Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 12 de março de 2014

FIGURA DE ?????

omemorações incluem explicação do voto pela neurociência. Mas não falam em Salgueiro Maia


O programa de comemorações oficiais dos 40 anos do 25 de Abril não inclui, até agora, qualquer iniciativa que tenha como protagonistas os militares que fizeram a revolução. Entre exposições, concertos, ciclos de cinema e até um "Dia da Deliberação" - que abordará a "relação entre a neurociência e o processo decisório e do voto" -, aos militares fica reservado o papel de espectadores.
O programa definido pelo governo foi ontem publicado em "Diário da República" e inclui um concerto, uma conferência, uma exposição sobre "O Design de Comunicação e o 25 de Abril" ou o referido Dia da Deliberação (ver programa em mais detalhe na coluna ao lado). O que não inclui é qualquer iniciativa dedicada aos que protagonizaram a revolução dos cravos. Salgueiro Maia, por exemplo, é um nome ausente dos programas oficiais, não merecendo até agora qualquer iniciativa específica.
Questionado pelo sobre se está prevista a participação de militares de Abril em algum dos eventos anunciados, o gabinete do ministro Miguel Poiares Maduro - que ficou responsável pela coordenação do programa - respondeu que essa "participação será sempre uma escolha dos comissários" que lideram cada uma das iniciativas. E acrescenta que foi transmitida aos vários responsáveis designados pelo executivo a disponibilidade manifestada pelas Forças Armadas para participar nas comemorações.
"SEM SURPRESA" Vasco Lourenço, um dos membros do movimento dos capitães e presidente da Associação 25 de Abril, diz ter recebido "sem surpresa" o programa definido pelo executivo. "Não me surpreende. O governo comporta-se como herdeiro dos vencidos do 25 de Abril, está a destruir tudo o que cheire a 25 de Abril. Mas como sentem que não têm condições para dizer que não comemoram fazem-no de forma embrulhada", critica. Em anos anteriores, a associação exclui-se das comemorações na Assembleia em protesto contra a política do governo.
No parlamento também não há nenhuma iniciativa que envolva a participação activa dos militares, mas o gabinete da presidente da Assembleia da República (AR), Assunção Esteves, sublinha que os "militares de Abril têm lugar de honra na sessão solene do 25 de Abril, assim como em todos os eventos previstos".


2 comentários:

Anónimo disse...

Nem do Salgueiro Maia nem do Jaime Neves nem nada.Esta gentalha nao presta

jose luis p.m.

Allen disse...

Não ficaste na foto, Manuel Maria?