Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 8 de outubro de 2013

AGUENTA MARUJO

"O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, recusou hoje esclarecer se as pensões de sobrevivência dos militares também vão ser alvo dos cortes que estão a ser preparados para a generalidade destas pensões.
"Essa é uma matéria que está para lá da lógica das Forças Armadas e dos militares em concreto", afirmou o ministro, em resposta a uma questão do deputado do PS, Marcos Perestrelo, em audição na comissão parlamentar de Defesa. Aguiar-Branco aconselhou ainda o deputado a "não cavalgar uma lógica de demagogia".
Perestrelo lembrou que as pensões de sobrevivência no caso dos cônjuges dos militares são um caso "particular" pois "fazem parte do contrato militar". "Faz parte desse contrato que o Estado se responsabilize pelas viúvas desses militares", lembrou o deputado e ex-secretário de Estado da Defesa. O ministro, contudo, não quis dar mais nenhuma explicação sobre a posição do Ministério da Defesa, nomeadamente, se vai ou não defender o regime excepcional dos militares no caso das pensões."

Nota: Com este novo acordo ortográfico a CACINE , mesmo com a ajuda do Cabo Sinaleiro não conseguiu decifrar esta linguagem.
O que será "ir para além da lógica das FA e dos Militares em concreto" ????

Sem comentários: