira , dia 9 , num artigo "O cilindro de comando".
Eu não me vou dar ao incómodo , porque incomodado já estou , de defender os militares destas ignomínias , porque não me dão estrelas para isso , nem Motorista , nem Ordenança , e nem sequer me respeitam , nem pedem opinião. Mas , ao menos , tenho a moral , que pelos vistos os nossos Chefes não têm , de , ainda por cima sendo Amigo do Zé Miguel , ser o único que venho a público , sem medo , dizer o que deve ser dito.
Aguardarei o dia em que verei um Almirante ou um General responsável , sem Chauffer(ou Chauffeuse como há agora) , e Impedido , ou um própio político em função , escrever onde o Dr. Judice escreve , a pedir-lhe meças do que fez , e faz , pela Pátria , recordar-lhe onde ele poderia estar se não fossem os militares do 25 de Novembro , e perguntar-lhe se , quando fôr preciso alguém defender a liberdade , a paz , a segurança , a vida ,será com ele que se poderá contar.

sábado, 10 de janeiro de 2009

PATRULHÃO



'Os ENVC e a Marinha estão a reajustar o planeamento da calendarização da entrega dos NPO', disse à Lusa fonte do Ministério da Defesa Nacional, sem avançar quaisquer datas ou pormenores adicionais.Numa primeira fase, a entrega dos dois primeiros NPO's, cujo contrato foi assinado em Outubro de 2002 pelo então primeiro-ministro, Durão Barroso, esteve agendada para 2006.O processo atrasou-se e foram fixados novos prazos, dessa vez para finais de 2008 e inícios de 2009.O Ministério da Defesa e os ENVC escusaram-se a revelar as causas deste atraso, mas uma outra fonte da empresa apontou 'alguma dificuldade' de adaptação à construção naval militar e as 'exigências' da Marinha, com 'várias alterações' ao projecto. Entretanto, o 'esqueleto' dos navios já está construído e as embarcações já estão em água desde finais de 2005, à espera de luz verde para conclusão dos trabalhos, para que possam ser entregues à Marinha.No total, e na sequência de vários contratos entretanto assinados, os ENVC de Viana do Castelo têm na sua carteira de encomendas 10 NPO para a Marinha Portuguesa, dois dos quais especialmente vocacionados para o combate à poluição.
Nota: Já se sabe o mês da entrega. Só falta é saber o ano

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

NO REINO de SEVERIANO


Consta na voz da caserna que os antigos alunos do Colégio Militar se vão juntar na porta do ministro e cantar~lhe as Janeiras.

A musica está a ser acabada por um nome ilustre da nossa praça da canção e antigo aluno e a letra será do folclore pagão , popular e vernáculo.

Com isto esperam os intervenientes mostrar ao povo português a vergonha que sentiram ao verem os rapazes do Colégio serem obrigados a ir cantar as Janeiras a casa do Senhor 1º Ministro , acto jamais ousado nem pela ditadura , e ainda por cima mandados pelo ministro que proibiu a Escolta a cavalo de prestar homenagem nos 100 anos da morte do Rei D. Carlos , Comandante Honorário do Batalhão Colegial.

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

ASSOBIA

É o que se faz agora , para sobreviver.
É o Governador do banco de Portugal, para lá ficar e manter o ordenado
É o Madaíl para não sair do futebol
É o responsável pela ida do Orfeão do Colégio Militar fazer a ridicula figura de cantar as Janeiras ao 1º Ministro numa ignóbil cena de bajulação.
São os deputados a não obrigarem o ministro da defesa a cumprir a lei 25/2000
São so gestores da Caixa , reformados por invalidez , e que trabalham noutro tacho
São os administradores da EPUL
São os dirigentes sindicais para não voltarem a trabalhar.
São os militares , espezinhados pelo ministro , e agora cuspidos com a tabela salarial do Estado.
Vem aí o Lobo....mas já ninguém passa cartucho