Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

HOJE

Este cavalheiro (excelentes performance no Sporting e Real Madrid!!!!!) anda a passar os limites da decência e do patriotismo.
De 11 jogadores a "nossa" seleção já vai com 3 brasileiros.
E será bom que se recorde que esses desportistas pediram a naturalização ÚNICAMENTE para cavarem de cá e não por amor ao País. Eles até jogaram , sem nenhuma vergonha na cara , contra a sua propria Pátria. Querem é a Europa.
Qualquer dia vão mais. Há um bom defesa esquerdo no Sporting de Braga e um grande guarda redes no Porto , assim como o ponta de lança Hulk.
É apressar os processos. O ministro Pereira faz isso num instante.
Mas que vergonha

GLORIOUS NAVY


"Les premiers éléments du HMS Queen Elizabeth, tête de série du programme des deux futurs porte-avions britanniques, sont arrivés cette semaine au chantier Babcock de Rosyth. C'est là que l'ensemble des blocs, provenant de différents chantiers, sera assemblé. Le début de la construction du Queen Elizabeth intervient au moment où la Grande-Bretagne envisage l'abandon de la version à décollage court et appontage vertical du F-35 (F-35 B). Par souci d'économie, la Royal Navy pourrait finalement adopter la version catapultée du Joint Strike Fighter (JSF), également connue sous la désignation F-35 C. Cette disposition entrainerait la disparition du tremplin, situé à l'avant, ainsi que l'ajout de deux catapultes et de brins d'arrêt. La modification est rendue possible par le fait que le design du Carrier Vessel Future (CVF) a été étudié en commun avec la France, qui souhaitait une version pouvant mettre en oeuvre Rafale et Hawkeye. Toutes les dispositions ont donc été prises, lors des travaux d'ingénierie, pour que l'architecture du porte-avions permette la mise en place de catapultes et brins d'arrêt. Si ce projet se confirme, la Grande Bretagne retrouverait le club des nations mettant en oeuvre des porte-avions à catapultes (Etats-Unis et France), club qu'elle avait quitté il y a une trentaine d'année au profit des porte-aéronefs, dotés d'avions à décollage court et vertical. Outre le fait que la Royal Navy disposerait, alors, d'appareils aux performances et capacités renforcées, le groupe aéronaval britannique deviendrait interopérable avec ceux de l'US Navy et de la Marine nationale. "

E A MARINHA PARA NADA SERVE


."Uma brigada hidrográfica da Marinha encontra-se desde Julho nos Açores, a fazer levantamentos no mar e em terra, com vista à actualização das cartas dos portos e fundeadouros do Grupo Central.Terminados os trabalhos de campo na Terceira, a brigada hidrográfica prossegue agora para a Graciosa, onde permanecerá até ao dia 4 de Setembro.A Marinha já contou, no porto da Praia da Vitória, com o apoio da Administração dos Portos da Terceira e Graciosa, procedendo-se ao embarque da lancha hidrográfica "Cagarra" a bordo da corveta NRP "João Roby".Para poder cumprir a sua missão, a UAM "Cagarra" está equipada com um sondador multifeixe e outros modernos e sofisticados equipamentos de sondagem e posicionamento. A brigada hidrográfica actualmente nos Açores é composta por cinco militares do Instituto Hidrográfico, chefiados pelo primeiro-tenente hidrógrafo Carlos Marques."
JornalDiario

domingo, 30 de agosto de 2009

TU QUOQUE ...

Neste País governado por socialistas até o velho Amolador nos aldraba.
Quando ele apitava, e não falhava , o tempo mudava.
Ontem bem o ouvi , com o seu som de pífaro , rua abaixo.
Pensei , com o coração radiante , que a canícula se iria de vez.
Mas para hoje dão 36º

sábado, 29 de agosto de 2009

NO REINO de SEVERIANO



DEFESA: EM JEITO DE BALANÇO.
O mandato do actual Ministro da Defesa Nacional (MDN) tem-se revelado um verdadeiro descalabro! De qualquer ângulo que se ajuíze, o mal-estar instalado só pode ser proporcionalmente comparável ao do tempo do Dr. Fernando Nogueira, época em que começaram a avolumar-se todos os grandes problemas que têm afectado as Forças Armadas (FFAA) até aos dias de hoje. De facto, tem-se vindo a procurar degradar, desde essa altura, sistematicamente, as capacidades das FFAA e os direitos inalienáveis dos que nelas prestam serviço. Porém, ao seu decepcionante desempenho político, o actual MDN juntou também outros desempenhos igualmente reprováveis.
Em termos das condições socioprofissionais e da “condição militar”, tudo piorou! Para além de todos os “dossiers” já existentes e em que houve apenas mais recuos, secretismo e restrições, surgiram como “azeda no topo do bolo” as novas Lei de Defesa Nacional e das Forças Armadas (LDNFA) e Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas (LOBOFA) mas, principal e fundamentalmente, o novo RDM, supras sumo na arte de legislar em cima do joelho, à base de conceitos vagos e obscuros, deixando no ar a ideia de objectivos inconfessáveis, desconhecimento e incompetência! Este último documento faz regredir as nossas Forças Armadas mais de 50 anos! Nem o “Estado Novo” foi tão longe na perseguição ao “delito de opinião”, no acentuar do dever de obediência a todo o custo, em prejuízo de valores tão importantes como o exemplo, o patriotismo, e a lealdade, entre outros. Importa recordar, aqui e agora, que o “delito de opinião” foi a justificação oficial para o Gulag, para os campos de concentração nazis e para o Tarrafal! Este novo documento estaria bem adaptado a algumas forças pretorianas mercenárias, mas chamar-lhe “RDM” é um insulto grave a umas FFAA nacionais que sempre se têm pautado por níveis de desempenho operacional e de disciplina difíceis de ultrapassar.
Sempre defendi que o “velho” RDM estava ultrapassado, que o EMGFA nunca funcionaria convenientemente com a estrutura que tinha, e que o CEMGFA deveria possuir mais ferramentas de comando operacional. Contudo, tudo tem limites, até mesmo os princípios maquiavélicos do controlo e da manutenção discricionária do poder! Os “ideólogos” e os conselheiros responsáveis por estes diplomas demonstraram profunda ignorância, incompetência e má fé!
Nesta escalada de “trapalhadas” (para não lhes chamar outra coisa), o mandato termina com três acontecimentos demonstrativos da nula capacidade de gestão e intervenção do MDN:
- por um lado, a necessidade de uma intervenção urgente do Primeiro-Ministro para um almoço com os Chefes Militares, face à proposta de novos vencimentos e abonos à GNR, perante o “dolce fare niente” do Ministro;
- por outro lado, a sua não ida ao IESM, para se dirigir aos futuros oficiais-generais na última semana de curso, tradição que se perde nas brumas da memória; se fosse necessário demonstrar a falta de consideração, o desinteresse e a incapacidade de um Ministro pela sua área de responsabilidade, nada mais seria necessário;
- para finalizar, a proposta miserabilista de revisão do sistema retributivo, praticamente inalterado há mais de 20 anos, é insultuosa e ofensiva para todos os militares!
Mas também na gestão operacional e logística das FFAA, o panorama não foi melhor!
A incrível “gaffe” do contrato de manutenção dos helicópteros EH-101, herdada do Ministro anterior, e que obrigou à remontagem de quatro SA-330 “Puma”, entretanto já abatidos e desmontados, foi uma “obra-prima” de incompetência e de desconhecimento imperdoáveis que, se fosse da responsabilidade dos militares, faria correr rios de tinta e, traria consequências disciplinares. Quanto terá custado ao País e ao orçamento das FFAA este “descuido”?
Os “patrulhões” oceânicos, em execução nos estaleiros de Viana do Castelo, já levam quase cinco anos de atraso e não se sabe bem quanto tempo mais irá decorrer até o primeiro deles ficar operacional! Quanto está a custar ao País e ao orçamento das FFAA este outro “descuido”?
Os “romances” da desagregação das OGMA e do Arsenal do Alfeite também estão ainda por explicar convenientemente. Quanto irão custar ao País e ao orçamento das FFAA estas decisões, ditas de “racionalização de recursos”?
A cerimónia de entrega das primeiras viaturas blindadas “Pandur” ao Exército foi cancelada, em virtude de não cumprirem os requisitos mínimos exigidos. Esta é mais uma demonstração da consideração e respeito que as empresas europeias têm pelo MDN e da “competência” do controlo exercido por aquele. Quanto está também a custar ao País e ao orçamento das FFAA este novo “descuido”?
Os radares de vigilância costeira é outro assunto em que o MDN se demitiu das suas responsabilidades, e o resultado de se ter aceitado passá-las para outro Ministério está à vista de todos. O País está à mercê de quem quiser servir-se!
Apesar dos inúmeros alertas feitos pela Força Aérea, desde Maio passado que os C-130 não podem voar na Europa, por falta de equipamentos electrónicos adequados às exigências do tráfego aéreo europeu. Servem para executar missões para o Afeganistão, para África e para outros locais, mas na Europa não são autorizados a entrar!
Enquanto o CEME afirma publicamente ter falta de 1200 efectivos e o CEMFA continua a ver os seus pilotos mais qualificados optarem pela aviação comercial, o MDN anuncia uma redução de cerca de 2600 efectivos. Surrealista, de facto!
Este Ministro da Defesa não deixa saudades! O mais triste, contudo, é que os militares têm a convicção que, com a sua vivência militar e experiência em matéria de Defesa, teria todas as condições para ser um bom MDN, se não fosse tão pusilânime, seguidista e filósofo de trivialidades .
A 5 de Dezembro próximo, o CEMGFA termina o seu mandato! Será reconduzido? Do Governo que sair das eleições legislativas e da decisão referida, dependerá muito o negrume do futuro próximo das FFAA.

Eduardo Silvestre dos Santos
Tenente-General Piloto-Aviador (Reformado)
Agosto de 2009.

HOJE

Hoje apareceu este verdadeiro Baluarte do capitalismo a concordar com o programa do PSD
É com gosto que se vê este vai vem , uns para a esquerda outros para a direita.
Claro que tudo consoante o mercado e o poder. As ideias foi chão que deu uvas

HOJE

Depois de hoje já tudo pode mudar nas investigações do caso Maddie .
O que se faz a um javardo capaz de uma coisa destas? Philip Garrido , teve esta miúda, Jaycee, 18 anos sequestrada.
Imagina-se?

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

O SUCESSOR


Este , espero , será Ministro mesmo, um MDN mais a sério., desde que não queira ser , como os outros , também Ministro das Forças Armadas.
Que se preocupe com a defesa nacional e deixe os Chefes Militares trabalharem.
Que começe logo por mudar a forma de nomeação destes.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

POLTAVA

batalha de Poltava 1700

hoje recordou-se ...2-1

OS PROXIMOS 230

Para tantos serem eleitos por tão poucos

GALVEIAS



Quando da triste partida do nosso convívio, Raul Solnado ficou , em câmara ardente , no Palácio das Galveias , bilblioteca municipal central de Lisboa,toda a gente , penso , achou esse facto normal. Aliás nem se discutiu .Era uma figura pública nacional, uma personalidade muito querida e uma apegada lenda popular.
Agora faleceu , infelizmente e também para tristeza de todos , Morais e Castro , outro actor, de mérito ,por todos reconhecido e de todos conhecido
Por sugestão, ou consentimento , de António Costa , o seu corpo foi velado no mesmo local, o Palácio das Galveias.
Sem qualquer desprimor para com Morais e Castro, ou sua memória, cumpre , nomeadamente aos cidadãos de Lisboa , perguntar ao seu Presidente da Câmara:
1- se o Palácio das Galveias serve agora como local de câmara ardente?
2-se assim fôr quem pode ou deve para lá ir?
3-quem estabelece o critério de que uma pessoa pode e outra não?

OS PROXIMOS 230


OS COMEDIANTES
Ao pedir a um cunhado médico que lhe engessasse o braço antes de uma prova judicial de caligrafia que o poderia incriminar, António Preto mostrou ter um nervo raro. Com este impressionante número, Preto definiu-se como homem e como político. Ao tentar impô-lo ao país como parlamentar da República, Manuela Ferreira Leite define-se como política e como cidadã. Mesmo numa época de grande ridículo e roubalheira, Preto distinguiu-se pelo arrojo e criatividade. Só pode ter sido por isso que Manuela Ferreira Leite não resistiu a incluir um derradeiro arguido na sua lista de favoritos para abrilhantar um elenco parlamentar que, agora sim, promete momentos de arrebatadora jovialidade em São Bento.À tribunícia narrativa de costumes de Pacheco Pereira e à estonteante fleuma de João de Deus Pinheiro, vai juntar-se António Preto com o seu engenho e arte capazes de frustrar o mais justiceiro dos investigadores. Se alguma vez chegar a ser intimado a sentar-se no banco dos réus, já o estou a ver a ir ter com o seu habitual fornecedor de imobilizadores clínicos para o convencer a fazer-lhe um paralisador sacro-escrotal que o impeça de se sentar onde quer que seja, tribunal ou bancada parlamentar.Se o convocarem para prestar declarações, logo aparecerá com um imobilizador maxilo-masséter-digástrico que o remeterá ao mais profundo mutismo, contemplando impávido com os olhos divertidos de profundo humorista os esforços inglórios do poder judicial para o apanhar, enquanto sorve, por uma palhinha apertada nos lábios, batidos nutritivos com a segurança dos imunes impunes.Em dramatismo, o braço engessado de Preto destrona os cornos de Pinho. Com esta escolha, Manuela Ferreira Leite veio lembrar-nos que também há no PSD comediantes de grande calibre capazes de tornar a monotonia legislativa no arraial caleidoscópico de animação que está a fazer do Canal Parlamento um conteúdo prime em qualquer pacote de Cabo.Que são os invulgares familiares de José Sócrates, o seu estranho tio ou o seu temível primo que aprende golpes de mão fatais na China, quando comparados com um transformista que ilude com tanta facilidade a perícia judiciária? António Preto é mesmo melhor que Vale e Azevedo em recursos dilatórios e excede todos os outros arguidos da nossa praça com as suas qualidades naturais para o burlesco melodramático.Entre arguidos, António Preto é um primo inter pares. Ao fazer tão arrojada escolha para o elenco político que propõe ao país como solução para a nossa crise de valores, Manuela Ferreira Leite só pode querer corrigir a percepção que o eleitorado possa ter de que ela é uma cinzentona sem espírito de humor e que o seu grupo parlamentar vai ser o nacional bocejo.A líder social-democrata respondeu às marcantes investidas de Pinho com as inimitáveis braçadas de Preto. Arguidos na vida política há muitos, mas como António Preto há só um. Quem o tem, tão fresco e irreverente como na primeira investigação judicial, é Manuela Ferreira Leite e o seu PSD. Karl Marx, na introdução à Crítica da Filosofia do Direito de Hegel, escreve que "a fase final na história de um sistema político é a comédia". Com estas listas do PSD e com a inspiração guionística de António Preto, Ferreira Leite está a escrever o último acto."
Ass: Mário Crespo , in JN

"O cérebro é uma coisa maravilhosa. Todos deveriam ter um!!!"

OS PROXIMOS 230

"Seria muito benéfico uma coligação PS-PSD"
27 de Agosto de 2009
Em entrevista à revista Sábado(13 a 19 Agosto) declarou que quem o tramou no "caso do roubo da manta num avião" foi Durão Barroso.
A Sabado perguntou então se Barroso já lhe pediu desculpas , ao que este trabalhador incansável respondeu "Convidou-me para o Parlamento Europeu".
Assim é que se vêm os amigos, caramba

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

OS PROXIMOS 230


Este , infelizmente , não é candidato

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Sim, ACREDITO

Que na Roménia , Bulgária e outros Países de Leste existem "gangs" de Portugueses , armados até aos dentes , que assaltam lojas , carros , casas à luz do dia , que por vezes são presos ,mas normalmente os juizes, e as juizas , os mandam em paz .
E ninguém pensa em os mandar embora dos Países que tão generosamente os acolheram no seu seio.

HOJE

Na SIC, com Mário Crespo. Brilhante

ALGUÉM ME EXPLICA?



OS AUMENTOS SALARIAIS E AS RELAÇÕES POLITICO-MILITARES

“Quem comeu o frango, há-de comer o galo, ou pagá-lo”
D.Francisco de Almeida

" Na sequência da actualização de remunerações e suplementos das Forças de Segurança(FS) - em que o governo se preparava,uma vez mais, para fazer-se esquecido relativamente ao parente pobre do Estado,em que as Forças Armadas (FAs) se transformaram depois do fim do Conselho da Revolução,em 1982 – dizia –acabou por ser aprovado, algo a martelo,o diploma que tenta harmonizar a tabela salarial e a condição militar dos,agora e apenas,tolerados militares.
Os cidadãos que servem Portugal nas FAs,começaram por ser desnivelados dos vencimentos dos magistrados,universitários e diplomatas,que em conjunto eram tidos como os grandes pilares do Estado ( e que o “Estado Novo” sábia e laboriosamente equiparara),para serem segregados, a seguir, das “alcavalas” das FS,para agora acabarem abaixo da tabela dos técnicos superiores da função pública. Ódio velho não cansa... mas,se assim é, tenham coragem e afrontem-nos, de caras e de vez!
O presente diploma, para além de conter varios aspectos criticáveis, dispõe que os aumentos para os generais de três e quatro estrelas “diapararam”relativamente ao resto das tropas. Até parece que os querem “comprar”...
Esta diferenciação tomou forma – salvo erro - no primeiro governo do Prof. Cavaco Silva em que, inclusivé,se retirou as chefias militares da grelha salarial dos diferentes postos, indexando-os aos cargos politicos. Ou seja, separaram-se os chefes do resto das tropas. Ora sendo a Instituição Militar (IM),caracterizada pela forte hierquização de postos e funções é natural que a tabela de vencimentos também reflita tal pressuposto. Mas não deve,sem embargo,pôr em causa a coesão a justiça relativa,o espirito de corpo e outros atributos especificos da IM,sem os quais os Exércitos são uma ficção.
E se os chefes militares – não sei se os quatro,se os três – apesar da violência verbal e escrita com que trataram o assunto,não conseguiram fazer valer os seus argumentos,ao menos que não aceitassem, no final,tamanha diferenciação.
Lamentavelmente parece ter sido usada, de novo, a técnica de má conduta consubstanciada no facto das chefias serem entretidas com determinados números e pressupostos e no fim verem-se confrontados com coisas diferentes.Chama-se a isto deslealdade.
Por tudo isto, há muitos anos que semelhantes procedimentos deveriam ter sido atalhados cerces e denunciados. Se o Dr Portas,por ex.,à segunda vez que tivesse chegado atrasado a uma cerimónia militar, já lá não encontrasse ninguém para o receber,certamente que não teria porfiado na irresponsabilidade e falta de educação do acto.
Ou quando o Dr Caldas,em directo na TV,quis fazer uma piada pífia com uma frase do Clemanceau – que ele julgava ser do Churchil – tivesse ,logo de seguida, engolido a graça,se calhar não teriamos chegado a este plano inclinado.
Lembram-se do Dr Jardim? Desde que um coronel na reforma lhe assentou as costuras nos idos de 70 e muitos,que tem tido um comportamento exemplar para com os militares – enfim,questão da bandeira regional,na capitania do porto e tentativa de “assalto”ao Palácio de S. Lourenço,à parte.
É preciso ultrapassar questões do foro “horticola”que nos tolhem e que têm permitido abusos e desconsiderações. Mas só assim poderemos ser respeitados.
O que mais dói,é que os estimáveis profissionais de uma instituição acima de tudo patriótica,que obrigatoriamente tem de dar de si uma imagem de coragem – fisica e moral – e que se consideram,com alguma justiça,os catedráticos da estratégia,da táctica,da logistica,operacionais ferozes de várias artes e saberes,se deixem – ao fim e ao cabo – tosquiar como cordeiros mansos,sem um ai! que se oiça.
Ainda por cima por aprendizes da politica, de muito baixa categoria.
Tenho pena que assim seja. E muita vergonha."
João J. Brandão Ferreira
Tcorpilav(ref)
*ler outro post com o mesmo nome , na pag. anterior

JA CHEGAMOS À MADEIRA?


O candidato a deputado à Assembleia da República pelo PND-M, José Manuel Coelho, pediu hoje o "afastamento compulsivo" do comandante da Zona Marítima da Madeira, Coelho Cândido, por alegadamente estar ao serviço dos "tubarões do jardinismo".Numa acção de campanha junto à Capitania do Porto do Funchal, José Manuel Coelho acusou o actual comandante da Zona Marítima da Madeira de estar ao "serviço dos grandes tubarões do regime jardinista e seus apaniguados" e de não cumprir a obrigação de zelar pelos interesses do Estado e da soberania portuguesa.Em causa está o respeito pelo domínio público marítimo sob a chancela da Marinha portuguesa que José Manuel Coelho considera não estar a ser imparcialmente defendida: "se for uma pessoa do povo a fazer uma barraca no domínio público marítimo, a Polícia Marítima vai logo em cima e deita abaixo, se for um tubarão do regime ou um seu alto dignatário pode construir à vontade que ninguém interfere".O candidato a deputado pelo PND-M dá o exemplo de um empresário que, sobre uma duna na praia da ilha do Porto Santo, "deitou abaixo uma casa e construiu uma outra com piscina a seu belo prazer" , tendo ainda apresentado o caso do complexo turístico-imobiliário da Quinta do Lorde, no Caniçal.Por isso, a nossa luta é pelo afastamento compulsivo do capitão do porto do Funchal que está ao serviço dos grandes senhores do regime jardinista e não está a defender o Estado e a soberania nacional como é seu dever", declarou.
Nota:Conforme a Cacine já anunciou não adianta muito ao Candidato tamanho esforço , pois o Comandante Coelho Cândido vai ser substituído pelo Comandante Amaral Frazão muito brevemente , em rendição normal

ESSE EXPRESSO!!!!!!



Exmo. Senhor
Dr.Henrique Monteiro
Director do Jornal “Expresso”

Estoril 20 de Agosto de 2009

Exmo. Senhor

A APE, Associação dos Portugueses no Estrangeiro, manifesta-se profundamente indignada e condena de forma veemente um artigo publicado no dia 18 de Agosto de 2009, no “Jornal Expresso”, assinado por Henrique Raposo. Trata-se de uma verdadeira afronta a todos os portugueses residentes no estrangeiro.
O “Três Portugais” é dos escritos mais ofensivos e grosseiros que nos recordamos alguma vez ter lido e é um flagrante exemplo do recalcamento obsceno de uma casta de pseudo-intelectuais deste País, que desprezam os tais 5 milhões de Portugueses que vivem fora de Portugal.
Conteúdos do tipo, “os emigrantes que regressam à pátria montados nas suas fanfarronas bombas de matrícula amarela”, “aquele Portugal do garrafão e do Graciano Saga incomoda” ou “nós rejeitamos os emigrantes porque eles nos fazem lembrar aquilo que queríamos esquecer: o atraso histórico de Portugal”, são reveladores de uma mentalidade salazarenta cuja linguagem, infelizmente, ao que parece ainda tem lugar em certos jornais portugueses.
Seria curial esperar-se que o sr. Secretário de Estado das Comunidades, perante uma investida desta dimensão, reagisse energicamente, através da sua assessoria de Imprensa, condenando a linguagem xenófoba de um jornalista que além de malcriado é ignorante. Mas não o fez como devia. Fazemo-lo nós.
A APE, Associação dos Portugueses no Estrangeiro, certa que está interpretar o sentimento de repúdio de milhões de portugueses emigrados solicita a V. Exa. que nos explique claramente o objectivo ou o alcance de tão vergonhoso artigo. A liberdade de Imprensa, conquistada, entre outras, com o 25 de Abril, não pode servir de desculpa ou justificação para um infame artigo com este teor.
Com os melhores cumprimentos
Comendador José João Morais
Para a Cacine , "Expresso só o café"

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

JÁ ERA

Demolição não apaga tragédia
"Às 20 horas de ontem - segundo as autoridades, para aproveitar as boas condições da maré, mas bem a tempo de aparecer na abertura dos telejornais -, as máquinas começaram a demolir o que restava do penedo que, na quinta-feira, desabou e matou cinco pessoas, na praia Maria Luísa, em Albufeira.
Dezenas de veraneantes prolongaram a praia, já depois do pôr-do-sol, para assistir e registar o momento em fotografias, mas também houve quem preferisse não assistir.
Vitoriano Cabrita, capitão de mar e guerra da Marinha Portuguesa, tem casa na zona e frequenta a praia há mais de 30 anos. Garante que já por diversas vezes alertou várias pessoas para o perigo de estarem demasiado próximo das arribas, mas "as pessoas não querem saber". "Faltam os cabos de mar da Marinha que, antigamente, impunham respeito", clama aquele oficial reformado, lamentando que o trágico acidente "não sirva de lição". Embora concorde com a demolição, o oficial sente-se "emocionalmente ligado à praia" e à rocha ontem parcialmente derrubada, pelo que preferiu não assistir ao trabalhos das três máquinas que, a pouco e pouco, desfizeram o penedo até uma dimensão considerada segura. Com um simples encosto, a rocha desfazia-se numa nuvem de pó. A memória não será apagada: o que resta servirá de registo e também de protecção à falésia."
Este "peneco" ainda existe, pois é de outra praia

HOJE

Veto Presidencial à nova lei das "Uniões de facto" , que era pior emenda que o soneto.

COISAS BOAS



"No início dos exercícios militares da CPLP, Felino 2009, na província de Maputo, em Moçambique, Paulino Macaringue disse que a doutrina comum, que considera imprescindível entre os países da CPLP, podem ser um passo para a afirmação da organização.
"Com métodos de actuação e procedimentos harmonizados, as forças armadas da CPLP estarão em condições de dar um melhor contributo em missões integradas no âmbito das Nações Unidas e outras organizações internacionais vocacionadas à promoção da paz e democracia no mundo", enfatizou Paulino Macarringue.
Os 10º exercícios militares da CPLP juntam 66 oficiais, sargentos e praças dos Estados membros da organização, para um programa de formação de cinco dias em matéria de recolha, gestão e disseminação de informação de comando para a intervenção em missões de paz e assistência em situações de crise humanitária.
Por seu lado, João Nobre, capitão de Mar e Guerra da Marinha portuguesa, que chefia a delegação das Forças Armadas de Portugal nos exercícios militares da CPLP, Felino 2009, afirmou que "a uniformização de procedimentos criados pela cooperação entre os exércitos da CPLP está a lançar bases para a possibilidade de uma força única da comunidade".
Para o oficial português, "a rotina dos exercícios militares está a gerar um potencial de entrosamento entre as forças armadas da CPLP, que pode ser usado como premissa para uma força da organização, caso seja essa a decisão política".
O chefe da delegação portuguesa apontou o intercâmbio de conhecimentos como uma das melhores práticas na actuação das forças armadas da CPLP, como uma das vantagens proporcionadas pelos exercícios militares.
"Este intercâmbio entre Estados que têm muito de comum, mas também muito de diferente permite que se partilhem experiências necessárias ao fortalecimento das forças armadas da CPLP", referiu João Nobre."


Se só forem os militares a meterem mãos à obra, acredito.

domingo, 23 de agosto de 2009

NO REINO de SEVERIANO

O "velho" Cabo telegrafista da Cacine entrou a bordo furioso e espantado.
Foi tirar analises ao sangue e perguntou à menina do laboratório do Dr. Joaquim Chaves , que tem acordo com a ADM(Militares):
Quanto me ficam pela ADM?
40.75 €
Como as credenciais também davam para a "caixa" tirou por aqui:
07.15€
Ora aí está. Digam lá ao Dr. Judice as nossas "regalias" e agradeçam ao ministro severiano

HOJE


NADA GOMES

NO REINO de SEVERIANO


"Matéria de Facto
A guerra entre a GNR e a MarinhaNo mar anda quem sabe! Somos testemunhas privilegiadas de uma ‘guerra’ entre a Marinha Portuguesa e a GNR, no que concerne ao controlo costeiro em termos de fiscalização e segurança.
As políticas socialistas têm sido de reforço e alargamento das competências (poder) da GNR. A Unidade de Controlo Costeiro da GNR tem a sua origem na Guarda Fiscal, que foi desmantelada, mas que foi alvo de descarregamentos de droga e contrabando junto aos seus grandes sistemas de vigilância costeira.
Tem razão a Marinha Portuguesa! Dar embarcações à GNR é o mesmo do que fornecer cavalos àqueles que há séculos usam embarcações e conhecem a nossa orla costeira, mas que nada sabem da arte de bem cavalgar.
Colocar os ovos (competências) todos no mesmo saco é pôr em causa o equilíbrio de poderes e a própria democracia; a GNR, instituição de valor, tem poderes a mais, não necessita de fiscalizar o Mare Nostrum.
A Autoridade Marítima presta um serviço público, respeitando e colaborando com a PJ, única instituição com poderes de investigação criminal e que tem os meios e o saber para prestar um serviço de qualidade.
Gonçalo Amaral, Ex-coordenador da PJ"

MARIA LUISA


"É a primeira praia a nascente da Marina de Albufeira e situa-se em plena malha urbana, no centro antigo de Albufeira. O acesso ao areal é feito através de um túnel escavado na arriba calcária, situado nas ruelas estreitas do centro turístico onde se multiplicam bares, lojas de artesanato e praças solarengas. O túnel dá acesso a uma enorme varanda sobre a praia, com esplanadas de onde se pode contemplar o mar. Para poente avistam-se os molhes da marina e a arriba alta onde se assoma uma linha de casario muito branco, com um miradouro que oferece uma fabulosa vista panorâmica sobre as praias de Albufeira e uma enorme escadaria que permite o acesso ao areal. Na base desta arriba é possível fazer um passeio pedonal contornando o maciço rochoso na direcção da marina, prestando a devida atenção à face da arriba, dada a possibilidade de ocorrerem deslizamentos de pedras. Um enorme leixão(*) de tons quentes deteve-se no areal, resistindo ao recuo generalizado da arriba e constituindo um elemento distintivo da praia, já que estas formações rochosas são designadas localmente por “penecos”. Trata-se duma praia de carácter urbano, muito frequentada.

Nota: Uma vez que existe a possibilidade de ocorrer desprendimento de pedras, recomenda-se atenção à faixa junto às arribas.

Acesso: Pedonal a partir do centro antigo de Albufeira, ou do miradouro em Albufeira Poente. Estacionamento ordenado. Equipamentos de apoio (restaurantes e WC) e vigilância na época balnear. Orientação: sul."
Nota:1-Graças a um velho lobo do mar e bom Amigo .
2-veja-se os avisos para o desprendimento de pedras, neste caso para a praia do túnel.

AINDA LÁ ESTÁ


Passei por lá faz pouco.
Não é que visse lá o homem a trabalhar, mas disse-me o porteiro que ele ainda era governador

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

HOJE

Acidente na praia Maria Luisa, Albufeira , com o desmoronamento da falésia(?) ou parecido.
5 mortes e algo que se não explica , a não ser pelo que esses autarcas andam a deixar fazer nos terrenos proximos das praias e outros responsáveis com esporões duvidosos , movimentação de areias , etc. Por mais que queiram a natureza é quem mais ordena

BOM EXEMPLO



"DOGS, not recession or unemployment, are the biggest problem facing Denmark this summer, or so you would think from all the fuss about them. At his Liberal party’s summertime get-together on the Faroe Islands, the prime minister, Lars Lokke Rasmussen, solemnly promised a new law to ban aggressive breeds of dog. "We don’t want a society", he said with furrowed brow, "where you cannot go walking with your child or your poodle without risking an attack."[...]"
The Economist

FRUIT SALAD


Um grupo de 20 fuzileiros portugueses vai integrar, a partir de Outubro, a unidade que faz a protecção dos militares portugueses que estão a assessorar batalhões do Exército afegão.
Segundo a Marinha Portuguesa, em declarações à Lusa, esta é a primeira vez que fuzileiros portugueses estão no Afeganistão como «Force Protection».
O segundo comandante da Escola de Tropas Comandos, tenente-coronel Gonçalves Soares, revelou que dos 40 militares que fazem parte da próxima unidade «Force Protection», metade serão fuzileiros, que estão a ser treinados pelos comandos portugueses, na serra da Carregueira, em Sintra.
«A Marinha vai avançar com os fuzileiros mas somos nós [comandos] que os estamos a treinar e numa primeira fase vai ser metade metade, 20 comandos e 20 fuzileiros», afirmou Gonçalves Soares.
Segundo o porta-voz do chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA), comandante Ramos de Oliveira, as unidades de protecção de força são habitualmente desempenhadas por comandos, mas no futuro poderão vir a ser constituídas apenas por fuzileiros.

BOM EXEMPLO

Este Cavalheiro é novo de idade , presume-se que esteja sem limitações intelectuais ou fisicas , e é Juiz de direito.
Se é , e como todo o mundo se queixa da falta de juizes , porque não exerce , num tribunal , que é para isso que é suposto servir a coisa pública?
Pois não senhor. Está num "tacho" , preside ao "Observatório de segurança das estradas e das cidades".
Pergunta o parvalhão do contribuinte: Para este lugar não havia mais ninguém? Nem que fosse um militar na reserva, que não fazia falta(dizem) a ninguém......
E os juizes ainda se andam para aí a chorar , com todas as benesses que auferem , incluindo os vários tachos que vão arranjando.
Já agora
...chama-se Nuno Salpico

OS PROXIMOS 230


"O menino Eleutério fica reprovado no exame de francês. O partido deita-lhe logo o olho. O menino Eleutério, continuando a sua bela carreira política, fica reprovado no seu exame de História. O partido agita-se e acena-lhe com um lenço branco. O caloiro Eleutério fica reprovado no 1º ano da Faculdade, o partido exulta e quer a todo o transe ter com ele umas falas. O sr. Eleutério sofre chumbos sucessivos. O partido não pode conter o júbilo. Fazem dele deputado! E a opinião aplaude.”
Os pais do menino Eleutério, orgulhosos e comovidos, com um sorriso embevecido, disfarçam uma lágrima teimosa. Aliviados, podem finalmente descansar…
Durante alguns anos de subserviência ao partido, sem qualquer ideia, sem palavras e sem convicções, o menino Eleutério terá direito a um bom ordenado, ajudas de custo (ao dia, ao quilómetro e ao segundo), despesas de representação (ignora-se de quem) viagens em 1ª classe (dobradas, desdobradas e redobradas), etc. Ao fim de algum tempo, exausto e contundido pelo enorme desgaste causado pelos berros, insultos, impropérios e até dizem por punhadas e safanões, o menino Eleutério poderá, com sorte e contínua protecção, chegar a Secretário, talvez a Ministro ou mesmo Presidente do Governo.
O menino Eleutério gosta de publicar escritos. É afinal como as crianças sentadas ao piano que martirizam as teclas pelo prazer do barulho, sem qualquer intenção de fazer música. Percebe-se que não pretende nem formar nem informar. Só pretende justificar-se e desentorpecer os dedos."

COISAS BOAS

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

HOJE

Bolt. Campeão e record mundial , dos 1oo(5.58 seg) e 200 (19.19 seg)

Não sei que diga.....

HOJE

A bela Blanca
Campeã do Mundo , 2.06 mts
É obra

A PREPOTENCIA


"Fechamos às cinco". Foi assim que a juíza Sharon Keller - apelidada de "Sharon Killer" - respondeu ao recurso de última hora de um presidiário no corredor da morte contra a sua execução no Texas. A juíza foi para casa mais cedo e Michael Wayne Richard, acusado da violação e homicídio de uma enfermeira em 1986, acabou por morrer três horas depois por injecção letal de um cocktail de três drogas. A juíza começou esta semana a ser julgada por má conduta profissional. À quinta acusação de falha profissional, arrisca-se a ser despedida do cargo de juíza-presidente do Tribunal de Recurso do Texas. Os advogados ligaram a avisar que estavam com problemas informáticos e precisavam de mais tempo para apresentar o recurso. Iam interpor um último apelo porque, naquele dia, o Supremo Tribunal dos EUA tinha anunciado que ia avaliar a constitucionalidade do método de injecção letal. Às 16h45, o tribunal fez uma chamada para a juíza a perguntar se podia receber o apelo mais tarde. Ela disse que não. Às 17h56, a advogada de Richard ligou a dizer que o recurso de 31 páginas estava pronto. "Vou a caminho". Ouviu: "Não se incomode, já estamos fechados".
Às 20h23, Richard tornou-se o 405.º prisioneiro executado no Texas.
Nota:Salvo as devidas proporções, como a pena de morte e a execução , quantas vezes terá isto sucedido por cá.? Só que ninguém se queixou e se o fez nenhum juiz é punido.Mas a prepotência é a mesma

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

ALGUÉM ME EXPLICA?



REGIME REMUNERATÓRIO DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS
O Governo elaborou um novo diploma relativo ao Regime Remuneratório dos
Militares das Forças Armadas o qual foi aprovado, na generalidade, no Conselho de
Ministros de 05 de Agosto de 2009.
O Comando do Exército, em estreita coordenação com os outros Ramos, enviou à
tutela várias propostas e pareceres salientando que o sistema remuneratório, constitui,
como estabelece a Lei de Bases da Condição Militar, uma parcela do conjunto de
“especiais direitos, compensações e regalias” atribuídos aos militares das Forças
Armadas, como expressão pública do reconhecimento da Nação, formulada pelos seus
legítimos representantes, da importância e relevância da Instituição Militar na
organização do Estado.
O presente diploma, agora aprovado em Conselho de Ministros, constitui,
essencialmente, a regulamentação da transição de um sistema retributivo baseado em
índices para um sistema baseado em posições e níveis remuneratórios.
Este diploma harmonizou, à excepção das Praças, as remunerações base dos
militares das Forças Armadas e da GNR e procurou solucionar algumas distorções que
se verificam no actual regime remuneratório, designadamente, as que respeitam à
existência de sobreposições indiciárias dentro de algumas categorias e postos. Esta
solução traduziu-se num aumento percentual efectivo com expressão nas categorias de
Sargentos e Praças.
O diploma confirma a actualização do Suplemento da Condição Militar nos moldes
já aprovados pelo Decreto-Lei 50/2009, de 27 de Fevereiro.
Por último, actualiza a tabela das Despesas de Representação dos militares
titulares de determinados cargos ou funções, com a ampliação do universo abrangido
pelos cargos de direcção superior de 2º grau e a inclusão de cargos de direcção
intermédia de 1º grau, o que estende este abono aos Directores das Direcções, aos
Comandantes das unidades tipo Regimento, aos Chefes de Divisão do Estado-Maior
do Exército, aos Chefes de Gabinete e de Estado-Maior dos OCAD e aos 2º
Comandantes de Brigada e Zonas Militares e respectivos Chefes de Estado-Maior.
Prevê-se a entrada em vigor do diploma a partir de 01 de Janeiro de 2010.
Apresenta-se em anexo uma comparação das tabelas remuneratórias do actual
Sistema Retributivo (por índices) e do novo diploma (por níveis).
Está em vias de aprovação um conjunto de suplementos remuneratórios
específicos, conferidos em função das particulares condições de exigência
relacionadas com o concreto desempenho e exercício de cargos e funções que
impliquem penosidade, insalubridade, risco e desgaste, cuja publicação permitirá
minorar as assimetrias, relativamente à GNR, em especial nas categorias de Sargentos
e Praças.
De referir, por último, que o Comando do Exército continua a sublinhar que a
recuperação da equidade externa do sistema remuneratório dos militares das FFAA,
relativamente às profissões e categorias profissionais que no passado constituíram
referência para esse efeito, continua a ser o seu principal objectivo, no sentido de se
garantir:
􀂃 A valorização social da carreira militar;
􀂃 O desenvolvimento de carreiras estabelecido no Estatuto dos Militares das
Forças Armadas;
􀂃 A minimização das assimetrias salariais que, ao longo dos tempos, se foram
ampliando, relativamente às “Carreiras de Referência”.
Pelo que chegou à cabine TSF da Cacine os aumentos propostos são:
CEMGFA..........8.02%
V/ALM.............8.87%
C/ALM.............1.18%
Cap.m.g............1.08%
Cap.Frag..........2.41%
Cap.Ten...........0.86%
1º Ten..............4.47%
2º Ten..............4.80%
g.m...................3.12%
Asp..................12.71%
Sar.Mor........... 2.82%
Sar.Chefe........ 8.83%
Sar.Ajud.......... 10.38%
Podiam-mo explicar? , como diria Solnado?


OS PROXIMOS 230

Nº 1 , por Lisboa.

Filha e neta de Almirantes, como disse Paulo Portas anunciando-a como Secretária de Estado da Defesa , e que afinal não foi.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

CAÇA AO RICO


(Mt 19, 23-30) Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Em verdade vos digo: Um rico dificilmente entrará no reino dos Céus. É mais fácil passar um camelo pelo fundo duma agulha do que um rico entrar no reino de Deus».

"Cumpra-se.
a) José Sócrates"

OS PROXIMOS 230


Nº 1 , por Aveiro , já na casa dos 60´s.
Mas andou cá pela briosa, pelo que se espera que não deixe fazer as bacoquices do costume

OS PROXIMOS 230


Por Braga? Será que já lá foi?

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

TOUR de FRANCE

1940


´THE SUMMER TIME

click me, please

OS PROXIMOS 230


Por Faro? Só se fôr por ir ao Vau tomar uns banhos

TIREM-ME DAQUI


Já não sei qual foi o intelectual , e de esquerda para não variar , que disse que se não ía à praia de smoking nem a um jantar de fato de banho. E isto a propósito , e discordando , do retrato de Mario Soares executado por Pomar estar na galeria dos Presidentes , no Palácio de Belém.
De facto o estar :
1-Desprestigia o pintado e o pintor
2-Descaracteriza a galeria
3-Faz do sério brincadeira.
Dá-me ideia que a maioria concorda , mas quem o tira de lá?
Repare-se que não se pôe em causa a arte e a tecnica do quadro, que é excelente e mesmo o informalismo , que é genuíno , do retratado(Soares veste muito bem e aqui não parece, mas enfim...).
Merecia de facto estar em outro local. Talvez um dia na Fundação Pomar , ou na Fundação Mario Soares!!!!!!

domingo, 16 de agosto de 2009

O NÃO PROXIMO 230

Este Cavalheiro , dá-me a ideia , que nem sabe bem a sorte que teve , em ficar de fora das listas do PSD.
1º -Porque ganha uma força ,que jamais teria, se o PSD perder.
2º- Porque, hoje em dia, ser-se capaz e não pertencer aos 230 é curricularmente saudável

sábado, 15 de agosto de 2009

NO COMMENTS



Outra parte da carta:
"A 13 de Setembro de 2008, o Diário da República consagrou a alteração do pacto social da Imexco, por decisão dos seus sócios. Estes são os Srs. Salim Firojali Hassam e Faizal Samsudin Alybay Ussene (ambos de nacionalidade portuguesa), os generais António dos Santos Neto (actual presidente do Tribunal Supremo Militar) e João Maria Moreira de Sousa (actual Procurador-Geral da República, "na foto"). Essa decisão respeita o Artigo n° 13, dos estatutos da Imexco sobre a representação de todos os accionistas na Assembleia-Geral da empresa, cujas decisões são obrigatórias e vinculativas. 6 Em resumo, ambos generais e magistrados representam-se a si próprios na Assembleia-Geral da Imexco, uma empresa ligada aos sectores imobiliário, de investimentos, importação e exportação.
Excelência,
A actividade empresarial do titular do cargo de Procurador-Geral da República, o General João Maria Moreira de Sousa, não se esgota na Imexco. A 1 de Dezembro de 2008, em sociedade com a Construtel – Construções e Telecomunicações e o Sr. João Raimundo Belchior, o referido general, enquanto magistrado, estabeleceu a empresa Construtel Serviços Limitada, cujo objecto social inclui a prestação de assessoria jurídica, consultoria e auditoria.7 Nessa empresa, de acordo com o Artigo 7° do seu pacto social, os sócios constituem a Assembleia-Geral dos seus órgãos sociais.8
Na Deljomar Limitada, o General João Maria Moreira de Sousa, enquanto magistrado, faz parte da Assembleia-Geral, em obediência ao Artigo 9° dos seus estatutos. A Deljomar presta serviços de consultoria não especificados intervindo, também, na construção civil, comércio geral, exploração mineira, etc. Com quotas iguais a do Procurador-Geral da República, fazem parte da referida sociedade comercial os Srs. Delfim de Albuquerque e Mário Albuquerque.9
Todavia, é na Prestcom – Prestação de Serviços e Comércio Geral Limitada, que o General João Maria Moreira de Sousa, enquanto magistrado, exerce a função de gerente, conforme o estatuído no Artigo 7° da referida sociedade comercial e legalmente reconhecida pelo Ministério da Justiça.10 Na Prestcom, uma empresa vocacionada ao comércio geral e à prestação de serviços não especificados, o actual Procurador-Geral da República partilha a sociedade com o compatriota Mário Alberto Paulino e o Sr. Moussa Thiam, de nacionalidade Maliana. "

NO COMMENTS



"Ademais, como pode, o Procurador-Geral da República estar directamente envolvido, no foro privado, na prestação de assessoria jurídica, consultoria e serviços não especificados? Porquê Sua Excelência, o Sr. Presidente da República, não exerce autoridade para pôr termo aos abusos de poder e de confiança depositados em servidores públicos como o General João Maria Moreira de Sousa?

Ao nível da administração do Estado, o caso do Procurador-Geral da República deve ser visto no quadro de uma prática generalizada aos mais altos níveis do Governo, Forças Armadas Angolanas, Polícia Nacional, Assembleia Nacional e da Presidência da República. Essa prática, conforme dados oficiais que tenho recolhido nos últimos três anos, para a análise académica da economia política de Angola, revelam a efectiva privatização do Estado para benefício exclusivo dos dirigentes, suas famílias, associados estrangeiros e apoiantes.

Todavia, a arrogância com que o Procurador-Geral da República desrespeita a Lei Constitucional e legislação afim ridiculariza, sobremaneira, a seriedade das instituições do Estado, sobretudo a justiça, pois este tem a função de exercer “o controlo da legalidade, de forma a que a lei seja respeitada pelos organismos de Estado e entidades económicas e sociais, em geral, utilizando o mecanismo de protesto, se necessário (…)."


Parte da carta do jornalista Rafael Marques(foto) ao Presidente da Republica de Angola

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

OS PROXIMOS 230

É indecente , estar cá tão em baixo , por Lisboa.

Afinal a Zezinha fez o mesmo que ela e vai lá em cima.

OS PROXIMOS 230

A maior estrela!!!!!

Passou até à frente de Ministros e de dinossauros.......

Será Ministra , de palavra de honra , num governo PS

Vai em número 3 , pelo Porto