Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A POLÉMICA


...............Avancemos então com a comparação. Pinheiro Azevedo, segundo creio, não tinha a elevada envergadura intelectual, nem a sólida bagagem jurídico-cultural,  de Adelino da Palma Carlos; não tinha o arrebatamento revolucionário, nem a atitude histriónica e descomedida, de Vasco Gonçalves; não tinha o traquejo e o calo políticos, nem o fulgor panfletário e a eloquência parlamentar, de Mário Soares; não tinha a elevada capacidade de gestão,  nem o notável empreendedorismo, de Alfredo Nobre da Costa, cujo governo duraria, lamentavelmente, apenas 18 dias; não tinha o realismo pragmático, nem a visão abrangente, de Carlos da Mota Pinto; não tinha o catolicismo professante, nem a militância progressista, de Maria de Lourdes Pintasilgo; não tinha a centelha acutilante, nem a vontade indomável, de Francisco Sá Carneiro; não tinha o pundonor sereno, nem a sageza fria, de Francisco Pinto Balsemão; não tinha o rigor contabilístico, nem a presunção de nunca se enganar e raramente ter dúvidas,  de Aníbal Cavaco Silva; não tinha o brilho académico, nem a fraca capacidade governativa, de António Guterres; não tinha o garbo apessoado, nem a  volatilidade política de José Manuel Durão Barroso, que, quando jovem rebelde, o levou  a militar no aguerrido MRPP do fogoso  madeirense Arnaldo de Matos, cognominado pelos seus apaniguados como «o grande educador do povo português»; não tinha a fatuidade inoperante, nem  a ânsia de protagonismo, de Pedro Santana Lopes; não tinha o irrealismo megalómano, nem a indesmentível resiliência, de José Sócrates Pinto de Sousa; não tinha a pose sedutora e melíflua, nem o sorriso abemolado  e ludibriante, nem os tiques de autoritarismo e de hipossensibilidade social,  de Pedro Passos Coelho, o protótipo do forte para com os fracos e do fraco para com os fortes.  
........................

Nota: Foi, dizemos nós, esta parte da intervenção na Academia de Marinha do C/Almirante médico naval Dr. Joaquim Félix António sobre o falecido Almirante Pinheiro de Azevedo que causou um desaguisado com o Presidente da referida Academia, Almirante Nuno Matias

1 comentário:

Anónimo disse...

E qual foi o "desaguisado"???