Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 22 de maio de 2012

ANGOLA,UÉ


Nota politica

No passado dia 19 de Maio (sábado) tiveram lugar em Angola, Luanda e capitais provinciais, participadas manifestações populares de rua, seguidas por comícios.
Estas manifestações realizaram-se a apelo, e sob a direcção, do maior partido da oposição angolana, a UNITA.
Foram, por toda Angola, manifestações pacíficas e ordeiras.
 Reclamando, fundamentalmente, que as eleições anunciadas para este ano (2012) em Angola, sejam eleições livres.
Parece obvio aos signatários desta nota politica que essas manifestações foram factos políticos de indiscutível relevância para Angola e não só.
Qualquer que seja a interpretação, politica e social, que cada um de nós possa fazer sobre o significado e importância que as manifestações da UNITA tiveram, e terão, para Angola.
A razão desta nota, para os signatários, é a estranheza que constitui o facto de nenhuma dessas participadas manifestações ter tido a menor relevância na comunicação social portuguesa.
Os signatários desta nota não têm conhecimento de nenhuma referência significativa, em nenhum dos canais de televisão portugueses, nomeadamente na RTP que tem correspondente em Luanda.
Os signatários, cidadãos portugueses, manifestam a sua preocupação por este, inexplicável e indesculpável, “lapso” informativo da RTP. E apelam a que ele ainda seja corrigido pela RTP com imagens das manifestações em Angola.
Consideram, independentemente de simpatias ou antipatias politicas que qualquer de nós possa ter em matéria de politica angolana, que ele representa um facto grave. Que põe em causa a liberdade de informação em Portugal.
Por isso fizeram questão de redigir e divulgar esta nota politica que subscrevem.

Maria Antónia Palla
Maria João Sande Lemos
Margarida Mayer
João Barroso Soares

Lisboa, 22 de Maio de 2012-05-22 



Um grupo de cerca de 15 indivíduos afectos às milícias pró-governamentais, armados com pistolas, catanas e varas de ferro, atacou esta noite o núcleo de jovens que tem liderado a organização de manifestações anti-Dos Santos, desde Março de 2011.
Pouco depois das 22h00, os atacantes irromperam, de surpresa, a residência do rapper Casimiro Carbono, no Bairro Nelito Soares, em Luanda, onde se encontravam reunidos 10 jovens.
De pistolas em punho, os atacantes espancaram violentamente Gaspar Luamba, Américo Vaz, Mbanza Hamza, Tukayano Rosalino, Alexandre Dias dos Santos, Jang Nómada, Massilon Chindombe, Mabiala Kianda, e Explosivo Mental. O anfitriao, Casimiro Carbono, escapou aos ataques por ter saído pouco antes para atender a um telefonema.

Sem comentários: