Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

SERÁ QUE TEM RAZÃO?



O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) recusou hoje a ideia de que se possa promover militares sem actualizar o respectivo vencimento, advertindo que no Estatuto dos Militares (EMFAR) "um posto corresponde a um vencimento".
Em declarações aos jornalistas à saída do Instituto de Defesa Nacional (IDN), onde participou numa conferência sobre partilha de equipamento militar na Europa, o general Luís Araújo disse que "só transitoriamente" é que as Forças Armadas se poderão adaptar ao congelamento das promoções que vigora actualmente.
O CEMGFA assinalou que o EMFAR "é lei" e não apenas um decreto e que, por isso, sem que seja alterado, promover militares sem actualizar o vencimento não é possível.
"A um posto corresponde um vencimento", notou, reforçando que as Forças Armadas se baseiam "na hierarquia" e que os postos têm "conteúdo funcional". 
Questionado sobre até quando é que os ramos poderão assegurar esta situação, o CEMGFA disse não saber, mas lembrou que nas suas declarações, o ministro da Defesa se referiu a uma solução a ser encontrada durante o mandato do Governo PSD/CDS-PP.

1 comentário:

José Sousa e Silva disse...

Se for verdade, estamos em presença de um verdadeiro CHEFE porque compete ao CHEFE defender os direitos dos seus subordinados, participar nas suas alegrias e tentar minimizar-lhes as tristezas.
Bravo Zulu !!!