Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

HORRIBILIS

Quausque tandem Silva abutere patientia nostra?

ADEUS AMIGO

Eduardo. Tão cedo e tão depressa , meu Caro.

Um abraço , por todo esse caminho em que nos cruzamos, e certamente pelo reencontro que teremos

FINALMENTE

Até que enfim, porra!!!!

Resta saber se fica cá!!!!!!!!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

E VIVA O SOCIALISMO

Defesa dá cargo a ‘girl’ socialista
Gabinete do ministro confirma mudança no cargo em Janeiro. Augusto Santos Silva vai nomear para o cargo de secretária-geral Maria Isabel Pereira Leitão, amiga e apoiante de Marcos Perestrello à FAUL.
O ministro Augusto Santos Silva vai nomear uma ‘girl’ (feminino inglês de ‘boy’) do PS para o cargo de secretária-geral do Ministério da Defesa, uma das funções mais importantes na organização interna deste ministério. Ao que o CM apurou, Maria Isabel Pereira Leitão, amiga e apoiante de Marcos Perestrello na eleição deste ano para a liderança da FAUL – Federação da Área Urbana de Lisboa do Partido Socialista, irá desempenhar o cargo a partir do próximo mês de Janeiro e já se terá mesmo reunido com José de Barros, o actual titular dessa função.
O gabinete do ministro da Defesa confirma que o actual secretário-geral "se aposenta no final de 2010 e será substituído", mas não confirma nem desmente que Maria Isabel Pereira Leitão irá liderar, a partir do próximo mês de Janeiro, a Secretaria-Geral do Ministério da Defesa. A indicação de Maria Isabel Pereira Leitão, que transita de uma entidade tutelada pelo Ministério da Agricultura, para exercer este alto cargo foi proposta a Augusto Santos Silva, segundo fontes conhecedoras do processo, pelo próprio secretário de Estado da Defesa.
Marcos Perestrello tem relações próximas com a família Pereira Leitão: no primeiro Governo de José Sócrates, o actual governante e presidente da FAUL integrou o gabinete do então secretário de Estado da Administração Interna, Ascenso Simões, com o coronel do Exército Joaquim de Sousa Pereira Leitão, marido de Maria Isabel e actual comandante do Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa. Perestrello chefiava o gabinete de Ascenso Simões, e Pereira Leitão era responsável pela realização de estudos e acompanhamento do Plano Nacional de Defesa da Floresta Contra Incêndios, como refere o seu currículo. É também na área das florestas que Maria Isabel Pereira Leitão exerceu funções públicas no último ano: desde 1 de Dezembro de 2009, esta técnica superior, que é licenciada em Economia, ocupa a vice-presidência da Autoridade Florestal Nacional do Ministério da Agricultura. Foi nomeada por António Serrano, ministro da Agricultura.
CORTE DE VERBAS SUPERIOR A 69 MILHÕES DE EUROS
Os gabinetes dos membros do Governo e os Serviços Centrais de Suporte (SCS) vão ter um corte acima de 69 milhões de euros no orçamento para 2011. Só nas despesas com pessoal, a redução orçamental ultrapassa os 14,5 milhões de euros, ao ter uma quebra de 100 milhões de euros para 85,5 milhões de euros.
Ao todo, a verba orçamentada para o funcionamento dos gabinetes e do SCS ascende a 440,8 milhões de euros, uma diminuição superior a 69 milhões de euros em relação aos cerca de 510 milhões de euros orçamentados para este ano.
António Sérgio Azenha

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

HIP HIP URRA

Os Militares com este ministro (legenda da foto)

Para o ano não vamos ser assim. Vamos , ao menos , cantar...nem que seja as janeiras!!!!

Bom Natal para todos os que nos visitam , nos apoiam e nos acompanham .

A "ele" , como cristãos , também desejamos um Santo Natal...mas não Bom Ano.

E VIVA O SOCIALISMO


domingo, 19 de dezembro de 2010

FIM de ANO

Farol da Gibalta.

Futuro gabinete do CEMA, quando este ministro vender todo o nosso património

MERRY CHRISTMAS


“Ao Comando e à guarnição do N.R.P. “Cacine”, os meus votos de Boas Festas e de um Novo Ano a ultrapassar a crise, com Ventos Favoráveis e Mar de Feição, com um abraço do NC.”

Mensagem de Natal de um Almirante e Chefe de um bravo curso, que muito nos honra.

Agradecemos , pouco antes de partirmos para mais um cruzeiro sul , pedindo ao Senhor Almirante que transmita a todos os Oceanos as nossas Boas Festas e muita amizade


Nota: Avistada içada  a bandeira "Kilo", precedida do penant , que significa "tenho uma comunicação a fazer", e que registamos com gosto , dirigida ao nosso Comandante 

sábado, 18 de dezembro de 2010

SUB


O ministro da Defesa, Augusto Santos Silva, adiantou hoje que a recepção provisória do segundo submarino comprado à Alemanha terá lugar nos estaleiros de Kiel a 22 de Dezembro, numa cerimónia onde estará o chefe do Estado-Maior da Armada.
"Está acertado com o consórcio fornecedor que a recepção provisória do submarino Arpão se verificará nos estaleiros de Kiehl no próximo dia 22 de Dezembro", disse Santos Silva à agência Lusa, durante uma visita às tropas portuguesas no Líbano.

Santos Silva referiu ter delegado funções no almirante Saldanha Lopes, actual CEMA, e no director-geral de Armamento e Equipamentos de Defesa, vice-almirante Viegas Filipe, que estarão presentes na cerimónia de passagem de bandeira alemã para portuguesa.

A partir desse momento, os 33 militares portugueses que constituem a sua guarnição assumem o comando do submarino.

Já sobre a chegada do Navio de Patrulha Oceânico "Viana do Castelo", Santos Silva referiu estar a ser "fixada uma data entre o Natal e o Ano Novo para a recepção provisória para a Armada" do navio.

nota:Sobre o último parágrafo o inefável ministro ainda não teve tempo de fazer os cálculos da data em que não tem reunião de condóminos ou estar sentado no Parlamento ou estar a magicar ideias para lixar os militares

SUB ´s YET


Ana Gomes vai entregar à Comissão Europeia uma queixa sobre o contrato de aquisição de dois submarinos para a Marinha portuguesa.
No gabinete do Parlamento Europeu, em Portugal, a eurodeputada apresentará em conferência de imprensa os detalhes dessa queixa, que será entregue na segunda-feira, não tendo hoje, no Porto, adiantado qualquer pormenor sobre a mesma.

Já em Março, Ana Gomes tinha considerado “corrupto” o negócios dos submarinos, desafiando o Governo de Sócrates a cancelar o contrato, sobretudo num momento de contenção orçamental. Numa entrevista à Rádio Renascença nessa altura, a eurodeputada defendeu que a Comissão Europeia deveria abrir um inquérito a este negócio que foi preparado pelo Governo liderado por Durão Barroso e pelo então ministro da Defesa, Paulo Portas.

Num texto no blogue “Causa Nossa”, Ana Gomes dizia também que não faltavam argumentos ao Estado português para denunciar o contrato em defesa dos interesses nacionais e lembrava que a aquisição dos submarinos foi preparada pelo Governo liderado por Durão Barroso, numa negociação conduzida pelo então ministro da Defesa Paulo Portas. A eurodeputada escrevia também que o negócio envolveu “um preço grotescamente inflacionado” à custa dos contribuintes.
Nota:Quem a largou que a aguente, segundo um colega seu, do MNE e socialista, que lhe chamou Rottweiller

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

ÀS ARMAS


Ministro da Defesa Nacional confere posse ao Conselho da Saúde Militar

 O ministro da Defesa Nacional, Augusto Santos Silva, confere posse aos membros do Conselho da Saúde Militar (COSM), no dia 21 de Dezembro, pelas 11h00 no Salão Nobre do Ministério da Defesa Nacional.

O COSM é um órgão colegial na dependência directa do ministro da Defesa Nacional que tem por missão contribuir para a concepção, definição e coordenação das políticas de saúde militar, acompanhar a sua execução e proceder à articulação com o Serviço Nacional de Saúde e com outros organismos congéneres do Estado.
O COSM foi criado pela Lei Orgânica do Ministério da Defesa Nacional (artigo 23º do Decreto-Lei nº 154-A/2009, de 6 de Julho) e posteriormente regulamentado pelo Decreto-Lei nº 58/2010, de 7 de Junho, que define a sua composição e atribuições, bem como as normas relativas ao seu funcionamento, orçamento e pessoal.
Tomarão posse como membros do COSM: Major-general José Nunes Marques, em representação do ministro da Defesa Nacional, que preside; Engenheiro Cirilo Garcia Lobo, em representação do Ministro de Estado e das Finanças; Dr. José Robalo, em representação da Ministra da Saúde; Major-general António da Silva Graça, em representação do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas; Contra-almirante médico naval Eduardo Castro Martins, em representação do Chefe do Estado-Maior da Armada; Major-general Joaquim Lopes Henriques, em representação do Chefe do Estado-Maior do Exército; Major-general médico José Gouveia Duarte, em representação do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea; Dr. Alberto Rodrigues Coelho, em representação da Direcção-Geral de Pessoal e Recrutamento Militar do Ministério da Defesa Nacional; Coronel médico Manuel Castro Alves; Coronel FARM Armando Granadeiro Vicente.
Nota: com tantos civis , admira não haver representantes dos Partidos Políticos e , já agora, da UGT e CGTP
Nota 2: Os ramos da Forças Armadas são 3, que se saiba. Mas aqui há 1 Homem da Marinha, outro da Força Aérea, e 5 do Exército. Será que eu sei fazer contas?

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

ADEUS AMIGO

Ainda outro dia, quê 3 semanas ?, nos encontrámos ao almoço e demos aquele abraço.

Você estava óptimo e belissimamente bem disposto.

Fico triste com esta notícia, que me apanhou em cheio agora mesmo

Acontece!

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

PARABENS


BARCO À VISTA

INFORMAÇÕES SOBRE A MARINHA PORTUGUESA
O presente blog tem por escopo permitir a consulta de dados de natureza técnica das principais unidades da Marinha de Guerra Portuguesa.
Este magnífico blog ultrapassou os 100000 visitantes.
É obra!!! e um bom serviço à nossa Marinha

LES BÉVUES

'état-major de la Marine nationale est à louer et les investisseurs intéressés par le superbe immeuble de la place de la Concorde ont jusqu'au 17 janvier pour répondre à un appel à projets lancé en prévision du déménagement de l'EMM. Les marins doivent, en effet, quitter la Rue Royale pour rejoindre le nouvel immeuble où le ministère de la Défense compte regrouper ses composantes parisiennes. Installé à Balard, dans le 15ème arrondissement de la capitale, le « Pentagone à la française », ou « Balardgone » comme on le surnomme chez certains militaires, devrait être opérationnel, au mieux, en 2014. A cette date, les marins devront avoir quitté l'Hôtel de la Marine. Classé monument historique, l'immeuble devrait faire l'objet d'un bail de 60 à 80 ans, rapportent nos confrères du journal Le Télégramme.
Considéré comme l'un des chefs d'oeuvre de Jacques-Ange Gabriel, architecte de Louis XV, l'Hôtel de la Marine a été édifié de 1757 à 1774 pour servir de garde-meubles de la Couronne. Doté d'une façade identique à celles des hôtels Crillon et Coislin, dont il est séparé par la rue Royale, le bâtiment abrite le haut commandement de la marine française depuis 1789. A ce jour, près de 1000 personnes y travaillent, dont 200 civils. L'édifice compte 552 pièces et une surface habitable de 24.000 m2.


Nota:Quando "ele" ler esta notícia vai a correr ao Terreiro do Paço

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

MAS O QUE É ISTO?



Negócio complexo por envolver navios já vendidos à Marinha, mas que renderá pelo menos 50 milhões  de euros por unidade

O Estado autorizou a entrega à Nigéria do segundo navio de patrulha oceânica (NPO) destinado à Marinha, que cederá depois o que receber dentro de algumas semanas, soube o DN. A concretizar-se, "será um negócio complexo" que renderá aos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC) pelo menos 50 milhões de euros por navio, admitiram duas das fontes. Uma terceira fonte afirmou que o montante será superior.
A complexidade do processo, por ser material militar, resulta ainda de a venda dos NPO (os patrulhões) à Nigéria envolver os que estão contratualmente destinados à Marinha, o que implica rever esse contrato entre o Estado e os ENVC, confirmaram diferentes fontes.
A proposta da Nigéria foi apresentada após a visita aos ENVC do respectivo ministro da Defesa, no Verão. Na mesa estava a aquisição de quatro NPO, número reduzido para duas unidades quando os estaleiros disseram quanto custaria cada uma. Segundo fonte governamental, "está em aberto se serão dois ou quatro" os navios a vender à Nigéria.
Mas "a pressa" da Nigéria em ter os navios - e a necessidade dos ENVC, leia-se o próprio Estado, em fechar o negócio - "esbarra" no facto de os NPO em fase final de construção estarem vendidos à Marinha (que tem ainda mais urgência em os receber).
Fontes civis e da Armada coincidiram em dizer como o negócio pode evoluir: o primeiro NPO - o Viana do Castelo, em testes de mar - é entregue à Marinha nas próximas semanas e o segundo - o Figueira da Foz - é vendido à Nigéria. Posteriormente, a Armada "não se importaria" de ceder o Viana do Castelo à Nigéria quando a produção dos NPO seguintes estivesse já na sua fase final.

NOTA: Quando se diz"Estado" quer-se dizer quem?

LEILÃO REAL

O primeiro leilão da Trocadero realizado entre quinta-feira e sábado passado transaccionou 300 mil euros, embora não tenham sido vendidas as peças mais valiosas, nomeadamente uma escultura de D. Luís em mármore de Carrara, disse esta segunda-feira fonte da leiloeira.

Pedro Ataíde, da Trocadero, afirmou que o leilão «teve uma grande adesão do público, tendo-se vendido 60% dos 1700 lotes que foram à praça, e a preços superiores à base de licitação».


O leilão decorreu em quatro sessões mas não foram vendidos alguns dos lotes mais valiosos como uma escultura em mármore de Carrara representando o Rei D. Luís, ainda infante, envergando farda de comandante da Marinha, de autoria de Cesare Sighinolfi (1835-1903).

«Esta escultura pertence a uma série escultórica que existe no Palácio da Ajuda e foi oferecida pelo Rei à sua amante, a actriz Rosa Damasceno», disse Pedro Ataíde.

Da colecção de Rosa Damasceno também não foi vendido um retrato a óleo de D. Luís, de autor flamengo, e o vestido que lhe ofereceu a Rainha Maria Pia.

Também um contador indo-português do século XVII em teca, sissó e embutidos em marfim, que foi à praça por 45 mil euros, não foi rematado.

O último estudo de Ernesto Condeixa para o retrato oficial de D. Carlos, que actualmente se encontra no Palácio das Necessidades (Lisboa) e que também foi a leilão, «está reservado», disse Pedro Ataíde.

Nenhum dos lotes não rematados voltará à praça, garantiu Pedro Ataíde que adiantou que o próximo leilão da Trocadero, «igualmente eclético», acontecerá em finais de Janeiro.

POIS


Carlos César, presidente do Governo Regional dos Açores, tornou-se o ilustrativo exemplo de como a política, quando já se julga que não pode descer mais baixo, ainda tem mais um degrau para descer no mundo da amoralidade. Os subsídios aos funcionários atingidos pelos cortes nos vencimentos, que segundo ele não ultrapassam três milhões de euros, nem chegam a ser uma medida populista.
Atingem um núcleo restrito de técnicos superiores, chefes de divisão, directores e subdirectores, nos quais se incluem naturalmente o contingente dos seus mais leais serviçais políticos. Os ‘boys’ de César. Não tem a ver com ultraperiferia nem com a atracção de novos quadros, como alguém argumentou, pois não vai surgir desta decisão cesarista um movimento migratório de quadros técnicos para os Açores. Tem apenas a ver com ambição e perfil de quem nos governa. Tido como um dos eventuais substitutos de Sócrates, o que daqui resulta é que quer atingir Sócrates. Não pela criação de uma política nobre, mas à cotovelada.
O subsídio de César não foi para os funcionários pobres das ilhas. Foi para aqueles que mais ganham, e ao mesmo tempo um valente pontapé no Governo central do seu Partido. Em nome dos Açores? Não. Em nome da Autonomia? Não. Em nome dos interesses estratégicos de César. Um general que não alimenta as tropas corre o risco de deserções.
A sua decisão não foi apenas uma afronta ao Governo da República. É um escárnio sobre os funcionários que nas mesmas condições, em zonas mais pobres do que os Açores, estão comprometidos com o apertar do cinto orçamental. É o desprezo absoluto pela política nacional por troca com os prémios de jogo que decidiu pagar às suas clientelas regionais. Diz que este ano a massa resulta de umas obra num campo de futebol que não se farão. E para o ano? E para o ano seguinte? É claro que acabarão por pagar aqueles que viram no resto do país os seus salários cortados. Não admira pois que esta mediocridade moral nem consiga receber o apoio do seu Partido.
É levar demasiado longe o caciquismo. Aos limites do vómito. Porém, regozija-se o Bloco de Esquerda, o símbolo maior do refilanço pré-juvenil com e sem causas. E…. Manuel Alegre! É doloroso ver um candidato a Presidente da República preso a esta imundície moral por necessidade de votos. Dirão alguns que é coisa menor comparando com os muitos milhões do BPN e de outros imbróglios afins. Seria verdade se o dinheiro fosse a medida de todas as coisas. Mas não é. A maior das medidas é o sentido de Pátria, assumida com elevada responsabilidade e rigor. E isto César não sabe o que é.

Francisco Moita Flores

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

SABIAM?


ANTIGAS ORDENS MILITARES
Chanceler
General Vasco Joaquim Rocha Vieira, Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo
Vogais
General José Lemos Ferreira, Grã-Cruz da Ordem Militar da Torre e Espada
Major-General Heitor Hamilton Almendra, Oficial da Ordem Militar da Torre e Espada
Embaixador Leonardo Charles de Zaffiri Duarte Mathias, Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo
Prof. Engenheiro Ricardo Manuel Simões Bayão Horta, Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo
Almirante Nuno Gonçalo Vieira Matias, Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis
Tenente-General Fernando João de Jesus Vasquez, Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis
Actor Ruy de Carvalho, Comendador da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada
Prof.ª Doutora Maria Helena Farmhouse da Graça Mira Mateus, Oficial da Ordem Militar de
Sant'Iago da Espada

ÁS ARMAS

A comissão representativa dos Oficiais da Armada que se reuniram no passado dia 9 no Clube Militar Naval , foi hoje à tarde recebida pelo Almirante CEMA.
Pela cara dos cavalheiros, que apanhamos de binóculo, pareciam muito satisfeitos.


Lá vem a Nau Catrineta,
que tem muito que contar!
Ouvide, agora, senhores,
Uma história de pasmar."

domingo, 12 de dezembro de 2010

ÁS ARMAS


Confrontado com uma manifestação de protesto em frente ao edifício do MDN realizada
pelas ANS e AP no passado dia 9 de Novembro, pelas deficientes carreiras, pela perda da
qualidade da Saúde Militar, pelas anomalias persistentes no sistema retributivo, o Ministro Santos
Silva declarou aos jornalistas que sobre essas matérias só tem que falar com os chefes militares!
Conforme notícias publicadas na semana passada, confrontado com a insatisfação dos
chefes militares pela forma como está a decorrer a suposta reforma da Saúde Militar, e de novo
questionado pelos jornalistas, respondeu que sobre essa matéria só fala com o CEMGFA.
Pelos vistos a parte com quem o Ministro dialoga varia conforme as conveniências,
objectivos a atingir, mas sobretudo com quem não protesta ou demonstra mal-estar. Pelo rigoroso
e estrito cumprimento das Leis é que não é!
Pelo que a seguir se relata, gostaríamos de perceber com quem é que o Ministro dialogou.
Com os chefes militares e com o CEMGFA pelos vistos não terá sido! Mas passemos ao assunto:
Para além da vergonha que se arrasta há dezenas de anos com uma carreira
permanentemente sonegada, o congelamento e redução dos vencimentos, o lesar da Condição e
Saúde militares, o incumprimento reiterado das leis que provocaram ao longo dos anos uma
dívida, aos militares, superior a MIL MILHÕES de euros, sem que se explique aos portugueses,
mas especialmente aos militares, o que foi feito deste seu dinheiro e sacrifícios, ao ministério da
Defesa Nacional não basta o esbulho sumariamente descrito, como agora ainda rapina as verbas
dos ramos pela calada da noite. Literalmente, pela calada da noite!
O impensável aconteceu! Não se sabe se foi o famoso turno da noite que tanta desgraça
tem causado na legislação produzida nestes últimos anos ou se foi outro especialista em
informática e finanças, que na noite de 17 para 18 de Novembro passado, sem aviso prévio nem
qualquer informação aos CEM, fez com que todas as dotações orçamentais dos três ramos das
Forças Armadas fossem reduzidas a ZERO!
Na manhã do dia 18 de Novembro o GEN CEMGFA tinha uma mensagem electrónica do
Secretário-Geral do MDN a comunicar que todas as dotações orçamentais não cabimentadas dos
ramos das Forças Armadas tinham sido cativadas e se encontravam a ZERO. Sem nenhuma
informação para os ramos, que tinham contas para pagar e movimentos normais para regularizar,
tudo dentro da contenção e rigor habituais.
Nessa manhã, os militares profissionais que trabalham nas áreas financeiras das várias
unidades, estabelecimentos ou órgãos dos três ramos, ligaram os computadores e deparam-se
com todas as dotações orçamentais a ZERO. Soaram os alarmes nos Estados-maiores. Os
telefones tocaram por todo o lado, tentando encontrar uma resposta para tão inesperada
situação. Era verdade: o Governo ordenara a cativação de todas as dotações orçamentais
não cabimentadas das FA, incluindo as das Forças Nacionais Destacadas em missões
internacionais.
O facto de não haver dotações orçamentais suficientes para pagar os vencimentos do
mês de Dezembro, levou o MDN a tomar aquela atitude para, desta forma, empurrar os Ramos
para uma “gestão flexível” forçada, reduzindo substancialmente os seus já parcos meios para
garantir a operação e manutenção das suas forças.
RESISTIR e dizer NÃO,
é salvaguardar

Associação Nacional de Sargentos

ÁS ARMAS


Processo de fusão entre hospitais dos três ramos militares cada vez mais polémico. Guerra da Armada e da Força Aérea ao Exército.

Os quatro médicos ortopedistas da Força Aérea e um dos da Marinha vão sair por se recusarem ir para o hospital da Estrela (Exército), onde o serviço está concentrado desde 30 de Novembro.

A Força Aérea enviou para a Estrela os seus ortopedistas, e no prazo definido pela tutela, só que os quatro (um militar e três civis) "meteram férias até" chegar a resposta aos pedidos de saída da instituição militar. O militar - Henrique Jones, médico da selecção de futebol - "pediu a passagem à reserva", um civil "vai passar à reforma", outro requereu "licença sem vencimento" e o quarto "rescindiu o contrato".

A Armada "ainda não mandou" qualquer dos seus médicos ortopedistas (dois militares e três civis) para a Estrela, pois "eles apoiam o centro de medicina subaquática e hiperbárica" e "é preciso programar" primeiro o seu trabalho para que esse apoio "não desapareça".

Para um oficial do Exército, este caso da Armada é um exemplo de "polémica que só existe porque [Armada e Força Aérea] não querem cumprir o que está" na lei - e quando "15% dos utentes da urgência da
Estrela" são dos outros ramos.

Na Armada, "um dos ortopedistas militares meteu [ontem] o papel" para a reserva, os civis "estão a contrato"  e o quinto "está afecto à área operacional" (nos Fuzileiros), assegurou uma das fontes.

O Exército terá de atender todo o universo de utentes - o qual "não
vai ser absorvido". Uma das consequências será "o aumento das listas
de espera", lamentou uma fonte.

A Armada e a Força Aérea criticaram a falta de representatividade dos
três ramos na direcção do HFA, conforme a proposta do chefe do
Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) sobre o modelo,
organização e funcionamento do Hospital das Forças Armadas (HFA).

A Marinha acha mesmo que "há interferência directa" do CEMGFA na sua
cadeia hierárquica e no seu sector operacional (ao colocar o centro de
medicina subaquática no HFA e nomear o seu director).

Dura é a crítica à criação de departamentos (dois na Estrela e dois no
Lumiar) para tutelar serviços não co-localizados: "Constitui uma
aberração a localização de chefias de departamento noutras unidades
hospitalares que não aquelas para onde as especialidades que integram
são remetidas pelo despacho" ministerial. "Queremos que se repense uma
decisão que, nos moldes em que está a ser proposta, só prejudica a
eficácia e a eficiência na prestação dos cuidados hospitalares" no
HFA, precisou uma das fontes

sábado, 11 de dezembro de 2010

RIP

Faleceu hoje, com 97 anos de idade, D. José dos Santos Garcia, Bispo emérito de Porto Amélia (Pemba). D. José Garcia nasceu na Aldeia do Souto, Covilhã, a 16-04-1913. Foi ordenado Presbítero a 25.07.1938. Tendo sido nomeado Bispo de Porto Amélia (Pemba), em Moçambique, foi ordenado Bispo, em Nampula, a 16.06.1957.

NOBEL


Experimentando a Morte

Tinha imaginado estar ali, à luz do sol
com o cortejo dos mártires
um só osso esguio sustentando
uma convicção verdadeira
Todavia, o divino vazio não vai
revestir a ouro os sacrifi cados
Uma matilha de lobos bem nutridos
saciados de cadáveres
festeja no ar quente e jubiloso do meio-dia

Lugar distante
esse lugar sem sol
onde exilei a minha vida
para fugir à era de Cristo
Não consigo fi tar a ofuscante visão na cruz
De um fi o de fumo a um pequeno monte de cinzas
bebi até ao fi m a bebiba dos mártires, sinto a primavera
prestes a romper no rendilhado brilho de inúmeras fl ores

Noite dentro, estrada deserta
pedalo de regresso a casa
Páro num quiosque de tabaco
Um carro segue-me, atropela a bicicleta
Um par de brutamontes agarra-me
Algemado, olhos vendados, boca amordaçada
atirado para uma carrinha celular rumo a nenhures

Um piscar de olhos, trémulo instante
abre um clarão de lucidez: Ainda estou vivo
nas notícias da Televisão Central
o meu nome mudado para “mão negra detido”
ainda que esses anónimos ossos brancos dos mortos
se mantenham de pé no esquecimento
Ergo alto a mentira auto-inventada
Digo a todos como experimentei a morte
para que “mão negra” se torne a honrosa medalha de um herói

Sabendo embora que a morte
é um impenetrável mistério
estando vivo, não a posso experimentar
e uma vez morto
não posso repetir a experiência
pairo ainda assim dentro da morte
um pairar em afogamento
Noites sem conta atrás de janelas gradeadas
e as campas sob as estrelas
revelaram os meus pesadelos

À parte uma mentira
Não possuo nada

 Liu Xiaobó
Exclusivo PÚBLICO/New York Times)

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

ÁS ARMAS


Ministro da Defesa só se pronuncia sobre proposta final sobre saúde militar
O ministro da Defesa afirmou hoje que só se pronuncia sobre a proposta final do chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas sobre o Hospital das Forças Armadas, adiantando ter "indicação" de que a reforma prossegue como foi estipulado.
No final do debate quinzenal, no Parlamento, Augusto Santos Silva disse que tudo aquilo que está definido no despacho que publicou em Junho para a concretização da reforma da saúde militar "está a ser cumprido". "É a indicação que tenho", disse.

O responsável pela pasta da Defesa rejeitou ainda falar sobre as propostas apresentadas pelo CEMGFA aos ramos, sustentando que não as conhece e que apenas tem de se pronunciar sobre a proposta que o general Valença Pinto tem de apresentar à tutela até ao fim do ano sobre a organização e modelo de gestão do hospital.

Questionado sobre o facto de a segunda proposta enviada aos ramos das Forças Armadas não definir expressamente que a direcção do futuro hospital tem de contemplar Exército, Força Aérea e Marinha, Santos Silva respondeu que "o hospital tem a tutela do CEMGFA".

Sobre a ausência de "regulamentação interna" nos serviços conjuntos que começaram a funcionar a 30 de Setembro e a 30 de Novembro, Santos Silva defendeu que tal não é da sua competência e que não lhe cabe discutir a distribuição de militares pelos serviços. "Não é para isso que me pagam", advogou.n
Lusa
Nota: Nós cá pagávamos era para "ele" desaparecer do mapa

ÀS ARMAS

É o que resta......

O Hospital Militar de Belém está pronto para ser vendido ao grupo Mello ou Espírito Santo.
O inefável ministro destruiu o que não é dele , despojou o que nos pertence, pois este Hospital foi construído em 1971 com a desconto de 1% de salário de todos os militares para a assistência aos tuberculosos da Forças Armadas e foi aí feita uma unidade exemplar da prática médica de doenças pulmonares e contagiosas e tem sido o conforto e salvação dos mais velhos e suas famílias.
O ministro, gelado, vai ser responsável até ao fim da vida pelo sofrimento de muitos Militares( que lutaram pela Pátria e viveram em sacrifício)  e suas gentes.
Esta escola médica, este laboratório, está perdido, depois de anos de investimento material e científico.
Tudo por uma razão que não se sabe bem qual é.

ÁS ARMAS


O almirante Melo Gomes declarou ontem ao DN que "não se pode humilhar a saúde naval nem a Marinha permitirá qualquer humilhação, como nunca permitiu".
O ex-chefe do Estado-Maior da Armada (CEMA), cargo que deixou há cerca de uma semana, falava à margem de uma assembleia geral extraordinária do Clube Militar Naval (CMN), exclusivamente dedicada ao "debate e esclarecimento dos fundamentos, consequências e efeitos, para a Marinha e para os utentes da família naval, da reforma do Serviço de Saúde Militar".
Ao contrário de uma sessão anterior, agora marcaram presença mais de uma dezena de almirantes no activo, reserva e reforma - mais um sinal da instabilidade e conflito aberto no seio das Forças Armadas e com a tutela sobre essa matéria.
"É preciso rever o caminho de concentração que se está a seguir, se se pretende aumentar a eficácia e a eficiência da saúde militar", observou um oficial superior, deixando uma interrogação: "Como é que isso será possível se um departamento [de medicina, por exemplo] tem serviços dispersos por locais diferentes?" (leia-se hospitais da Estrela e Lumiar).
As dezenas de sócios presentes deixaram cair a proposta de avançar com uma providência cautelar para suspender o processo de reforma da Saúde Militar, optando por requerer uma audiência com o recém-empossado CEMA, almirante Saldanha Lopes.
Em função desse encontro, a reforçada comissão representativa do CMN (com mais dois elementos, passando agora a seis) ficou com poderes para requerer audiências ao Presidente da República, ao Governo - na figura do primeiro-ministro, depois de o ministro da Defesa já os ter recusado receber - e aos partidos políticos com assento parlamentar, contaram ao DN alguns dos participantes.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

CURIOSIDADE

Vale 24.99 USD (+ 8 porte) no mercado electrónico

Não fazia a menor ideia.E a fita da CACINE? quanto valerá?

SURPRISE


Park Hyatt Zurich hotel de 5 estrelas

Beethovenstrasse 21, 2. Wollishofen-Leimbach-Enge, 8002 Zurique

370 Francos suiços por dormida/por pessoa (e com desconto)...

Parece que Portugueses reservaram 11 quartos para o sorteio do mundial da FIFA em 2018.

Madaíl e companhia já lá estavam



Mas parece que houve mais. O sr. Primeiro Ministro,não foi com eles e resolveu ir sozinho (ou com o Laurentino Dias, não sei) de Falcon da Força Aérea e não pôde aterrar em Zurique por causa da neve. Teve de ir para Basileia....Mas lá exigiu escolta de motos, carros, polícias ...sei lá para ir a Zurique e eles(os Suiços) disseram que nem pensar. Que fosse no carro dele e da comitiva que bem chegava. Até ousaram dizer que ele "...não era o Presidente Obama....".
Parece que o senhor se passou da cabeça e furioso foi para França(ali perto) de carro e no dia seguinte lá apareceu em Zurique....
Quanto custou a birra? e os 11 quartos do Hyatt?

Será que isto foi verdade ou foi um episódio dos Simpsons?

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

A IR


ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA CLUBE MILITAR NAVAL
CONVOCATÓRIA
Nos termos dos art.os 33º e 37º do Regulamento Interno e considerando o disposto na alínea b) do art.º 3º dos Estatutos do Clube Militar Naval, Sua Exª. o Presidente da Mesa da Assembleia Geral convoca a Assembleia Geral Extraordinária, na Sede do Clube, para o dia 09 de Dezembro de 2010 às 21 horas e 30 minutos, com a seguinte ordem de trabalhos:.
PONTO ÚNICO: Debate e esclarecimento dos fundamentos, consequências e efeitos para a Marinha e para os utentes da família naval da reforma do Serviço de Saúde Militar.


Alínea b) do artigo 3º dos Estatutos do Clube Militar Naval:

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

A IR


LÁ VAI ELE


ministro da Defesa Nacional participa em Reunião de Ministros da Defesa da União Europeia

 O ministro da Defesa Nacional, Augusto Santos Silva, desloca-se a Bruxelas no dia 9 de Dezembro, a fim de participar na reunião de Ministros da Defesa da União Europeia.

SÓ CÁ


'Ídolos': SIC condenada a pagar 25 mil euros a concorrente
07-12-2010
SIC foi condenada pelo Supremo Tribunal de Justiça a pagar 25 mileuros de indemnização a uma ex-concorrente da 1ª edição de ‘Ídolos’. Em causa está o facto deRita Silva, 26 anos, não ter alcançado o mediatismo que lhe tinham prometido, com o lançamento do seu primeiro CD. ‘Ritinha das tranças’, alcunha pela qual ficou conhecida, a candidata que alcançou o 4º lugar, (o primeiro foi entregue a Nuno Norte), alegou ter entrado em depressão.
"Desde o lançamento do seu álbum, em Novembro de 2004, começou a sentir-se deprimidaansiosadesmotivada de todas as actividades, sofrendoinsónias e pesadelos", diz o acórdão do Supremo Tribunal. Devido ao insucesso do seu CD e carreira profissional, a ex-concorrente, de Vila Nova de Gaia, teve de frequentarconsultas de psicologia e chegou a abandonar a faculdade durante um ano. Todo o dinheiro de consultas, medicamentos, propinas e viagens para a universidade terá agora de ser ressarcido à jovem pela SIC, cuja direcção de Programas era, na altura, liderada por Manuel Fonseca.

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

COISAS MÁS

O base.gov.pt é um manancial de informação sobre a forma como os nossos governantes desbaratam o erário público. Já sabemos que se gastam milhões em festas e enchidos. Mas nem tudo é dinheiro desperdiçado, para benefício das artes também existem adjudicações directas!
O retrato que reproduzo neste post, de Sua Excelência Tenente General Fernando Manuel Paiva Monteiro, comandante da Academia Militar custou a módica quantia de 17 150 euros, . Coisa pouca para ilustração dos nossos garbosos militares.


Nota:Se assim é não vamos a sítio nenhum. Este Senhor , naturalmente, que devia explicar. Até nos custa, aqui na CACINE, a acreditar que seja verdade. Pode ser que não seja.

Nota atrasada:O pintor chama-se António Veiga de Macedo

RIP


Bispos recordam D. Júlio Rebimbas

D. Jorge Ortiga, D. Manuel Clemente e D. Carlos Azevedo cruzaram-se com D. Júlio Rebimbas, falecido esta Segunda-feira, em diferentes fases das suas vidas.
"Morreu uma grande figura do episcopado português", diz D. Manuel Clemente, bispo do Porto. O caminho de ambos cruzou-se nalgumas geografias do país.
O Algarve foi palco de um desses acasos biográficos, numa fase em que D. Júlio Rebimbas era bispo da região. “Eu era dirigente dos escuteiros. Tivemos lá uma actividade e nunca mais me esqueço da sua simpatia quando nos visitou no acampamento e das palavras que nos disse”, recorda D. Manuel Clemente.
D. Júlio Rebimbas, bispo emérito do Porto, faleceu aos 88 anos de idade. "Ele está muito no coração das gentes do Porto, como está no coração dos outros diocesanos que teve", refere D. Manuel Clemente.
"Mesmo sendo emérito do Porto, continuava a ser para nós uma figura de muita simpatia, de muito encanto, e deixou-nos uma mensagem muito bonita de disponibilidade, serviço, caridade, sempre muito interessado pelos pobres, muito pai e amigo dos padres", acrescenta o bispo do Porto.
Enquanto bispo do Porto, D. Júlio Rebimbas teve ao seu cuidado o jovem padre Carlos Azevedo, hoje bispo-auxiliar de Lisboa. “[Recordo um] homem aberto, simples, com simpatia e capacidade de criar comunhão e um forte sentido intuitivo, de pastoral”.
Em 1977, foi criada a diocese de Viana do Castelo, que anteriormente estava sujeito à arquidiocese de Braga, e D. Júlio foi escolhido para a liderar.
É este o aspecto da sua vida destacado por D. Jorge Ortiga, actual arcebispo de Braga e presidente da Conferência Episcopal. “Sublinharia particularmente este aspecto de primeiro bispo da diocese de Viana do Castelo, com a capacidade que teve de a marcar com a sua dimensão pastoral, com o seu espírito combativo. Em termos pessoais, era um verdadeiro colega, mais velho que eu. Não se coibia de dar conselhos, de dialogar de forma séria e profunda, o que caracteriza um carácter e uma personalidade muito rica”.

CABINDA,UÉ

Dizem-me que o estado de saúde do Padre Raul Tati , é preocupante. Foi colocado numa cela sem autorização de receber visitas incluindo advogado e com dificuldade ao acesso à alimentação, o que originou uma repentina e brutal perda de peso que lhe afectou a tensão arterial e provavelmente está originando serias lesões cardíacas

A REPUBLICA NO SEU MELHOR


DEFESA DA REPÚBLICA
 UM PROJECTO DE LEI
 «Damos em seguida, «in extenso», o projecto de lei apresentado na sessão de ontem pelo Sr. senador Machado Santos e que foi mandado enviar para a comissão de legislação civil apreciar: Considerando que a defesa da República exige que se tomem medidas enérgicas contra aqueles que não hesitaram em lançar o seu país na guerra civil para restaurar um regime político alicerçado na traição, no perjúrio e na violência contra a vida e bens dos seus concidadãos.
Tenho a honra de propor o seguinte projecto de lei:
Artigo 1.º Consideram-se findos os mandatos dos senadores e deputados que pertençam a partidos políticos adversos à forma republicana de governo, quando esses partidos saiam da legalidade para a luta à mão armada contra a República.
Art. 2.º Os órgãos na imprensa dos partidos políticos adversos à forma republicana de governo, quando esses partidos saiam da legalidade para a luta à mão armada contra a República, não mais se poderão publicar, sendo defeso aos seus proprietários, directores e redactores principais figurarem de novo como mentores ou orientadores da opinião por meio da imprensa periódica.
Art. 3.º Os oficiais generais, subalternos e inferiores da Armada e do Exército, que se tenham manifestado ou venham a manifestar publicamente adversos à forma republicana de governo, serão imediatamente separados do serviço, independentemente de quaisquer outras penalidades que lhes possam caber pela pratica de actos contrários ao dever militar.
Art. 4.º Os oficiais generais, subalternos e inferiores da Armada e do Exército que se tenham mantido ou venham a manter neutrais nas lutas contra os adversários da forma republicana de governo, que juraram defender, serão imediatamente considerados separados do serviço, não lhes devendo obediência os seus inferiores hierárquicos.
Art. 5.º Os oficiais generais, subalternos e inferiores que tenham pegado em armas contra a República ou que venham a atentar contra a forma republicana de governo, serão imediatamente considerados demitidos, independentemente de quaisquer outras penalidades que lhes possam caber pelas leis e regulamentos em vigor.
Art. 6.º Os sacerdotes das várias confissões religiosas que tenham feito ou venham a fazer preces pelo triunfo dos adversários da forma republicana de governo, quando estes saiam da legalidade para a luta à mão armada, ou que tenham praticado ou venham a praticar actos que sejam de incitamento à rebelião contra a República, ou prolongamento da guerra civil, não mais poderão residir nem exercer o sacerdócio na área onde tinham o seu domínio espiritual, independentemente de quaisquer outras penalidades que lhes caibam pelas leis em vigor.
Art. 7.º As bandeiras e estandartes azuis e brancos, símbolos do regime político abolido pelo movimento nacional de 5 de Outubro de 1910, que não possuam nenhuma inscrição de honra comemorativa de actos de valor militar praticados pelas unidades a que pertenciam, serão imediatamente entregues no Arsenal do Exercito e destruídos.
Art. 8.º Os indivíduos que tenham agravado o crime dá substituição da bandeira com ultrajes repugnantes ao símbolo augusto da Pátria e da Republica, à sombra do qual tantos milhares de heróis combateram e morreram em defesa do património nacional, ou aqueles que venham de futuro a rojá-lo pela lama, pisá-lo, despedaçá-lo, serão considerados réus do crime de alta traição e como tal punidos com o n.º 1 da escala penal.
Art. 9.º Esta lei entra imediatamente em vigor e revoga a legislação em contrario.»
 

domingo, 5 de dezembro de 2010

POIS


António Horta Osório partilhou com uma plateia de gestores os factores críticos de sucesso de uma boa liderança.
"O mundo é global e está em constante e acelerada mudança. É fundamental prever a direcção dessa mudança: onde estamos e para onde o mercado vai, para onde se dirigem as grandes tendências macro antes do mercado lá chegar. As empresas que lá chegam primeiro conseguem vencer as batalhas". É desta forma que António Horta Osório começou a sua intervenção no debate subordinado ao tema 'Os novos desafios da liderança e gestão de talento', na terceira edição da conferência CEO Experience, organizada pelo Diário Económico e pela Accenture.

"Fomentar o debate e a qualidade da decisão para depois as implementar de forma irreversível e sem segundos pensamentos", é o que deve ser um líder.
Em situações de grande crise um líder deve ser "militar", ou seja, ter mão firme nas exigências e pôr a equipa a participar na gestão da crise, aconselhou. Nessas alturas, "as equipas mais do que esperar o que a empresa pode fazer por elas, devem reunir-se em torno do líder".
Ao contrário, em momentos positivos "o líder deve apagar-se mais e ser a equipa a sugerir os projectos e a realizar projectos em que esta acredite".

Nota: Estes que cá estão, só de ouvirem falar em Militares até ficam corados

sábado, 4 de dezembro de 2010

4 de DEZEMBRO

30 anos .Um horror

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

ELES É QUE SABEM


NOAA’s Office of National Marine Sanctuaries and Spain’s Ministry of Culture announced today the signing of a memorandum of understanding outlining a framework to jointly identify, protect, manage and preserve underwater cultural resources of mutual interest within their respective areas of responsibility.
The arrangement calls for the exchange of information on actual or potential identification and location of underwater cultural resources, research and archeological examination of the resources, provision of information concerning potential or actual unauthorized disturbances of underwater cultural resources, cooperation with nongovernmental organizations engaged in historical or archeological programs compatible with the objectives of the arrangement, and preparation and dissemination of educational and outreach materials.
“Today marks the beginning of a more formal and active interaction between NOAA and Spain as we learn from each other’s archives and share that information for a better understanding and appreciation of Spain’s important maritime cultural legacy in America,” said Daniel J. Basta, director of NOAA’s National Marine Sanctuary Program.
“The heritage spawned by Spain’s interactions with the sea and the exploration and settlement of our coasts by Spanish mariners dates back 500 years,” said James P. Delgado, Ph.D., NOAA National Marine Sanctuary Maritime Heritage Program director. “This arrangement will give us access to the incredible records in the archives and libraries of Spain.”
 An example of the type of work that will benefit from the new arrangement is the discovery of a wreck that may be the Spanish ship San Agustin, which was lost in November 1595 in the California waters of the Gulf of Farallones National Marine Sanctuary and Point Reyes National Seashore. The U.S. National Park Service located an offshore wreck site during a survey of Drakes Bay in 1982-1983. No excavation of the buried wreck site offshore has been done to confirm that it is all or a portion of the lost galleon. The National Marine Sanctuary Program, working with partners in Spain as well as the Park Service, will have a strengthened ability to discuss appropriate actions to better understand and document that shipwreck in the future.
NOAA’s mission is to understand and predict changes in the Earth's environment, from the depths of the ocean to the surface of the sun, and to conserve and manage our coastal and marine resources. Visit us on Facebook at http://www.facebook.com/usnoaagov.

LÁ VAI ELE

 O ministro da Defesa Nacional, augusto santos silva, estará nos dias 1 e 2 de Dezembro em Malta, para uma reunião do Grupo 5+5, iniciativa de cooperação na área da segurança e defesa que junta os dez países mediterrânicos da Europa e do Magrebe. Em Malta, o ministro da Defesa Nacional terá ainda oportunidade de realizar um encontro bilateral com o seu homólogo francês, Alain Juppé. 

ADEUS AMIGO


Lutaste bem e forte até ao fim, contra uma coisa feia e má que nos vem atormentando.

Ainda te recordo assim,fardado com o botão de âncora, e assim certamente gostavas que te retratasse agora, pois sempre foste um pouco de nós, sempre deixaste a retinida no cais, sempre acudiste ao desafio.

Ainda te ouvi há bem pouco tempo, com a tua grossa voz, a vociferar cientificamente contra os males do País e a incompetência de tantos.

Até sempre, Ernâni, ou até breve, como Deus, que seguias também, quiser. E, já agora, um abraço

terça-feira, 30 de novembro de 2010

RUA

Este artigo mete nojo. Rua, fora.

Como um dos principais conselheiros do candidato Manuel Alegre, este cavalheiro vai ter de combater o Comandante Supremo das Forças Armadas, em exercício de funções , e , com o estilo trauliteiro que se lhe conhece sabe-se lá o que dirá.
Terminada a campanha, e esperando a vitória esmagadora do actual Presidente, este mister volta para S. Julião da barra como responsável da defesa e com o Comandante Supremo de quem disse barbaridades.

Tudo isto existe, tudo isto é triste, tudo isto é fado

MENSAGEM

Mensagem dos Militares Portugueses  (excluindo o engº CEMGFA) ao ministro, por ocasião do 1º de Dezembro.

"Vá-se embora ou, pelo menos, esteja quieto"

COISAS BOAS


Relíquia de Santo André entregue pelo Cardeal Bertone à Igreja Ortodoxa no Cazaquistão

A Santa Sé participa, Quarta e Quinta-feira, em Astana, capital do Cazaquistão, na cimeira dos 56 chefes de Estado ou de Governo da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).
Preside à delegação da Santa Sé, membro de pleno direito desta Organização, o cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado do Vaticano.
Esta Terça-feira, por ocasião da festa de Santo André, o cardeal Bertone presidiu a uma celebração litúrgica na catedral ortodoxa de Astana, recentemente aberta ao culto, procedendo à entrega, em nome do Papa, de um fragmento das relíquias daquele Apóstolo ao Metropolita Alexandre.
Na homilia pronunciada nesta circunstância, o cardeal Bertone evocou a figura de Santo André, o primeiro dos Apóstolos a ser chamado por Jesus, pelo que a liturgia bizantina o recorda com o apelativo de protóklitos, que significa, precisamente, “o primeiro chamado”.
No ícone doado pelo Patriarca Atenágoras ao Papa Paulo VI, em Janeiro de 1964, os dois santos Apóstolos, Pedro e André, abraçam-se.
“O seu abraço sob o olhar de Cristo – sublinhou o cardeal Bertone – é um convite a prosseguir no caminho empreendido, em direcção àquele objectivo de unidade que conjuntamente desejamos alcançar”.
Nos dias 3 e 4 do mesmo mês, o cardeal Bertone efectua uma visita pastoral ao Cazaquistão, acompanhado pelo Secretário do Vaticano para as relações com os Estados, D. Dominique Mamberti.

LÁ VAI ELE

O ministro da defesa nacional, augusto santos silva, desloca-se hoje , onde permanecerá em trabalho todo o dia , à sede de campanha do candidato Manuel Alegre.

ÀS ARMAS


“Caros Camaradas

Não entendo que para se constituir um Hospital das FAs, seja necessário sacrificar o hospital dum dos ramos, concretamente o Hospital da Marinha, que tem, reconhecidamente, características específicas, únicas e necessárias, que são contributos valiosos e indispensáveis, para o País, para as Forças Armadas e para Marinha.
Não compreendo como, em nome da constituição dum HFA, se comece por desarticular aquilo que vem funcionando de forma satisfatória, por vezes mesmo exemplar - o SSM.

Aquilo que está em causa é a continuação da existência do Hospital da Marinha, um hospital que terá alguns defeitos, que não lhe são exclusivos. Todos os hospitais, civis, militares, públicos e privados, têm qualidades e defeitos, dias bons e dias maus. Depende, do momento que atravessam, das administrações respectivas, dos chefes de serviço e demais profissionais, do pessoal que está nas urgências, do dia que estão a ter, do que aconteceu na véspera, do que se espera para o dia seguinte, etc.
O HM não é pior, nem melhor, mas é o NOSSO Hospital!
O Hospital de Marinha é um modelo de funcionamento económico (já conhecem os números do desastre económico-financeiro do SNS nos últimos 2 anos?)
Documentem-se, leiam a história do Hospital da Marinha, informem-se sobre o seu funcionamento actual e pensem no futuro.

Quando nos interrogamos sobre o impacto que as alterações que se vislumbram poderão ter sobre as diferentes vertentes da saúde militar, quando nos mostramos indiferentes à ameaça de desaparecimento do Hospital de Marinha (e com ele por certo também o do Centro de Medicina Naval), devemos pensar no contributo que ambos têm no sucesso da prestação de cuidados de saúde à família naval. Cuidar, tratar, não é a mera dispensa de medicamentos e tratamentos. É estabelecer empatia com quem necessita deles e fazer isso num ambiente que lhes transmita ânimo. É reconhecermos o local e os profissionais de saúde que cuidam de nós e, neles, os companheiros com quem comungamos uma formação e cultura militar comuns, da Marinha. Com o tempo, embarcar um médico doutro ramo das FA resultará possivelmente numa experiência positiva e numa câmara tão coesa e companheira como embarcar um MN! Com o tempo, até ele se habituará e achará graça aos nossos costumes e praxes! Com o tempo até gostaremos de o encontrar no Hospital da Marinha ou no CMN, e ele a nós! Mas para chegarmos a isso é preciso tempo, que é um ingrediente que continua a ser obstinadamente recusado a esta dita “reestruturação”- tempo para a gestão da mudança, que não se faz por despachos nem decretos.

Caríssimos,
Se não vos é indiferente que o Hospital da Marinha continue a existir, se acham que ele é peça importante da medicina operacional naval, então venham à Assembleia Geral Extraordinária, dia 9 de Dezembro, às 21.00, no CMN, onde estes problemas serão discutidos.
E passem palavra. É preciso interessar os camaradas mais jovens, a quem gostaríamos de fazer sentir que estamos a tentar preservar um legado que honra a Marinha, para eles tal como o queremos agora para nós.


Seja para uma participação mais informada, seja meramente para terem uma noção daquilo que está a acontecer, apelo à vossa paciência para continuarem a leitura.


No projecto de reestruturação do Ministro da Defesa e do CEMGFA, desaparecem o Hospital do Restelo (Exército) e o Hospital da Marinha, e sobrevivem a Estrela, o Porto e o Lumiar, “aumentados”. No meu modesto entendimento, o Hospital do Lumiar que se cuide, pois poderá muito bem ser a próxima baixa (não a infra-estrutura, evidentemente!) nesta “reestruturação” do SSM de que o Exército tem um entendimento muito próprio.
É lícito perguntar se aquilo que se pretende é constituir um HFA ou destruir o Hospital da Marinha, sacrificando para isso também o Hospital do Restelo.
“Reestruturar” não é implementar um conjunto de medidas avulsas por meio das quais umas instituições conquistam capacidades e meios que são subtraídas a outras. Aliás, quando há mais do que uma instituição envolvida passamos para o domínio das fusões e aquisições (hostis neste caso). Qualquer que seja a designação, não estamos a falar de intenções ou aspirações, mas de processos – transformações organizacionais profundas e complexas, que não podem ser decididas por mero desejo, mas na base de avaliações e expectativas realistas e que requerem avaliações prévias de custo-benefício, definição de objectivos finais e intermédios, calendários, equipas de acompanhamento, métricas, e cenários de contingência (saúde!...).
Um HFA forma-se, primeiro, por integração funcional dos meios existentes, nos locais onde se encontram, estabelecendo rotinas e protocolos, definindo claramente quais as especialidades que podem ser asseguradas por entidades convencionadas e aquelas que o serão por meios próprios, e estabelecendo estratégias para dar a estas uma dimensão e casuística que garanta o seu reconhecimento pela OM. Obter essa procura adicional de prestação de cuidados de saúde e as receitas correspondentes, e relacionar o todo com o SNS. Definir onde aplicar a regra de “extinguir quando vagar”, centralizar o aprovisionamento, resolver as diferenças de semântica, e estabelecer boas práticas e protocolos clínicos comuns. Em suma, constituir um “Centro Hospitalar das Forças Armadas”, com uma direcção em que estejam representados cada um dos hospitais militares existentes e que promova a harmonização dos processos, das organizações, e das culturas respectivas.
Aquilo que está a pretender fazer é precisamente o inverso, é começar por onde se devia acabar, e os problemas começarão depois do processo ser posto em marcha. Falta gerir a integração, as diferenças culturais e de práticas profissionais, definir quem chefia o quê, quem reporta a quem, etc., tudo isto agravado por um clima que se adivinha desfavorável. Sem a adesão do elemento humano, um processo destes será um fracasso e um sorvedouro de dinheiro, com consequências sérias na qualidade da prestação dos cuidados de saúde.

Mais uns apontamentos baseados no conhecimento que vamos tendo do esquema (que projecto não é!) de reestruturação do SSM.
Abandonada a ideia da instalação duma urgência cirúrgica no Hospital da Estrela, aponta-se agora para uma “urgência intermédia” (?), coisa que não se sabe bem o que é.
Sabe-se isso sim, que o Hospital da Estrela está bem rodeado de urgências em Hospitais do SNS próximos. Que uma urgência geral é suficiente para fazer a triagem e encaminhamento (referenciar, na gíria da saúde) de qualquer situação que se lhe depare. Que a diferença de necessidades em recursos humanos é enorme e que muitos terão que ser civis contratados. E que a diferença de custos de funcionamento é, também, enorme. Que os custos de instalação no Hospital da Estrela da dita urgência intermédia (estimativa de 1,5 milhões de Euros) serão uma parcela dos encargos com a adaptação de infra-estruturas para instalar as especialidades que para lá estão planeadas receber guia de marcha.

Na semana passada o Ministro da Defesa visitou o Hospital Militar do Porto. Não é difícil imaginar que lhe terá prometido um aumento de meios e capacidades (resultantes do desmembramento do Hospital da Marinha?)… para garantir um aliado na reestruturação pretendida. Mais alguns milhões ?


Camaradas,
Isto precisa de ser travado. Integração, sim claro, destruição de meios e de herança cultural, em nome de algo indefinido e que começa com o passo trocado, não.
Sendo certo que eu entrei nesta guerra por vontade própria, tenho formas de ocupar o meu tempo bem mais interessantes e divertidas.
Como todos vós, aliás, e como convém a um cidadão da nossa idade e formação.
Por isso só continuarei empenhado se esse for o vosso desejo e sentir.

Abraço a todos
VdaCunha


Nota:Carta ao Curso Corte-Real, que veio encriptada