Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 22 de março de 2014

ESTA É DE CALIBRE ALTO

Parece que a "última" do ministro aguiar hifen branco é querer que os Militares que tenham qualquer cargo político, provisório necessáriamente, não poderão voltar às Forças Armadas.(DN)

Então e os Juízes? E os Polícias? e os Magistrados ? E o SEF?

Há aqui na CACINE quem bem se tramou por causa disso, mas , mesmo nesse tempo , nunca ninguém se atreveu a ir tão longe.

E , atenção aos Políticos, porque quem mexe nisto terá, certamente dizemos nós, de mexer também nas incompatibilidades dos Ministros, Deputados e outros que tais.

Pode-se ser Deputado e Director de um banco? Pode

Pode-se ser ministro e ter escritório de advocacia aberto? Pode

Sobre a foto......

4 comentários:

Anónimo disse...

Há algum Militar a desempenhar funções políticas agora????

zé luís

Manel disse...

s militares das Forças Armadas eleitos para cargos políticos passam a ser obrigados a deixar a instituição, perdendo qualquer vínculo a que tenham direito.

PUB

Segundo o Diário de Notícias (DN), esta saída das Forças Armadas implica que os militares deixem de ser pagos pela Caixa Geral de Aposentações (CGA) quando passarem à reforma.

Esta medida, lê-se na publicação, faz parte da proposta de Lei de Defesa Nacional (LDN) que Aguiar-Branco enviou aos grupos parlamentares do PSD, CDS e P

Manuel Leonardo disse...

Aonde esta' a honorabilidade das forcas armadas e paramilitares?
Estao constantemente a serem violados os seus direitos por um louco que infelizmente sabe muito bem o que esta' a fazer!!!
Quando chega a ocasiao de dizerem JA'BASTA !!!
Manuel Joaquim Leonardo
Peniche Vancouver Canada
12 /05/ 29 -- 23/3/14

S. Bagonha disse...

"por um louco que infelizmente sabe muito bem o que esta' a fazer!!!"
É bem verdade o que diz. Eles podem parecer loucos, mas sabem perfeitamente o que estão a fazer.
Louco, verdadeiramente, é este nosso pobre povo, que não só se deixou enganar, como também parece disposto a continuar a deixar-se levar neste verdadeiro e dramático "conto do vigário".