Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

ÁS ARMAS

A Câmara Municipal de Odivelas exige que o Instituto de Odivelas mantenha as suas actividades regulares de ensino no Mosteiro de S. Dinis

A Câmara Municipal de Odivelas exige que o Instituto de Odivelas mantenha as suas actividades regulares de ensino no Mosteiro de S. Dinis, em Odivelas, bem como, que o Regimento de Engenharia N.º1 permaneça instalado e em estado de operacionalidade, enquanto unidade militar, na Freguesia da Pontinha, Concelho de Odivelas.
O Manifesto lançado no dia 20 de Dezembro pela Presidente da Câmara, Susana Amador, apoiado por todo o Executivo Municipal de Odivelas, sendo que outras instituições e personalidades já manifestaram o seu apoio.
A Câmara Municipal apela a todos os interessados em defender o Instituto de Odivelas, os Pupilos do Exercito e o Colégio Militar e em garantir a permanência na Pontinha do Regimento de Engenharia N.º1 para que possam apoiar esta causa.
Recorde-se que o Governo mantém-se intransigente na decisão de extinguir o Instituto de Odivelas (IO), através da fusão de todos os estabelecimentos militares de ensino (Pupilos do Exército, Colégio Militar e IO) e, como se não bastasse, prepara-se ainda para desmantelar o Regimento de Engenharia N.º1, na Pontinha.
O Governo, através do Ministério da Defesa, recusa aceitar todas propostas que permitiriam garantir a sustentabilidade financeira do IO e insiste em ignorar as consequências económicas e sociais da decisão ao mesmo tempo que elimina os factores históricos, culturais e marcas identitárias de cada instituição.
O próprio Presidente da República, Prof. Aníbal Cavaco Silva, afirmou que “o Instituto de Odivelas é uma instituição de elevada credibilidade, que interessa a Portugal acarinhar e incentivar, e da qual têm saído mulheres que têm prestado relevantes serviços ao País nas diversas áreas da cultura, das artes e das ciências, fazendo votos para que continue a preservar e honrar a sua história, as suas tradições e os seus princípios”. É esta Instituição secular que não podemos deixar acabar!
O Regimento de Engenharia N.º1 (RE1), sendo a primeira Unidade de Engenharia Militar em Portugal com 200 anos de história, dos quais 112 anos foram na Pontinha, está localizado na região de maior vulnerabilidade de risco sistémico do país, nomeadamente a nível sísmico, das inundações e outras calamidades, pelo que a sua desactivação/deslocalização das actuais instalações comprometeria a segurança das populações e bens de toda a Área Metropolitana de Lisboa (AML). Esta é, aliás, uma das razões que leva o RE1 a integrar todos os planos de protecção civil das 18 câmaras municipais que constituem a AML, em virtude da sua capacidade militar, técnica e operacional que dispõe.
É perante estas e muitas outras fortes razões que a Câmara Municipal de Odivelas assume a iniciativa de lançar um Manifesto onde se exige que: O Instituto de Odivelas mantenha as suas actividades regulares de ensino no Mosteiro de S. Dinis, em Odivelas, bem como, que o Regimento de Engenharia N.º1 permaneça instalado e em estado de operacionalidade, enquanto unidade militar, na Freguesia da Pontinha, Concelho de Odivelas.
O Manifesto lançado pela Presidente da Câmara, Susana Amador, apoiado por todo o Executivo Municipal de Odivelas, sendo que outras instituições e personalidades já manifestaram o seu apoio.
A Câmara Municipal apela a todos os interessados em defender o Instituto de Odivelas, os Pupilos do Exercito e o Colégio Militar e em garantir a permanência na Pontinha do Regimento de Engenharia N.º1 para que possam apoiar esta causa.
O documento poderá ser consultado e subscrito AQUI.

Sem comentários: