Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 31 de março de 2011

E VIVA O SOCIALISMO

Administrador dos CTT falsifica CV e suspende mandato
Económico 
31/03/11 17:44
O administrador dos CTT Marcos Baptista, ex-sócio do secretário de Estado Paulo Campos, adulterou o currículo afirmando ser licenciado pelo ISEG.
O administrador dos CTT Marcos Batista comunicou hoje que apresentou "o pedido de suspensão sem remuneração do mandato de Vogal de Administração dos CTT - Correios de Portugal SA e de todos os cargos ocupados neste âmbito, com efeito imediato", segundo um comunicado interno a que o Económico teve acesso.
O responsável avança que o faz por "por razões de foro pessoal. Tendo sido surpreendido por dúvidas sobre a minha formação académica, creio que devo pedir a suspensão das minhas funções até ser possível clarificá-las".
Em causa está a suspeita de que Marcos Batista terá adulterado as habilitações académicas. O administrador dos CTT foi nomeado para o cargo enquanto licenciado, de acordo com o despacho publicado em Diário da República, noticia o jornal i. No entanto, o curso de Economia não terá sido concluído.
"Devo referir que sempre estive convencido que o meu percurso académico com 8 anos de frequência universitária e elevado número de cadeiras concluídas, em mais do que um plano de estudos curriculares, correspondesse a um curso superior à luz das equivalências automáticas do Processo de Bolonha. Solicitei, por isso, hoje ao ISEG a devida avaliação curricular", acrescenta o responsável no mesmo documento

A IR


A VOZ da ABITA


"Há cinco anos atrás com a ajuda preciosa dos camaradas Alves Correia, Luís Silva Nunes, Alves de Jesus e outros iniciámos esta singradura, com os objectivos definidos no singelo "estatuto editorial" que aparece no topo do nosso blogue.

A todos os que têm tornado possível a quase contínua produção de notícias e comentários, ainda que com os "altos e baixos" inerentes a quem se habituou a andar nesse balanço de mar, vai o meu reconhecimento sincero e agradecimento profundo pelas palavras de apoio e encorajamento que não faltaram sempre que foram precisas.

Procurámos que a nossa Marinha, e os seus Marinheiros, estivessem sempre presentes com a dignidade adequada, em tudo o que aqui foi publicado e defendido.

E quando a situação o aconselhar, e se tornar necessário será sempre um forum onde cada um de nós, e todos, poderemos ocupar os nossos Postos de Faina Geral."

São estas as palavras que o Senhor Vice Almirante José Botelho Leal escreveu hoje no seu blog "A Voz da Abita" , hoje já considerado o melhor blog ou jornal da Família Naval e de imprescindível leitura diária.

Aqui , na CACINE, é lido logo no quarto d´ alva e pelo menos uma vez após cada refeição.

Excelente, Senhor Almirante. Continue , a bem da Armada e do País

quarta-feira, 30 de março de 2011

O QUE VEM AÍ


Pensões/Reformas


Notar que a reforma do sistema de pensões já tinha sido discutida muito antes da entrada do FMI, mas nunca tinha sido implementada. A Grécia tem uma percentagem desproporcionada de população idosa, cerca de 2.6 milhões e uma população activa na ordem dos 4.4 milhões, isto para uma população total de 11.2 milhões. Isto obriga o estado a contrair empréstimos para puder efectuar os pagamentos mensais. 
A 8 de Julho aprovou um conjunto de princípios depois de terem sido efectuadas mais de 50 emendas à lei. As medidas mais importantes foram:
 

  • Cortar os subsídios de férias e natal para todos os pensionistas que recebam mais de 2 500€/mês brutos. Aqueles que ganhem menos de 2500€ vão receber 200€ pela Páscoa, 200€ pelo Verão e 400€ no Natal;  
  • Cortar os subsídios de férias e natal para todos os pensionistas com menos de 60 anos, excepto para aqueles que tenham o número mínimo de anos de contribuição, tenham menos dependentes ou estudantes com menos de 24 anos a viver na mesma casa;  
  • Todas as pensões congeladas até 2013;  
  • Calculo das pensões tendo em conta toda a carreira contributiva. Vai estar em vigor um sistema de transição até 2015;  
  • Passagem da idade de reforma no sector público e privado para os 65 anos;  
  • Ajustes da idade de reforma tendo em conta a esperança média de vida a partir de 2020;  
  • As pessoas podem-se reformar a partir dos 60 anos com penalizações de 6% por cada anos, ou aos 65 anos com pensão completa depois de 40 anos de serviço. A partir de 2015 ninguém abaixo dos 60 se poderá reformar;  
  • Os trabalhadores que tenham trabalhos de desgaste rápido podem reformar-se a partir dos 58 anos (antes era 55) a partir de 2011;  
  • Desconto para um fundo de solidariedade social (LAFKA), a ser feito pelos pensionistas que ganhem mais de 1400€, a partir de 1 de Agosto de 2010:
    • 1401 a 1700: 3%;
    • 1701 a 2300: 5%;
    • 2301 a 2900: 7%;
    • 2901 a 3200: 8%;
    • 3201 a 3500: 9%;
    • Mais de 3500: 10%.

·  Aumento da idade de reforma para mães trabalhadoras:
  • No sector privado: para 55 (era 50) em 2011, 60 em 2012 e 65 em 2013;
  • No sector público: para 53 em 2011, 56 em 2012, 59 em 2013, 62 em 2014 e 65 em 2015;
  • Com três filhos: 50 em 2011, 55 em 2012 e 60 em 2013.

·  Retirada da pensão aos ex-empregados públicos que sejam apanhados a trabalhar e tenham menos de 55 anos; Corte em 70% se tiverem mais de 55 anos e se a pensão for mais de 850€/mês. A partir de 2011; 
·  Limitar a transferência de pensão de pais para filhos segundo critérios de idade e rendimento, o que inclui o pagamento de 26 000 a filhas divorciadas ou solteiras de empregados bancários e empregados públicos. Se os filhos podem receber duas destas transferências, apenas receberão uma delas, a maior, a partir de 2011; 
·  A pensão completa pode ser transferida para viúvas(os) se a data da morte ocorreu após cinco anos de casamento e o cônjuge vivo tem mais de 50 anos e se certos parâmetros de rendimentos são cumpridos. No entanto, durante os primeiros três anos após a morte os pagamentos serão retidos; 
·  Estabelecimento de uma pensão mínima garantida de 360€; 
·  As pensões não devem exceder 65% do rendimento auferido enquanto se trabalhava (anteriormente este número podia chegar aos 96% baseado nos últimos anos de trabalho e nos mais bem pagos); 
·  Os que não pagaram segurança social podem receber a pensão mínima desde que tenham mais de 65 anos, não tenham rendimentos e que vivam há mais de 15 anos na Grécia; 
·  Fusão dos 13 fundos de pensão Gregos até 2018. Os fundos dos trabalhadores por conta de outrem, agricultores, empresários em nome individual e trabalhadores do sector público, serão integrados na segurança social até 2013; 
·  Reduzir o número de fundos que servem os advogados, engenheiros, jornalistas e médicos; 
·  Reforma completa das condições de reforma dos militares e forças de segurança o que inclui aumentar a idade de reforma e a remoção de bónus especiais;


 

Impostos

  • IVA: todas as taxas de IVA foram aumentadas 10%: 5 para 5.5%, 10% para 11% e 21 pra 23%;  
  • Imposto sobre tabaco, bebidas alcoólicas e combustíveis: imposto adicional de 10%;  
  • Imposto em automóveis de luxo (novos e usados): 10 a 40% baseado no valor em novo e no valor de mercado;  
  • Publicidade na TV: toda a publicidade na TV está sujeita a um imposto de 20% a partir de 2013;  
  • Imposto especial de 1% para aqueles que tenham um rendimento líquido de 100 000€ ou mais.





MINISTRO da PRESIDÊNCIA


Venha o Diabo e escolha

QUEM ASSIM FALA!!!!!

A IR

1-
Vai realizar-se, no dia 7 de Abril, no Instituto de Estudos Superiores Militares, um workshop sobre Software Defined Radio (SDR). A iniciativa está a cargo do Grupo Português de SDR para a Defesa (GP-SDR-Def), que é constituído pela DGAIED e por três empresas portuguesas, a saber: EID SA, Critical Software SA e Tekever ASDS, Lda.
Este workshop destina-se a um vasto público-alvo e que, para além dos membros do GP-SDR-Def, conta com a presença de representantes do Estado-Maior-General das Forças Armadas, dos três ramos das Forças Armadas, da Administração Interna, da ANACOM, da Agência Europeia de Defesa e do Instituto das Comunicações, entre outros.

Nota: 1-As siglas são mais que muitas
          2-"ele" não vai


2-
Dias 31 de Março e 1 de Abril seminário "A Maritimidade como Factor de Desenvolvimento e de Poder de Portugal". No dealbar da segunda década do século XXI, Portugal enfrenta desafios de natureza complexa e diversa, para os quais a maritimidade se apresenta como um indubitável instrumento de desenvolvimento e de poder, confirmada não só por uma narrativa de sucesso com 800 anos de história, mas também pelo actual discurso político-estratégico nacional focado no imperioso regresso ao mar. Com efeito, o mar está na base de uma solução estratégica destinada a mitigar as vulnerabilidades estruturais da economia portuguesa face ao moderno paradigma da globalização competitiva, tornando-se, assim, necessário trazer à discussão pública a relevância do mar num país que, até à queda do império ultramarino, sempre dependeu dele.

Nota:"ele" também não vai

POIS É......


Bond dealers sceptical about eurozone plans

By David Oakley
Published: March 29 2011 20:00 | Last updated: March 29 2011 20:00
It will not happen for more than two years. But moves to create an orderly process for eurozone sovereign defaults are already threatening a total shutdown of the peripheral bond markets.
The agreement to create a legal route to default from 2013 at last week’s European Union summit has sent Greek, Irish and Portuguese yields sharply higher and reduced what little volumes there were in these markets to a trickle
The reforms, which will force private investors to sharetheburdenofdefaults, also prompted Standard & Poor’s on Tuesday to cut long-term credit ratings of Greece and Portugal.
Of all the decisions approved by the EU in last Friday’s so-called “grand bargain” to tackle the debt crisis, investors and strategists say it is one of the most important because it has significant ramifications for the eurozone’s troubled periphery.
Gary Jenkins, head of fixed income at Evolution Securities, says: “This could kill the peripheral eurozone bond markets stone dead. There are very few buyers of these bonds but this could be the final straw.”
All eurozone government bonds from July 2013 will have collective action clauses, or Cacs, written into them, which will outline a framework for default and give a majority of creditors, probably about 70 per cent, the chance to trigger a restructuring.
Alongside this, a permanent rescue fund – the European Stability Mechanism – will be created, which troubled countries can draw upon for emergency loans.
Critically, the ESM will have senior creditor status over fund managers, meaning private investors will be last in the queue for the recovery of money.
Although these decisions were first announced in October last year, the final agreement last week has made peripheral bonds even less appealing to investors by focusing their minds more intently on defaults.
Delays to beefing up the temporary rescue fund, the European financial stability facility, and arguments over how much capital should be set aside for its successor may prove to be bigger headaches, but Cacs are already influencing investment decisions.
Many fund managers are refusing to buy existing peripheral bonds, even though they do not have Cacs written into them – they think these bonds may suffer similar haircuts to those issued after 2013.
M&G Investments has warned that it will not buy peripheral bonds while AllianceBernstein insists it will only buy them in return for higher yields.
Yet Cacs have worked well in emerging markets since they were first introduced by Mexico in 2003 after the default of Argentina two years previously.
The Argentine default convinced policymakers that the restructuring process needed clarifying. They are now common in most emerging markets in Latin America, Asia and central and eastern Europe.
Mexico, Brazil, Indonesia, South Korea, Poland and the Czech Republic issue bonds with Cacs to reassure investors.
Nigel Rendell, senior emerging market strategist at RBC Capital Markets, says: “I think the general consensus in emerging markets is that collective action clauses are a good thing.”
This is because they tend to reduce yields as they offer creditors a collective force and prevent a small minority of so-called hold-outs blocking a default.
That, then, speeds up restructuring negotiations and provides a market solution to a problem that could, like Argentina, otherwise drag on for years.
But in the eurozone, it is a different story.
That is because last week’s agreed framework for a restructuring has once and for all dispensed with the pledge by policymakers – made at the outset of the debt crisis – that a default would be avoided at all costs.

terça-feira, 29 de março de 2011

A QUEM INTERESSE


De acordo com as ‘Normas para Atribuição de Bolsas no âmbito de Projectos de I&D – o Instituto de Ciências de Sociais/ Laboratório Associado da FCT informa-se que foi aberto um concurso para atribuição de uma Bolsa de Investigação (BI) no âmbito do projecto de investigação Entre a escola e a família: conhecimentos e práticas alimentares das crianças em idade escolar (Referência PTDC/CS-SOC/111214/2009), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e em curso no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, sob a coordenação da Doutora Mónica Truninger.


Este edital está disponível  através do seguinte link:


Nota: Parabens ao sortudo /a

segunda-feira, 28 de março de 2011

E VIVA O SOCIALISMO


Ministros, autarcas e directores-gerais, a partir de Abril todos estão autorizados a gastar mais dinheiro.

No caso dos presidentes de câmara, o montante dos contratos que podem decidir por ajuste directo pode chegar aos 900 mil euros (até agora o máximo era 150 mil).

Isto porque na véspera do debate parlamentar sobre a quarta versão do Plano de Estabilidade e Crescimento (PEC), que incluiu cortes nas pensões e nos benefícios sociais, o Governo fez publicar em Diário da República o Decreto-Lei 40/2011, que estabelece as novas regras para autorização de despesas com os contratos públicos. 

sexta-feira, 25 de março de 2011

ANTES QUE SEJA TARDE


Estado nomeia novo presidente para os Estaleiros Navais de Viana do Castelo
O espanhol Francisco Gallardo Durán é o novo presidente executivo dos Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC), no âmbito da reestruturação do Conselho de Administração, que recebeu dois novos elementos.

Francisco Gallardo integra desde 2010 o Conselho de Administração (CA) dos ENVC e passa agora a ocupar o cargo de presidente executivo, deixado vago há quatro meses pelo almirante Victor Gonçalves de Brito, que apresentou a demissão. 

O espanhol, engenheiro naval de profissão, já liderou os Estaleiros de Sevilha. 

A recomposição do CA foi decidida a 22 de Março pela Empordef, holding do Estado para as indústrias de defesa.

De acordo com a informação a que a Lusa teve hoje acesso, prevê-se a integração de Jorge Moreira de Pinho, um ex-quadro da Unicer, como vogal executivo, além de José Luís Serra, que se mantém em funções também como vogal executivo. 

Carlos Veiga Anjos mantém-se como presidente da empresa, em funções não executivas, além do Almirante José Conde Baguinho, o segundo elemento nomeado esta semana para o CA, para fazer a ligação com a Marinha. Esta é actualmente o principal cliente dos ENVC, com cerca de 500 milhões de euros de encomendas. 

Na comissão executiva da empresa, liderada agora pelo espanhol Gallardo, a Empordef delega poderes de "gestão corrente". 

Recorde-se que a administração anterior dos ENVC foi nomeada no último Verão, com cinco elementos, três executivos e dois não executivos. 

Depois da demissão, concretizado a 1 de Dezembro pelo então presidente executivo, Victor Gonçalves de Brito, a 31 de Janeiro foi a vez de Óscar Mota deixar a empresa pública.n

quinta-feira, 24 de março de 2011

O DELÍRIO


A Câmara Municipal de Braga deverá aprovar esta manhã a abertura de concursos para provimento de cinco quadros dirigentes. As propostas que sobem à reunião de vereação são assumidas pela vereadora que tutela os recursos humanos da autarquia e tiveram já o aval do chefe do executivo, prevendo-se que sejam aprovadas pela maioria socialista. Dois novos directores, dois novos chefes de divisão e um técnico superior para a área da administração pública são os cargos a preencher.

Nota:Crise?Qual crise, pergunta o PS

quarta-feira, 23 de março de 2011

LÁ VAI ELE

O ministro da defesa nacional,augusto ernesto santos silva, vai para o olho da rua , sítio de onde nunca devia ter saído

terça-feira, 22 de março de 2011

HORA :::VEJAM

HORA DE INVERNO E VERÃO PARA 2011

Em conformidade com a legislação, a hora legal em Portugal continental:
  • será adiantada de 60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 27 de Março e atrasada de 60 minutos às 2 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 30 de Outubro.

Em conformidade com a legislação, a hora legal na Região Autónoma da Madeira:
  • será adiantada de 60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 27 de Março e atrasada de 60 minutos às 2 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 30 de Outubro.

Em conformidade com a legislação, a hora legal na Região Autónoma dos Açores:
  • será adiantada de 60 minutos às 0 horas de tempo legal (1 hora UTC) do dia 27 de Março e atrasada de 60 minutos à 1 hora de tempo legal (1 hora UTC) do dia 30 de Outubro.

segunda-feira, 21 de março de 2011

HAPPY PEOPLE

O Prémio Defesa Nacional e Ambiente, criado em 1993, por Despacho Conjunto dos Ministros da Defesa Nacional(Fernando Nogueira) e do Ambiente e dos Recursos Naturais(Carlos Borrego), tem por objectivo incentivar as boas práticas ambientais nas Forças Armadas Portuguesas, vincando as suas preocupações na preservação dos recursos naturais do nosso país. 
Este Prémio destina-se a galardoar a unidade, estabelecimento ou órgão das Forças Armadas que, de acordo com os princípios da Defesa Nacional, melhor contributo preste, em Portugal, para a qualidade do ambiente, numa perspectiva de desenvolvimento sustentável, através da utilização eficiente dos recursos naturais, da promoção de boas práticas de gestão de ordenamento do território e da protecção e valorização do património natural e paisagístico e da biodiversidade.

regulamento do Prémio (Despacho Conjunto n. º 8383/2007 dos Ministros da Defesa Nacional e do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento Regional) encontra-se publicado no Diário da República, 2ª série Nº 90, de 10 de Maio de 2007.

Desde 1993 (8 anosconcorreram ao Prémio 80 candidaturas de unidades (10 por ano), estabelecimentos e órgãos dos três Ramos das Forças Armadas (Exército: 38; Marinha: 24; Força Aérea: 18), evidenciando assim o seu empenho, preocupação e contributo para a qualidade do ambiente em Portugal, através da salvaguarda dos recursos naturais, na perspectiva da Defesa Nacional.



Até 31 de março podem concorrer

O DELÍRIO


191691267João Carlos Macedo Viegas



Objecto do contrato:
Aquisição de serviços de apoio técnico ao Sr. Vereador com o Pelouro da Habitação, com uma pessoa singular, em regime de avença


Data da celebração de contrato:
15-03-2011


Preço contratual :
54.000,00 €

Prazo de execução:
365 dia(s)

Local de execução:

  • Portugal - Lisboa - Oeiras

  • Nota:O Vereador é o socialista Emanuel Martins, como não podia deixar de ser .Actualmente, é membro da comissão nacional do PS, presidente da comissão política concelhia de Oeiras e vereador da câmara municipal de Oeiras. É também membro da maçonaria, mais concretamente da Grande Loja Legal de Portugal.
  • Comissão Política do PS OEIRAS

    Presidente: Marcos Sá
    João Carlos Macedo Viegas
    Carlos Alberto R. de Oliveira
    Paulo Pinto C Freitas Amaral
    Maria Manuela  Augusto
    Jorge Rato
    ::::::::::::::etc,etc,etc

Promo Marinha na Futuralia 2011

E VIVA O SOCIALISMO


GNR prepara fusão de unidades para enfrentar a crise
União das unidades de Acção Fiscal e Controlo Costeiro deve avançar até final do ano. Inclusão de pessoal de outras forças nos quadros está, para já, descartada
O comando da GNR prepara-se para voltar a fundir num só grupo as actuais unidades de Acção Fiscal e de Controlo Costeiro. Trata-se de uma medida de carácter economicista mas que, de início, até chegou a ser pensada numa perspectiva mais abrangente, incluindo algumas valências do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) e todo o contingente da Polícia Marítima (PM), que depende do Ministério da Defesa.

A junção da Unidade de Acção Fiscal com a Unidade de Controlo Costeiro ainda não foi oficialmente formalizada mas, de acordo com o que o PÚBLICO apurou, pode vir a concretizar-se até final do ano. A ideia de retomar um modelo que acabou por ser desfeito quando António Costa era ministro da Administração Interna é voltar a conseguir ter no terreno equipas suficientes capazes de gerarem receitas para a GNR. As tarefas de controlo fiscal, a par das do trânsito (antes entregues à Brigada de Trânsito), sempre foram as que maiores proveitos renderam. Com o espartilhamento dos serviços, as receitas decaíram e as dificuldades financeiras acentuaram-se, ao ponto de, em Fevereiro, a GNR ter sentido necessidade de cativar os descontos dos seus efectivos para assegurar o pagamento dos vencimentos.

As chefias da GNR pensaram ainda em incluir no projecto a Polícia Marítima. Tratando-se de uma força que inclui pouco mais de 500 operacionais e que dispõe de equipamento (embarcações) capaz de ser usado em tarefas desempenhadas pela Unidade de Controlo Costeiro, pensou-se que a união dos dois grupos iria servir não só para reforçar os meios existentes, mas também para criar uma equipa ainda mais especializada na fiscalização de embarcações ao longo da costa.

Em declarações ao PÚBLICO, alguns elementos da Associação Sindical da Polícia Marítima entendem que a fusão é, para já, "impossível de concretizar", uma vez que tal "significava perder receitas de milhões" que esta força gera através das operações de fiscalização de embarcações fundeadas e da cobrança de taxas em praias e noutros espaços marítimos.

Quanto à integração de algumas valências do SEF na GNR, a ideia seria aproveitar equipas cuja tarefa passaria por investigar os fluxos migratórios.n
José Bento Amaro

sexta-feira, 18 de março de 2011

OLARÉ


Lisboa, 18 mar (Lusa) - O Conselho Superior de Defesa Nacional foi hoje informado sobre a situação no Norte de África, em particular da Líbia, que foi analisada "em termos de política nacional".
"No âmbito das competências que lhe são atribuídas por lei, o Conselho foi informado sobre a situação no Norte de África, em particular na Líbia, tendo sido objeto de análise em termos de política de defesa nacional", referiuo o general João Goulão de Melo, secretário do CSDN, que no final da reunião leu aos jornalistas uma nota informativa.
O secretário do CSDN adiantou ainda que o Conselho analisou a situação das forças nacionais atualmente em missões de paz no exterior, "missões que têm decorrido segundo a programação e finalidades anteriormente aprovadas, não havendo acontecimentos especiais a registar".

Nota: O CEMA da foto já não é o mesmo e , felizmente,  o Engº CEMGFA já arrumou as botas (estando a tentar um tacho no Sporting) , assim como também o  o CEMFA já mudou

quinta-feira, 17 de março de 2011

LÁ FOI ELE


Cerimónia evocativa dos 50 anos do início da Guerra em África

O ministro da Defesa Nacional,  augusto ernesto santos silva, esteve presente, em Belém, nas Cerimónias Comemorativas dos 50 anos do Início da Guerra em África, presididas pelo Presidente da República. O evento teve como objectivo evocar o esforço da nação portuguesa e das suas Forças Armadas na Guerra do Ultramar e homenagear todos os vivos, mortos e vítimas envolvidos no conflito. Com esse intuito, Cavaco Silva descerrou uma placa comemorativa das cerimónias, no muro exterior do Forte do Bom Sucesso, e depositou uma coroa de flores no Monumento ao Combatente.

Além disso, o Presidente da República proferiu um discurso, onde destacou o papel fulcral que os combatentes desempenharam: "Importa reconhecer que os soldados portugueses foram, em África, soldados de excepção. Fizeram da distância e da saudade um desafio a vencer, assumiram a falta de recursos como razão para a iniciativa e para a adaptabilidade, tomaram a juventude e os seus receios, temperados pela camaradagem e pelo patriotismo, como ingredientes para uma conduta digna e, muitas vezes, heróica."

A terminar as cerimónias, assistiu-se ao desfile do batalhão representativo dos três ramos das Forças Armadas e houve uma breve visita ao Forte do Bom Sucesso, na qual o Comandante Supremo das Forças Armadas procedeu à assinatura do Livro de honra.

Pergunta: "ele" foi lá fazer o quê? Acho uma hipocrisia e uma vergonha

quarta-feira, 16 de março de 2011

MÁ SORTE

Dizem-nos que o ex-engº CEMGFA está numa lista para as eleições no Sporting.

Se essa lista ganha ...coitados dos leões, irão ficar com um club desfeito!!!!!,

segunda-feira, 14 de março de 2011

E VIVA O SOCIALISMO


Governo prepara redução do IVA para o golfe

14 MARÇO 2011 
Os campos de golfe deverão voltar a ser tributados à taxa reduzida de IVA, de 6%, em vez dos 23% que são obrigados a praticar desde o início do ano, com a entrada em vigor do Orçamento do Estado (OE) para 2011. A mudança surge num momento em que o Governo prepara medidas de austeridade que também atingirão o IVA.

In CM


domingo, 13 de março de 2011

LÁ VAI ELE


A próxima "Edição das Dez" contará com a presença do ministro augusto ernesto santos silva. Não perca, amanhã, no TVI24.
Também  dia 15 estará na Comissão de Defesa Nacional , na Assembleia da Republica, não se sabe bem a que propósito e a fazer o quê

sábado, 12 de março de 2011

ERA DE ESPERAR

Só cá faltava esta.

Ou é ignorância ou maldade mesmo.

Então a SANTA Casa a homenagear o fulano que a tramou? e que tramou todas as obras de misericórdia?

Mas com estes socialistas é tudo de esperar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O QUE PAGAMOS



RTP: dotações do Estado desde 2003 comprariam três vezes a SIC e a TVI

Dinheiro investido na RTP ascende a 2 mil milhões de euros. É mais que o
valor bolsista da Zon, da Impresa, da Cofina e da Media Capital

O Estado já atribuiu perto de 2 mil milhões de euros à RTP desde 2003, ano em que
arrancou o acordo de reestruturação financeira da empresa delineado pelo governo
PSD/CDS.
Os montantes dos seis anos anteriores e os aumentos de capital feitos pelo Estado, o volume de
dotações é de mais de 2,0 mil milhões de euros, ou seja, mais do triplo do valor bolsista das
duas empresas que têm canais privados de sinal aberto: a Media Capital, dona da TVI
(321 milhões de euros), e a Impresa, dona da SIC (250 milhões).
Os 2 mil milhões de euros atribuídos pelo Estado à RTP nos últimos oito anos
permitiriam a compra de quase todas as empresas privadas de comunicação social do
país.

Fonte:Adriano Nobre

Nota: E ainda dizem que não sabem onde cortar

ALERTA


O governo chileno emitiu alerta de tsunami para a Ilha de Páscoa e para o litoral do país, após informações fornecidas pelo Serviço Hidrográfico e Oceanográfico das Forças Armadas. As ondas gigantes que podem chegar ao Chile resultam do forte terremoto e do tsunami que devastaram o Japão na madrugada de hoje (11), horário de Brasília.

De acordo com o governo chinelo, cerca de 300 pessoas deixaram a ilha e foram levadas para o aeroporto de Mataveri. O restante dos habitantes foi levado para locais altos da ilha, que fica a 3.700 quilômetros (km) de distância da costa oeste do Chile. A população que vive na costa chilena também será retirada.
ag.Brasil

NO COMMENTS

BOA

Paulo Freitas do Amaral , jovem e excelente Presidente da Freguesia da Cruz Quebrada , abandonou o PS , onde militava desde muitos anos.

Filho do Coronel Gaspar Freitas do Amaral (anos  na casa militar do Presidente da Republica ,Almirante Américo Tomaz , e depois Comandante de um regimento em Angola) ,e cunhado de um distinto Oficial da nossa Armada, Paulo tem conseguido um trabalho brilhante na Junta de Freguesia e conquistado um inequívoco apoio de grande parte da população.

Agora, desfiliado, pelo menos do PS , certamente que ainda mais apoios terá e , quem sabe , dará um salto para  mais alto?

quarta-feira, 2 de março de 2011

DÓTÓRES


"La libertad es un derecho inalienable de los individuos. Un Gobierno justo debe protegerla en su Constitución y sus leyes. El ser humano es un agente autónomo y responsable capaz de razonar y elegir y que debe ser respetado". Así de contundente se pronunciaba Saif el-Islam, el hijo favorito de Muamar el Gadafi para la sucesión, en su tesis doctoral en Filosofía presentada en septiembre de 2008 ante la prestigiosa London School of Economics. Se trata de la misma persona que, poco después de que comenzaran las revueltas en Libia, advirtió a su pueblo de los "ríos de sangre" que correrían si los opositores -a una dictadura de más de 40 años- insistían en su actitud. Hace dos años y medio propuso por escrito fomentar la creación de "instituciones internacionales más justas y democráticas" a través de una mayor participación de la sociedad civil. La London School of Economics, que aceptó del estudiante una donación de 1,5 millones de libras (1,75 millones de euros), un año después de la presentación de la tesis, anunció ayer que está investigando las acusaciones de plagio que pesan sobre Saif el-Islam mientras balbucea sobre el dinero obtenido de la familia del dictador.

La tesis, escrita por Saif el-Islam o por alguien pagado por él, sea original o copiada, es extraordinariamente sorprendente. Incluso si él no la redactó, cabe imaginar que, al menos, la supervisó; o que, como mínimo, eligió el tema. El hijo de Gadafi, de 38 años, educado en Reino Unido y Austria, no solo apostaba por una mayor democracia en el ámbito internacional sino que a lo largo de las 429 páginas de su tesis hizo múltiples referencias a la necesidad de democracia interna dentro de los Estados. Sus filósofos de referencia son David Hume, John Rawls y Ned McClennen, y define su propuesta política -una fórmula a la que llama "Gestión Colectiva"- como liberal, individualista y cosmopolita.
Saif el-Islam, que durante los últimos años fue considerado por los países occidentales como el hijo que podría quizá introducir ciertas reformas en la autocracia libia, aseguraba en 2008 que todos los individuos tienen derecho a formar parte del poder político. "El Estado debe tener límites", señalaba, mientras explicaba que "los ciudadanos de los países no democráticos del Sur ven a sus propios Gobiernos como ilegítimos y no representativos de sus intereses reales". Una obsesión planea sobre las 429 páginas de la tesis: otorgar mayor poder a la sociedad civil, la misma a la que ahora su familia ataca con las armas en Libia. En un momento dado llega incluso a lamentar que el 37% de la población mundial viva en Estados que no garantizan la libertad. Uno de estos países era, según el estudio que él mismo cita, Libia.
No era la primera vez que hacía este tipo de reflexiones. En una entrevista con The New York Times en 2004 -publicada como reportaje bajo el titular "El hijo más moderno de Gadafi es un enigma para Occidente"- declaraba que la democracia era "el futuro" para Oriente Próximo y el Magreb, incluido su país.
David Held, uno de los mentores -aunque no tutor- de Saif el-Islam durante sus años en la London School of Economics, ha emitido un comunicado justificando su relación con él. "Era un joven atrapado entre la lealtad a la familia y su deseo de reformar su país. Mi apoyo siempre estuvo condicionado a que resolviera su dilema encaminándose hacia la democracia. Sus declaraciones han dejado claro que su compromiso reformista se ha visto sobrepasado por la crisis. Trágica y fatídicamente, ha tomado la decisión incorrecta".
La escuela ha respondido en los últimos días a la cuestión del posible plagio tras las protestas de los estudiantes. "Nos tomamos las acusaciones muy en serio y estamos examinando el asunto bajo el protocolo estándar", señaló ayer un portavoz de la London School of Economics a este diario. En cuanto a la donación realizada en 2009 por una fundación de la familia Gadafi en su favor, aseguran que hasta el momento solo han recibido 300.000 libras del millón y medio prometido. La institución afirma que no cobrará el resto y que ha cortado todos los programas con las autoridades libias. El lunes dio un paso más allá en su acto de contrición y anunció que dedicará 300.000 libras -a pesar de que la mitad de lo recibido ya se ha gastado- a un fondo de becas para los estudiantes que procedan del país de Saif el-Islam, el liberal que ahora anuncia que Libia se puede convertir en un lugar "peor que Irak".
Fonte :El País