Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

RIP


Bispos recordam D. Júlio Rebimbas

D. Jorge Ortiga, D. Manuel Clemente e D. Carlos Azevedo cruzaram-se com D. Júlio Rebimbas, falecido esta Segunda-feira, em diferentes fases das suas vidas.
"Morreu uma grande figura do episcopado português", diz D. Manuel Clemente, bispo do Porto. O caminho de ambos cruzou-se nalgumas geografias do país.
O Algarve foi palco de um desses acasos biográficos, numa fase em que D. Júlio Rebimbas era bispo da região. “Eu era dirigente dos escuteiros. Tivemos lá uma actividade e nunca mais me esqueço da sua simpatia quando nos visitou no acampamento e das palavras que nos disse”, recorda D. Manuel Clemente.
D. Júlio Rebimbas, bispo emérito do Porto, faleceu aos 88 anos de idade. "Ele está muito no coração das gentes do Porto, como está no coração dos outros diocesanos que teve", refere D. Manuel Clemente.
"Mesmo sendo emérito do Porto, continuava a ser para nós uma figura de muita simpatia, de muito encanto, e deixou-nos uma mensagem muito bonita de disponibilidade, serviço, caridade, sempre muito interessado pelos pobres, muito pai e amigo dos padres", acrescenta o bispo do Porto.
Enquanto bispo do Porto, D. Júlio Rebimbas teve ao seu cuidado o jovem padre Carlos Azevedo, hoje bispo-auxiliar de Lisboa. “[Recordo um] homem aberto, simples, com simpatia e capacidade de criar comunhão e um forte sentido intuitivo, de pastoral”.
Em 1977, foi criada a diocese de Viana do Castelo, que anteriormente estava sujeito à arquidiocese de Braga, e D. Júlio foi escolhido para a liderar.
É este o aspecto da sua vida destacado por D. Jorge Ortiga, actual arcebispo de Braga e presidente da Conferência Episcopal. “Sublinharia particularmente este aspecto de primeiro bispo da diocese de Viana do Castelo, com a capacidade que teve de a marcar com a sua dimensão pastoral, com o seu espírito combativo. Em termos pessoais, era um verdadeiro colega, mais velho que eu. Não se coibia de dar conselhos, de dialogar de forma séria e profunda, o que caracteriza um carácter e uma personalidade muito rica”.

Sem comentários: