Google+ Followers

Google+ Followers

sábado, 29 de março de 2014

O NAUFRÁGIO do BOLAMA




4 de Dezembro de 1991

O senhor Prof. Marcelo Rebelo de Sousa no comentário político feito no domingo 23 de Março de 2014 , na parte em que divulga obras literárias, referiu-se à novidade de haver um livro recente sobre “ O Mistério do Bolama—ACIDENTE ou SABOTAGEM” da autoria de Jorge Almeida da  “Gradiva”. ( ver fig 2).
O signatário foi ler o livro e ficou surpreendido por ser prácticamente o mesmo texto editado pelo mesmo autor em  2007 pela Primebooks em Fevereiro de 2007. ( ver fig 1)
Sobre o que é divulgado nos dois livros o signatário nada tem a comentar, mas já agora e porque pode vir a haver uma nova edição sugiro melhorar/ precisar   o descrito no Cap III ou 3,  com uma adaptação pelo autor ao que a seguir se detalha:
O desaparecimento ocorreu a 4 de dezembro de 1991. Nos 4 dias anteriores e 15 dias seguintes o vento na nossa costa foi quase sempre dos sectores LESTE e  SUESTE
Conforme  imagem publicada  pelo “ Expresso” em 11 de Janeiro de 1992,  o corpo do Guineense Isaias Bailó, natural de Bolama, apanhado pelo pesqueiro Estarola a 10 de Janeiro, foi colocado na posição 1, porque o Mestre deste pesqueiro , descreveu ao signatário o percurso seguido desde o Cabo da Roca até ter levantado a rede. Este infeliz guineense tinha no pulso um relógio analógico que marcava quase uma hora e pelo estado dos olhos e outras partes do corpo,  evidenciava que tinha estado os 37 dias à deriva no fundo e sido atacado por animais marinhos tipo caranguejos. Mais tarde, cerca de 4/5 dias depois, o Instituto de Medicina Legal, que reportava à Polícia Marítima e que por sua vez reportava ao signatário informou que o corpo tinha o estômago sem indícios de ter almoçado, o que permitiu deduzir que o naufrágio teria ocorrido repentinamente à uma da tarde.
Esta conjectura, associada ao conhecimento da deriva da corrente perto do fundo junto da Bóia de Espera ( somatório vectorial da forte corrente da cunha salina de vazante  e enchente provocada pela maré no estuário do Tejo) ,  que baliza a entrada da Barra Sul de acesso ao Porto de Lisboa, medida por correntógrafos fundeados 2 anos antes do desaparecimento do navio, pela Divisão de Oceanografia do Instituto Hidrográfico , e que é para NW e da ordem de 1cm/s, ( ao invés da corrente perto da  superfície), permitiu avançar para uma nova área de busca a Sonar Lateral sobre a batimétrica dos 120 m, com inicio perto da Boia de Espera, pois as 888 horas de deriva dum corpo inerte junto do fundo, assim obrigava o senso comum a ter em consideração.
Devido ao estado do mar e à necessidade de instalar o sistema de posicionamento Trisponder nos Faróis do Bugio, Cabo da Roca e Cabo Espichel, esta nova missão de busca só foi possível ter inicio a 3 de Fevereiro de 1992 pelo NRP Auriga.
Conforme está descrito no livro , Cap III, o aparecimento do eco muito forte obtido pelo sonar lateral é  reconfirmado pelo navio com vários rumos cruzados e determinada  a sua posição rigorosa com 3 linhas de posição e com  erro menor que 2 metros, ( a 116 m de profundidade) pelo NRP Auriga, que  recebe instruções do IH,  para regressar à Doca da Marinha para embarcar o Sistema de Visualização com Operação Remota ( acrónimo  ROV em inglês) cujo cabo de manobra “ umbilical” só tinha 200 metros.
Esta realidade levou a preparar no IH um sistema de amarração com 3 espias de 350 metros a fundear com POITAS feitas com Bidons cheias de Betão que só ficaram prontas cerca das 4 da manhã do dia 5 de Fevereiro, de modo a fundear a Auriga na vertical do Eco obtido a Sonar lateral., numa zona da nossa costa com muito forte corrente de maé. O NRP Auriga saiu da Doca da Marinha pelas 9h e entre as 1030 e as 1400 andou-se em manobras para fundear as poitas e colocar o navio na vertical do referido eco.
ÁS  05 Fev 14 41 12 de  1992 identificou-se o eco com a imagem da capa dos referidos livros –BOLAMA.

Cascais 29 de Março de 2014
José Luís Gonçalves Cardoso
CAlm EHO ref
( Ex- Chefe da Divisão de Oceanografia Física do Instituto Hidrográfico e nomeado por ordem superior como o Coordenador de toda a informação que permitisse descobrir o DESAPARECIMENTO do BOLAMA

Nota:Excelente trabalho do Senhor Almirante Gonçalves Cardoso e os nossos penhorados agradecimentos

4 comentários:

Anónimo disse...

Boa. Bom artigo

LGF

Manel disse...

A coincidência de Mistérios a "4 de Dezembro".....

Anónimo disse...

Parabéns ao autor e ao blogue por esta pagina

Alexandre

Anónimo disse...

Excelente texto. Parabéns ao Autor

Artur