Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 21 de maio de 2014

QUEM TE MANDA A Ti OH .......

"Publicamos um artigo do jornalista Henrique Monteiro (Expresso, edição anterior), em que se insurge contra as tomadas de posição de Oficiais Generais, entre eles ex-CEM, e Superiores (retirando-se da sala do IESM onde se realizaria a apresentação de um livro do GEN Loureiro dos Santos) e da AOFA (não comparecendo na cerimónia comemorativa do 40º Aniversário da ADFA, optando pelo envio de um ofício em que se explicavam as razões dessa decisão, sem esquecer o reconhecimento do respeito que nos merece). Como se recordarão, essas tomadas de posição tiveram a ver com a presença do MDN e de os Militares, com a frontalidade que lhes é reconhecida, adequarem os seus comportamentos à máxima de que “acção pressupõe reacção”. E, como muito bem recordou o ex-CEME, GEN Pinto Ramalho, há quem não se esqueça da penalização a que têm sido sujeitas as Forças Armadas e os Militares, pela mão do MDN!
O jornalista, para além do mais, permite-se tecer considerações acerca dos comportamentos que, no seu entender, os Militares deviam observar. Lembrando ao jornalista que os Militares, em Juramento de Honra feito perante a Bandeira Nacional, se comprometem a defender a Pátria até às últimas consequências, mesmo que com o sacrifício da própria vida, se e quando necessário, e, portanto, não precisam de lições seja de quem for, permitimo-nos transcrever o que pensa dessas observações o TGEN Formeiro Monteiro, Presidente da Assembleia-Geral da AOFA: “Este senhor do jornal Expresso deve andar distraído, e muito preocupado com a imagem do governo, digo eu, uma vez que não há qualquer obrigação legal, ética ou simplesmente de índole social, que obrigue, seja quem for, a assistir, ouvir, ou simplesmente estar presente em locais onde qq ministro, ou qq membro do governo estejam presentes, a não ser nas situações em que protocolarmente tal seja obrigatório”.
Tece, ainda, o jornalista, considerações sobre a representatividade dos Oficiais em apreço e da AOFA, só porque que decidiram não partilhar as mesmas salas com o MDN. Se essa representatividade é assim tão pequena, porque será que o jornalista Henrique Monteiro se dispôs a gastar com esta questão uma parte do seu tempo, bem como uma coluna do prestigiado jornal cujos quadros integra?...
Não deixa de ser curioso que, por coincidência, o MDN tenha sentido a necessidade de recordar “o que fez” no portal do Ministério, no que parece ser uma operação destinada a melhorar a sua imagem, um trabalho feito, certamente, a partir das verbas que o Orçamento do Estado coloca à sua disposição.
A completa percepção de tudo isto está, certamente, no que o GEN Loureiro dos Santos afirmou sobre as condições em que se encontram as Forças Armadas e o que sentem, hoje, os militares, na entrevista que concedeu ao programa “Livre Pensamento” (RTP2) e a que podem aceder a partir deste RI (ou da nossa página do Facebook). Com o respeito devido ao nosso General, permitimo-nos salientar a forma ponderada, simples e compreensível a qualquer cidadão como se debruçou sobre o papel das nossas Forças Armadas num mundo em mudança. Cumpre-nos recordar que o GEN Loureiro dos Santos já presidiu ao Conselho Deontológico da AOFA e continua a honrar a Associação com a sua presença como sócio.
Com a consciência do dever cumprido,

Cordialmente,..."

Sem comentários: