Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 12 de julho de 2013

ÁS ARMAS

Exma. Senhora Presidente da Assembleia da República Portuguesa

Durante a sua intervenção na assinatura do protocolo com o Ministério da Educação e Ciência e abertura do ano académico, no IDN, o Sr. Ministro da Defesa Nacional afirmou que este protocolo assinado permitirá à nova geração a possibilidade de «fazer as suas escolhas e as suas opções de forma racional».

Ainda bem que assim o pensa e que deseja que a nova geração possa fazer as suas escolhas. No entanto, o Sr. Ministro está a cortar essas escolhas às famílias que queiram que as suas filhas tenham, no ensino público, a possibilidade de um ensino diferenciado. Ao encerrar o Instituto de Odivelas, o Sr. Ministro está a fechar a porta da única escola pública em Portugal que oferece ensino diferenciado para raparigas.

Sei que conhece os últimos estudos internacionais sobre o tema que realçam o maior êxito académico, a capacidade de liderança e a fuga a estereótipos nas saídas profissionais entre os alunos de escolas com ensino diferenciado. Também de acordo com vários estudos realizados, as escolas em regime de internato proporcionam um ambiente equilibrado, uma vida diária mais calma e a consolidação de amizades e de cumplicidades que se mantêm para o resto da vida, podendo igualmente contribuir para estruturar alguns jovens quando a família tem dificuldades em fazê-lo.

Exma. Senhora Presidente da Assembleia da República Portuguesa, enquanto garante da defesa dos interesses do país, peço-lhe que exerça a sua influência para que seja suspenso o despacho que determina o encerramento do Instituto de Odivelas! O Instituto de Odivelas, já com 113 anos, é uma escola de excelência. O Instituto de Odivelas é sustentável, como o provam os dados e argumentos que pais, encarregados de educação, antigas alunas, cidadãos e cidadãs. Prova-o a gestão mais recente e o número de candidatas, pese embora o despacho ministerial que revela um total desconhecimento dos Projetos Educativos específicos do CM, do IO e do IPE. Uma enorme ignorância emerge quanto à história, às práticas pedagógicas e à missão e função social dessas escolas que sendo públicas não podem ser comparáveis às restantes escolas públicas. Os pais e encarregados de educação pagam as mensalidades em função do IRS e os filhos e filhas só escolherão a carreira militar se o pretenderem.

Não deixe destruir um património escolar com mais de 100 anos que cuida de um património monumental com mais de 700 anos!

O despacho que decide o encerramento do Instituto de Odivelas tem de ser revogado ou suspenso.



Com os melhores cumprimentos

M. Margarida Pereira-Müller

Presidente da Direção da

Associação das Antigas Alunas do Instituto de Odivelas

1 comentário:

José Sousa e Silva disse...

Ou me engano muito ou estamos em presença de : ou "ele" muda de assunto, ou o assunto o muda a "ele"...