Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 10 de novembro de 2009

CARTAS AO PAI NATAL


"Pai natal:
Quando voares nos céus da minha Pátria
Quando aterrares as renas nas planícies do meu País
Lembra-te desta carta, pedido singelo
De um homem que só para a Pátria pede
Para si... Nada quis.
Se o nevoeiro que levou D. Sebastião
Te fizer perder o rumo e baralhar o norte
Segue o cheiro a verde pinho
Ouve a minha trova no vento que passa
E chegarás às chaminés do meu país
Pátria desafortunada. Sem euros. Má sorte.
Numa das chaminés de Lisboa
Sentirás o odor e verás o fumo negro da traição
Que o teu trenó sobre ela paire.
Ass: Manuel Alegre (poeta , reformado da RDP , ex deputado, ex candidato , opositor)

Sem comentários: