Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

ADMIRÁVEL

Exmo. Sr. Tenente General Comandante de Instrução e Doutrina,
Meu General,
Exmo. Sr. Major General Director de Educação,
Meu General,
Exmos. Srs. Oficiais Generais
Exmo. Coronel Tirocinado, Director do Colégio Militar,
Oficiais, Docentes, Sargentos, Praças e Funcionários Civis,
Exmos. Convidados,
Pais e Encarregados de Educação,
Minhas Senhoras e Meus Senhores,
Condiscípulos,
Devo confidenciar-vos que a minha alma é, neste momento, invadida por um misto de sentimentos contraditórios. Por um lado, é a alegria e o orgulho que me preenchem, por aqui estar, hoje, no comando do Batalhão Colegial, a discursar para todos vós, nestes claustros centenários gastos pelo tempo … mas por outro, é a tristeza e o receio que me assombram por saber que estes claustros, que sobreviveram a invasões, a guerras civis e a golpes de estado, estão frágeis e que podem sucumbir ao mais pequeno dos terramotos.
O Colégio encontra-se hoje na situação mais difícil da sua longa e áurea história de 210 anos. O Exmo MDN, Dr. José Pedro Aguiar Branco, destruiu, com a tinta azul duma caneta no seu luxuoso gabinete aquilo que, durante mais de dois séculos, milhares de portugueses construíram com o vermelho do sangue nas mais adversas condições.


Alegando, inicialmente, razões económicas e mais tarde, razões de caracter ideológico, o Exmo MDN pôs fim a dois séculos de ensino de excelência, pôs fim a dois séculos da História do nosso Portugal, pôs fim ao sonho do Homem que de simples soldado se fez Marechal e a Ministro da Guerra, cargo que ocupou não pelos jogos políticos mas pela riqueza de caracter e extraordinário carisma demonstrados no comando dos seus homens.
O despacho de Abril veio pôr fim ao Colégio que todos conhecíamos e dar início a um outro, muito diferente, cheio de novos problemas, cheio de novos desafios e, acima de tudo, cheio de novas oportunidades. A responsabilidade de manter a chama viva e de construir o futuro desta casa recai sobre todos nós… Uns por cá estudarem, outros por cá terem estudado, uns por cá trabalharem, outros por terem confiado ao Colégio a educação dos seus filhos … e é por isso que só em conjunto e reforço, só em conjunto seremos capazes de ultrapassar os obstáculos que se adivinham, de forma que peço a todos e a cada um de vós que vos entregueis de corpo e alma a esta nossa Casa que tanto nos ensinou para que possa continuar a transmitir às gerações futuras os valores idealizados pelo Fundador e inscritos no nosso Código de Honra.
Pais e encarregados de educação, quero aproveitar este momento solene para agradecer a confiança que depositastes no Colégio Militar ao escolherdes este projecto educativo para a educação dos vossos filhos. Quero pedir-vos que apoiem e ajudem os vossos filhos com todas as vossas forças, que falem com eles sobre os assuntos que os preocupam e incomodam e que não desistam de lutar por eles mesmo quando eles desistirem de si próprios porque a família é uma unidade fundamental na educação das crianças e dos jovens e sem o vosso apoio, a educação deles fica comprometida.

Professores, da vossa parte esperamos total disponibilidade e máximo empenho porque sois um pilar fundamental na aprendizagem dos nossos alunos. Um bom professor não é aquele que se alheia das suas responsabilidades e permite aos alunos que tudo seja feito, só para cair nas boas graças destes. Um bom professor é aquele que exige o máximo dos seus alunos e não permite falhas por desleixo, mesmo que isso lhe custe uma reputação menos boa perante os discípulos. Empenho e dedicação é tudo o que vos peço porque esta casa também é vossa e cabe-nos a todos trabalhar por ela.
Por último dirijo-me a vós alunos, na qualidade de Comandante de Batalhão e de irmão mais velho. O Colégio tem uma história invejável, com 5 presidentes da república, inúmeros ministros, atletas olímpicos e figuras de relevo na sociedade mas não podemos viver encostados à História nem às figuras ilustres do passado porque o Colégio, muito mais que o passado, é o presente e o futuro. Nós somos a razão de ser desta Casa e não temos estado à altura das circunstâncias. Os resultados escolares dos últimos anos não são admissíveis numa escola que se diz de excelência. É tempo de inverter a postura de ociosidade que se tem vindo a generalizar nos últimos anos e de nos aplicarmos a fundo nos estudos e nos resultados, já que eles são, para a sociedade, o espelho desta Casa e deles depende muito a entrada de novos alunos.
A falta de alunos é um dos principais problemas com que o Colégio se debate, de forma que não nos podemos dar ao luxo de abandonar os mais fracos. Bem pelo contrário, temos o dever de os aceitar na diferença, de os proteger e de os integrar porque ou vencemos como um todo ou morremos como indivíduos. “Neste Colégio, ninguém fica para trás”, disse-o o presidente da AAACM no 3 de Março último e reforço-o eu aqui, porque acredito ser algo que todos temos de interiorizar.
Graduados, este será certamente um ano que nenhum de nós esquecerá. A responsabilidade que recai sobre nós por termos sob nossa alçada a orientação dos mais novos, é enorme. O ano lectivo que hoje oficialmente se inicia reserva-nos certamente inúmeras adversidades, muitas delas relacionadas com o próprio processo de reforma, mas estou certo de que se conseguirmos conservar o bom senso e agirmos sempre de acordo com os princípios do Código de Honra, seremos capazes de ultrapassar todo e qualquer obstáculo que se atravesse no nosso caminho.
Futuros Ratas, reservei para vós uma mensagem muito especial que espero que guardeis na memória como a primeira e uma das mais importantes. É com muita alegria que vos vejo aqui hoje formados no centro das atenções, envergando pela primeira vez a farda cor de pinhão. Inicia hoje, aqui, debaixo de todos estes olhares, o vosso longo percurso de 8 anos que fará de vós homens e mulheres prontas a servir Portugal. Prometo-vos que o caminho vai ser difícil, se fosse fácil qualquer um o faria, cheio de obstáculos e provações que só em conjunto sereis capazes de ultrapassar. Os camaradas que dormem ao vosso lado serão os vossos melhores amigos, não só aqui, durante estes 8 anos, como também depois, quando terminar o vosso percurso. São eles que vão estar presentes nos momentos de maior felicidade e vão ser eles também a dar-vos a mão nos momentos de sofrimento e de tristeza. Hoje, turistas, provavelmente não sereis capazes de entender a profundidade destas palavras mas amanhã, finalistas, compreendereis certamente a emoção nelas contida.
Termino da mesma forma que, em Janeiro de 1961, John F. Kennedy terminou o seu discurso de tomada de posse, dizendo-vos não para perguntardes o que o Colégio pode fazer por vós mas o que podeis vós fazer pelo Colégio.

Bem hajam

O Comandante do Batalhão

Sem comentários: