Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

LET´s SEE



                Os ministros das Finanças e da Defesa reuniram-se ontem com os quatro chefes militares para analisar os problemas do sector.
                O encontro realizou-se no Ministério da Defesa ao fim da tarde, a pedido de José Pedro Aguiar--Branco .
                Os pontos em agenda foram muitos: 
-desbloquear as promoções numa estrutura hierárquica como a militar, em que as funções estão associadas aos postos;
 conhecer os diversos tipos de missões quotidianas das Forças Armadas e as exigências financeiras necessárias ao seu cumprimento, bem como ao treino e formação dos militares que as executam;
 resolver os problemas criados pelo novo sistema remuneratório e dos que já existiam; 
ultrapassar divergências sobre os critérios alegadamente ilegais - e o montante das verbas pagas em excesso, que as Finanças estimam em 26 milhões de euros e a Defesa entende serem significativamente inferiores- usados pelas Forças Armadas aquando da integração dos militares na tabela salarial única da função pública;
 actualizar os suplementos remuneratórios; 
efeitos do novo corte de 30% nas verbas afectas ao regime de Assistência na Doença aos militares; 
redução de 60% das verbas destinadas à modernização dos três ramos ou obrigações financeiras do Fundo de Pensões dos militares.
                Como orçamento da Defesa a ser reduzido em 3,9% em 2012, José Pedro Aguiar-Branco já afirmou que as soluções a encontrar não implicarão qualquer acréscimo de verbas -pelo que a reestruturação do sector (para o qual foi criado recentemente um grupo de trabalho) pressupõe também uma redução significativa dos quadros permanentes das Forças Armadas.
                

Sem comentários: