Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

A GUENTA MARUJO

Ministro da Defesa autorizou realização da despesa, a concretizar durante o primeiro semestre deste ano, através de ajuste directo à empresa alemã que construiu os submarinos.
"O Estado português vai gastar este ano até um montante máximo de cinco milhões de euros, sem IVA incluído, para a aquisição de serviços de manutenção do NRP Tridente, um dos polémicos submarinos comprados à Alemanha durante o Governo de coligação liderado por Durão Barroso.

No despacho assinado pelo ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, publicado esta terça-feira em Diário da República, lê-se que este será um procedimento por ajuste directo, "considerando que o estaleiro da ThyssenKrupp Marine Systems GmbH (TKMS), na qualidade de construtor dos submarinos da classe Tridente, é a única entidade habilitada a realizar, em tempo útil, os trabalhos de manutenção, face à complexa e elevada carga tecnológica, bem como a proceder à aquisição dos sobressalentes e outros meios necessários à sua execução".

Por ser a "única entidade detentora de conhecimento exclusivo em determinadas áreas tecnológicas" destes submarinos, o ministro da tutela delega no Chefe do Estado-Maior da Armada, Luís Fragoso, a competência para aprovar as peças do procedimento de consulta à TKMS, tal como a "tomar a decisão de adjudicação e notificação" à mesma empresa."

Mas a Marinha não gere o seu próprio orçamento? É preciso ser o ministro a autorizar?


1 comentário:

Anónimo disse...

O Amigo está a gozar com o pessoal...

zé luis