Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

AGUENTA MARUJO

"Multiplicam-se as queixas dos utentes contra o novo Hospital das Forças Armadas, que reuniu unidades dos três ramos e custou 16 milhões de euros. Uma fusão que parece ter um baixo rendimento. 

As dificuldades na marcação de consultas estão a levar muitos militares a desistir e a optarem por hospitais privados com protocolos.

“Eu contacto com muitos militares e vejo a insatisfação deles, muitos já desistiram e como existem acordos protocolares com outros hospitais, preferem ir a outros”, garante o Capitão de Mar e Guerra, Henrique Mendonça , em declarações à Renascença. 

As queixas chegam dos utentes dos três ramos das Forças Armadas mas também do corpo clínico, garante o presidente da Associação Nacional de Sargentos, Lima Coelho. 

A infra-estrutura foi anunciada pelo Governo em Novembro de 2011 e pretendia centralizar num único local os recursos hospitalares dos três ramos das Forças Armadas.

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, sublinhou várias vezes que este é um exemplo de poupança de recursos, mas a experiência não está a correr bem."

in RR

Militares contestam funcionamento do novo hospital das Forças Armadas - Renascença

http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=31&did=131264#.Upx0Wcsox

Sem comentários: