Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 31 de maio de 2012

BRIOSA


Para jogar na Liga Europa a Académica terá de criar um terceiroequipamento. Esta situação ficou prevista na última revisão dos estatutos, mas a cor da indumentária ainda não está escolhida.
Numa história de 125 anos, nunca se colocou esta situação e vida da Briosa sempre foi a preto e branco. Agora, 40 anos depois – último jogo foi a derrota frente ao Wolverhampton, na época de 1971/1972 – a Briosa está de volta à “Europa”, o que obriga a arranjar uma terceira cor de equipamento.
Há vários anos que a discussão se arrasta, sempre que se fala de “Europa”, mas nunca se chegou a uma conclusão.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

BUENO....

O ministro da Defesa, José Pedro Aguiar-Branco, considera que Portugal vencerá a “batalha” da dívida pública, com inovação, empenho e coragem, como fez no passado em relação aos castelhanos...

ZIMBABWÉ


As Nações Unidas decidiram escolher o Presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, como um dos seus líderes para o turismo.

Uma escolha que está a levantar uma onda de indignação junto de activistas dos direitos humanos.

A CACINE teve de vontade de tocar a postos de abandono....ou de combate.

Mas neste mundo louco, acreditamos na vaca a voar 

terça-feira, 29 de maio de 2012

RIGHT MAN

Será que ainda aceitará ser o Chefe dos Serviços Secretos???

segunda-feira, 28 de maio de 2012

É FARTAR.....

Observatório do medicamentos e dos produtos da saúde
Observatório nacional de saúde
Observatório português dos sistemas de saúde
Observatório vida
Observatório do ordenamento do território
Observatório do comércio
Observatório da imigração
Observatório para os assuntos da família
Observatório permanente da juventude
Observatório nacional da droga e toxicodependência
Observatório europeu da droga e toxicodependência
Observatório geopolítico das drogas
Observatório do ambiente
Observatório das ciências e tecnologias
Observatório do turismo
Observatório para a igualdade de oportunidades
Observatório da imprensa
Observatório das ciências e do ensino superior
Observatório dos estudantes do ensino superior
Observatório da comunicação
Observatório das actividades culturais
Observatório local da Guarda
Observatório de inserção profissional
Observatório do emprego e formação profissional
Observatório nacional dos recursos humanos
Observatório regional de Leiria
Observatório permanente do ensino secundário
Observatório permanente da justiça
Observatório estatístico de Oeiras
Observatório da criação de empresas
Observatório Mcom
Observatório têxtil
Observatório da neologia do português
Observatório de segurança
Observatório do desenvolvimento do Alentejo
Observatório de cheias  
Observatório da sociedade de informação
Observatório da inovação e conhecimento
Observatório da qualidade em serviços de informação e conhecimento
Observatório das regiões em reestruturação
Observatório das artes e tradições
Observatório de festas e património
Observatório dos apoios educativos
Observatório da globalização
Observatório do endividamento dos consumidores
Observatório do sul Europeu
Observatório europeu das relações profissionais
Observatório transfronteiriço Espanha-Portugal
Observatório europeu do racismo e xenofobia
Observatório dos territórios rurais
Observatório dos mercados agrícolas
Observatório virtual da astrofísica
Observatório nacional dos sistemas multimunicipais e municipais
Observatório da segurança rodoviária
Observatório das prisões portuguesas
Observatório nacional dos diabetes
Observatório de políticas de educação e de contextos educativos
Observatório ibérico do acompanhamento do problema da degradação dos
povoamentos de sobreiro e azinheira
Observatório estatístico
Observatório dos tarifários e das telecomunicações
Observatório da natureza
Observatório qualidade
Observatório da literatura e da literacia
Observatório da inteligência económica
Observatório para a integração de pessoas com deficiência
Observatório da competitividade e qualidade de vida
Observatório nacional das profissões de desporto
Observatório das ciências do 1º ciclo
Observatório nacional da dança
Observatório da língua portuguesa
Observatório de entradas na vida activa
Observatório europeu do sul
Observatório de biologia e sociedade
Observatório sobre o racismo e intolerância
Observatório permanente das organizações escolares
Observatório médico
Observatório solar e heliosférico
Observatório do sistema de aviação civil
Observatório da cidadania
Observatório da segurança nas profissões
Observatório da comunicação local
Observatório jornalismo electrónico e multimédia
Observatório urbano do eixo atlântico
Observatório robótico
Observatório permanente da segurança do Porto
Observatório do fogo
Observatório da comunicação
Observatório da qualidade do ar
Observatório do centro de pensamento de política internacional
Observatório ambiental de teledetecção atmosférica e comunicações
aeroespaciais
Observatório europeu das PME
Observatório da restauração
Observatório de Timor Leste
Observatório de reumatologia
Observatório da censura
Observatório do design
Observatório da economia mundial
Observatório do mercado de arroz
Observatório da DGV
Observatório de neologismos do português europeu
Observatório para a educação sexual
Observatório para a reabilitação urbana
Observatório para a gestão de áreas protegidas
Observatório europeu da sismologia
Observatório nacional das doenças reumáticas
Observatório da caça
Observatório da habitação
Observatório do emprego em Portugal
Observatório Alzheimer
Observatório magnético de Coimbra


AGUENTA MARUJO


Caros camaradas

Passados meses (quase um ano) sobre a tomada de posse do actual Governo, devidamente alertado pela AOFA para a situação do Fundo de Pensões dos Militares (FPM) através de um Memorando remetido a todos os Partidos concorrentes às eleições antes destas terem lugar, Memorando reenviado para os Partidos que fazem parte da coligação que nos governa depois destas eleições e para Sua Exa. o actual MDN, várias audiências decorridas em que a questão foi sempre levantada (quer com Sua Exa. o MDN quer com todos os Grupos Parlamentares, incluindo os da coligação), depois de ofícios sobre a matéria, depois, também, de Sua Exa. o Secretário de Estado da Defesa Nacional (SEDN) ter reconhecido, no final do ano de 2011, que só havia verbas para dois meses, milhares de militares que contribuíram com os seus descontos para esse direito, legalmente protegido, não receberam o complemento de pensão de reforma de Maio.
A indignação da AOFA ficou patente no comunicado que emitiu, dando sequência, como prometido, ao que saiu a público em 22 de Maio passado.
Em anexo podem aceder ao comunicado no qual, face à inaceitável suspensão do pagamento dos complementos de pensão de reforma, a AOFA se dirige publicamente aos Exmos. Senhores Governantes, por ausência, da parte destes, do cumprimento da Lei Orgânica nº 3/2001, de 29 de Agosto.
Para além, de evidenciar outro incumprimento da lei, neste caso, o que se refere ao diploma que criou o Fundo de Pensões, num Governo em que era Primeiro-Ministro o Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva e MDN o Doutor Fernando Nogueira, e as consequências desse acto sobre as condições de vida e o moral de um universo que deu o seu melhor na Guerra, numa manifestação de desconsideração e desrespeito que faz, também, temer pelo que acontecerá no futuro aos combatentes de hoje, a AOFA recorda – e apenas no que se verificou após 2005! – a sistemática degradação dos direitos que devem servir de contrapartida ao leque vastíssimo de restrições e deveres a que se encontram sujeitos os militares, uns e outros constantes da Lei nº 11/89, de 1 de Junho, “Bases gerais do estatuto da condição militar”.
Não podendo esquecer as situações por que nos fazem passar, mas não permitindo que isso diminua a devida cordialidade aos que nos vêm acompanhando,
O Responsável pelas Relações Públicas
Tasso de Figueiredo
COR TPAA

domingo, 27 de maio de 2012

BRAVÔ


O chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas (CEMGFA) defendeu hoje uma reestruturação do Estado-Maior General (EMGFA), que deverá passar pela redução de efetivos e fusão de serviços e obriga a uma revisão da lei orgânica.
"Está identificado que no EMGFA se pode fazer melhor e se pode fazer melhor emagrecendo", afirmou o general Luís Araújo, que falava num encontro com jornalistas.
O comandante operacional das Forças Armadas disse, por exemplo, querer transferir as competências do Comando Operacional dos Açores e da Madeira para o Comandante Operacional Conjunto ou reduzir o número de generais na estrutura diretiva do Instituto de Estudos Superiores Militares.
"Não querendo estar a fulanizar dou-vos um exemplo: a Direção-Geral de Política de Defesa (na dependência do Ministério) tem muita coisa que é redundante com a Divisão de Planeamento Estratégico Militar (do EMGFA). Onde começa uma e acaba a outra, isso tem de ser muito bem definido, mas há coisas que podem aí ser racionalizadas, no meu entendimento", defendeu ainda.
Também o Estado-Maior Conjunto, criado com a Lei Orgânica de Bases da Organização das Forças Armadas (LOBOFA) de 2009, "é para acabar".
As mudanças apontadas pelo CEMGFA vão obrigar a alterações na LOBOFA e na lei orgânica do EMGFA.

sábado, 26 de maio de 2012

POR AÍ

Anda por aí, e outra vez, o Medo.

O Povo, o suave Povo, tem medo dos ladrões, dos assassinos, dos vigaristas,dos pedófilos,dos intriguistas, dos falsificadores, dos.....

Mas o pior é que o Povo, o suave Povo, também tem, e agora, medo dos Juízes, dos Polícias , dos Jornalistas, dos....

Isto está bravo. A coisa aqui está preta, irmão

sexta-feira, 25 de maio de 2012

GRANDES FUZOS


MAIS UM


Nomeia o ministro plenipotenciário de 1.ª classe Mário Alberto Lino da Silva como Embaixador de Portugal não residente em Barbados.

Para quem lá quiser ir

quinta-feira, 24 de maio de 2012

PORCA MISERIA

O C-130 da Força Aérea não pode voar no EEUU e em nem todos os países europeus.

Isto porque precisam de actualizar um equipamento de comunicações de VHF, que tem de dar mais dígitos e porque não possuem o TCAS , avisador de rota de colisão.

Não sei o preço, mas penso que se o ministro dispensar um dos seus assessores (e fôr buscar o substituto aos quadros do Ministério ou mesmo ás Forças Armadas) , arranjar-se-ía o dinheiro.

terça-feira, 22 de maio de 2012

ANGOLA,UÉ


Nota politica

No passado dia 19 de Maio (sábado) tiveram lugar em Angola, Luanda e capitais provinciais, participadas manifestações populares de rua, seguidas por comícios.
Estas manifestações realizaram-se a apelo, e sob a direcção, do maior partido da oposição angolana, a UNITA.
Foram, por toda Angola, manifestações pacíficas e ordeiras.
 Reclamando, fundamentalmente, que as eleições anunciadas para este ano (2012) em Angola, sejam eleições livres.
Parece obvio aos signatários desta nota politica que essas manifestações foram factos políticos de indiscutível relevância para Angola e não só.
Qualquer que seja a interpretação, politica e social, que cada um de nós possa fazer sobre o significado e importância que as manifestações da UNITA tiveram, e terão, para Angola.
A razão desta nota, para os signatários, é a estranheza que constitui o facto de nenhuma dessas participadas manifestações ter tido a menor relevância na comunicação social portuguesa.
Os signatários desta nota não têm conhecimento de nenhuma referência significativa, em nenhum dos canais de televisão portugueses, nomeadamente na RTP que tem correspondente em Luanda.
Os signatários, cidadãos portugueses, manifestam a sua preocupação por este, inexplicável e indesculpável, “lapso” informativo da RTP. E apelam a que ele ainda seja corrigido pela RTP com imagens das manifestações em Angola.
Consideram, independentemente de simpatias ou antipatias politicas que qualquer de nós possa ter em matéria de politica angolana, que ele representa um facto grave. Que põe em causa a liberdade de informação em Portugal.
Por isso fizeram questão de redigir e divulgar esta nota politica que subscrevem.

Maria Antónia Palla
Maria João Sande Lemos
Margarida Mayer
João Barroso Soares

Lisboa, 22 de Maio de 2012-05-22 



Um grupo de cerca de 15 indivíduos afectos às milícias pró-governamentais, armados com pistolas, catanas e varas de ferro, atacou esta noite o núcleo de jovens que tem liderado a organização de manifestações anti-Dos Santos, desde Março de 2011.
Pouco depois das 22h00, os atacantes irromperam, de surpresa, a residência do rapper Casimiro Carbono, no Bairro Nelito Soares, em Luanda, onde se encontravam reunidos 10 jovens.
De pistolas em punho, os atacantes espancaram violentamente Gaspar Luamba, Américo Vaz, Mbanza Hamza, Tukayano Rosalino, Alexandre Dias dos Santos, Jang Nómada, Massilon Chindombe, Mabiala Kianda, e Explosivo Mental. O anfitriao, Casimiro Carbono, escapou aos ataques por ter saído pouco antes para atender a um telefonema.

CÁ NÃO HÁ DISTO

Livré en mars par les chantiers Huntington Ingalls Industries, le transport de chalands de débarquement USS San Diego a rejoint le port éponyme, où il est basé, afin d'être mis en service le 19 mai au sein de la marine américaine. Sixième TCD (LPD) du type San Antonio, le LPD 22 mesure 208.5 mètres de long et présente un déplacement de 25.300 tonnes en charge. Conçu pour les opérations amphibies, il peut embarquer jusqu'à quatre hélicoptères lourds ou deux convertibles Osprey, alors que son radier abrite deux engins de débarquement sur coussin d'air LCAC. Le pont des véhicules couvre une surface de 2325 m2 et les installations permettent d'héberger 700 Marines. 
En tout, 11 bâtiments de ce type doivent être livrés à l'US Navy.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

BRAVO


V Encontro Nacional dos Antigos Alunos da Fragata D. Fernando II e Glória
Vai realizar-se no dia 2 de Junho de 2012 na localidade do Bombarral, o V Encontro Nacional dos Antigos Alunos da Fragata D. Fernando II e Glória.
A Concentração terá lugar junto ao Continente/Modelo pelas 11,00 horas, seguindo-se a recepção e convívio pelas 11,30 horas e almoço às 13,00 horas no Restaurante Zélia.
As inscrições devem ser efectuadas até ao dia 15 de Maio para os seguintes contactos:
Joaquim António Pereira Lopes
Avenida Dr. Joaquim de Albuquerque, nº 15
2540-004 Bombarral
Telemóvel 967970171

VALENTES

Fuzileiros do DFE 11, que actuou em Angola de 1964/1966, sob o comando do então 1º tenente Manuel Melo e Cunha.

Foto de A. Esteves na Associação de Fuzileiros

domingo, 20 de maio de 2012

SABIAM?

Vêm cá , a 30 de Maio e acho que ficam até ao dia 3.

Convidados pelo Presidente Cavaco e....esposa.

Nem sei como têm pachorra!!!!!!!!!

AOFA


COMUNICADO
(2012MAI19)

AS PROMOÇÕES NAS FORÇAS ARMADAS

1.             Repetindo-se, com a Lei do Orçamento do Estado de 2012 (OE/2012), o congelamento das promoções imposto no de 2011, desde cedo se tornou evidente, tal como a AOFA insistentemente alertou, que, para além das gravíssimas repercussões nas expectativas de carreira dos militares, legalmente consagradas, a situação se tornara insustentável para a gestão das necessidades da estrutura, fortemente hierarquizada, das próprias Forças Armadas.
2.             Expectativas não confirmadas e consequente insatisfação, traduzida nos abates ao Quadro Permanente, que, sabemos, se têm vindo a verificar, e ainda na vontade que muitos militares manifestam de transitar para a situação de reserva, concretizada frequentemente com requerimentos efectuados nesse sentido. E, só não se verifica a passagem de todos os que requerem para essa situação porque, estatutariamente, para quem não possua o tempo de serviço completo, é permitido o indeferimento da pretensão por parte das chefias militares, que previnem, desse modo, uma autêntica sangria em pessoal com qualificações e competências vitais para o funcionamento das Forças Armadas.
3.             Recorda-se, por ser importante, que, paralelamente ao congelamento das promoções nas Forças Armadas, na Administração Pública continuaram a ser providos cargos por simples nomeação, assegurando aos nomeados proventos bem superiores aos auferidos nas funções anteriormente desempenhadas. 
4.             As sucessivas declarações de Suas Exas. os Ministro da Defesa Nacional (MDN) e Secretário de Estado da Defesa Nacional (SEDN) vinham criando, entretanto, alguma expectativa de que o problema poderia ser ultrapassado com a dignidade que se impunha, face ao papel, sem paralelo, que as Forças Armadas desempenham na sociedade.
5.             A publicação da Lei nº 20/2012, de 14 de Maio, que pôs em vigor o Orçamento Rectificativo, fez, no entanto, levantar sérias dúvidas sobre a concretização dessas expectativas.
6.             Com efeito, o aditamento do artigo 20º-A à Lei nº 64-B/2011, de 30 de Dezembro, veio permitir as promoções, durante o ano de 2012, “mediante despacho prévio dos membros do Governo, responsáveis pelas áreas das finanças e da tutela, justificada que esteja a sua necessidade” (nº 1).
7.             Coloca-se aqui, desde já, a primeira grande dúvida: que se entende por “necessidade”? O preenchimento de alguns cargos na estrutura organizacional das Forças Armadas ou a concretização de todas as promoções legalmente suportadas, tendo em vista evitar os danos não negligenciáveis sobre a indispensável coesão, que outro tipo de solução acarretaria?
8.             Por outro lado (nº 2 do artigo), das promoções autorizadas “não pode resultar o aumento da despesa com o pessoal nas entidades em que se verifiquem as promoções”.
9.             Se o OE/2012 foi aprovado no pressuposto de que as promoções ficariam congeladas, e, por isso, dotado das verbas estritamente necessárias para suportar as restantes despesas com o pessoal, à custa de quem se vão processar tais promoções? Do “poupado” nas descabidas e injustas regressões remuneratórias determinadas a mais de 4.000 militares? Na saída prematura de militares em Regime de Contrato (RC), frustrando legítimas expectativas legalmente consagradas e agravando ainda mais a situação em que se encontram as Forças Armadas?
10.         Resultando do artigo aditado (nº 3) que os efeitos remuneratórios “apenas se verificam no dia seguinte ao da publicação do diploma de promoção”, contrariando o que anteriormente sucedia, associando os efeitos da ocorrência à data da situação em que o militar podia ser promovido, será que se pretende atirar as promoções para o final do ano, a fim de evitar as inevitáveis consequências sobre as verbas? E para onde são remetidas, neste caso, as necessidades das Forças Armadas decorrentes de um conceito mais ou menos abrangente, como se viu?
11.         Estabelece ainda o artigo 20º-A (nº 4) que o tempo de serviço prestado em 2012 releva para efeitos de promoção. Tem obrigatoriamente que se perguntar: e os outros tempos? Porque é que o tempo de serviço prestado não releva igualmente para efeitos de progressão no regime remuneratório, como sucede, aliás, para os funcionários da Administração Pública?
12.         Importa também ter presente que, no quadro das medidas ditas excepcionais, impostas pelas Leis do Orçamento do Estado, não houve o cuidado de, simultaneamente com o congelamento das promoções, suspender outras disposições estatutárias corelacionadas, como é o caso dos limites de idade para a permanência nos diversos postos, de que que decorre a inexorável transição para a situação de reserva, cuja manutenção já causou – e vai causar – prejuízos insanáveis na carreira de numerosos militares, com óbvios reflexos na coesão, devido ao mal-estar latente que origina.
13.         Não houve, também, qualquer medida cautelar que proporcionasse uma réstea de esperança aos que, mesmo antes da crise, já se debatiam com gravíssimos problemas nos fluxos de carreira dos respectivos Quadros Especiais (QE), com particular saliência para o Ramo Exército.
14.         Por último, importa registar duas breves, mas importantes, notas.
15.         O Governo, com esta solução, tentou distanciar-se do que vier a ser concretizado, uma vez que procurou remeter para as Chefias Militares eventuais consequências desfavoráveis das soluções que forem adoptadas, que, a verificarem-se, serão, como é óbvio, da inteira responsabilidade dos decisores políticos.
16.         E, para não fugir a uma regra que tem vindo a caracterizar a sua actuação, o Governo, mais uma vez, não cumpriu o que a Lei Orgânica nº 3/2001, de 29 de Agosto, estabelece sobre as competências das Associações Profissionais de Militares: não só não integrou seus representantes no grupo ou equipa que tratou esta questão, como também colocou o movimento associativo perante um facto consumado, ignorando o direito de audição.

O Presidente



Manuel Martins Pereira Cracel
Coronel TPAA

sexta-feira, 18 de maio de 2012

RECONHECIDO

A Presidente da Câmara Municipal de Almada entrega, no próximo dia 19 de maio de 2012, a Medalha de Ouro da Cidade de Almada à Marinha Portuguesa, representada pelo Chefe de Estado-Maior da Armada, Almirante José Saldanha Lopes.


E já não era sem tempo

quinta-feira, 17 de maio de 2012

RIGOR MORTIS

O ministro aguiar branco ganhou hoje a estrela que desejou sempre ter para ficar numa história bera dos ministros da defesa complexados .
Ganhou, ainda por cima a reboque da horrível e lamentável gestão do seu antecessor, uma coisa que não interessa a ninguém, porque se foi mexer e mudar em algo que funcionava bem.

É como a ADM, que agora deve dinheiro a toda a gente, funciona mal, está a causar problemas em toda a parte e não aparece quem juntou as estruturas a reconhecer que foi um erro tremendo.

Não estou a ver , francamente, daqui a meia dúzia de anos o sr. aguiar branco , sentado no seu milionário escritório do Porto , vir reconhecer que cometeu uma alarvidade ao pronunciar o Hospital único das Forças Armadas , como hoje o Conselho de Ministros fez.

Para a CACINE já se esboça no ar o cadáver do Hospital da Marinha, com lustros de servidão ilustre, feito casa de saúde de luxo.

Isto é uma pena, uma grande pena

COMPRE PORTUGUÊS

56 para Portugûes

quarta-feira, 16 de maio de 2012

FANTÁSTICO


Sábado, 19 de Maio
  • 22º Almoço-convívio da Companhia de Artilharia 2339, "Viriatos", "Lealdade e Nobreza", Guiné Jan1968 a Dez1969, no restaurante "Machado", na Maia.
  • Convívio do Batalhão de Caçadores 1855, "Lobos Ferozes e Matreiros", Angola 1965/1967, no restaurante "Dom Guilherme", Oiã, Oliveira do Bairro.
  • Encontro-convívio dos Combatentes do Centro de Instrução de Condutores Auto de Lourenço Marques e do Batalhão de Cavalaria 8424/74, Moçambique 1974/1975, no Hotel São Pedro, Arouca.
  • 24º Encontro-convívio da Companhia de Caçadores 3387 do Batalhão de Caçadores 3848, Angola, Quixico (Nambuangongo), Grafanil (Intervenção) e Chiede (Pereirad'Eça) 1971/1973, no Núcleo dos Sportinguistas, Figueira da Foz.
  • Encontro-convívio da Companhia de Artilharia 2733, Moçambique 1970/1972, no restaurante "Estância", em Oliveira do Bairro.
  • Almoço-convívio da Companhia de Caçadores 3345, "Bravos e Altivos", do Batalhão de Caçadores 3839, Angola 26Abr71 a 12Mai73, em Castelo Branco.
  • 22º Convívio da Companhia de Artilharia 1595, Moçambique 1966/1968, Igreja Matriz, Espinho.
  • Almoço de confraternização do Batalhão de Caçadores 4811/72, Moçambique 1973/1974, no restaurante "O Sancho", Tamengos, Aveiro.
  • Almoço de confraternização dos Combatentes do Batalhão de Caçadores 2831, Moçambique 1968/1970, no restaurante "D. Nuno", Boleiros, Fátima.
  • Almoço-convívio da Companhia de Cavalaria 1706 do Batalhão de Cavalaria 1917, "Dinossáurios", Zalala (Angola) 1967/1969, Casa da Malta, em Alcochete.
  • 18º Encontro dos Combatentes da Companhia de Caçadores 1555 do Batalhão de Caçadores 1890 e Comemoração do 44º Aniversário do regresso de Moçambique 1966/1968, no restaurante "Dan José", Penha, Guimarães.
  • 5º Convívio Nacional da Companhia de Cavalaria 1773 do Batalhão de Cavalaria 1927, Angola 1967/1969, em Turquel, Alcobaça.
  • 2º Encontro-convívio da Companhia de Caçadores 1586, "Os Jacarés", Guiné 1966/1968, no Museu Arqueológico, em Vila Nova de Foz Côa.
  • 29º Almoço-convívio do Pelotão de Apoio Directo 3116, Moçambique (Mueda) 1972/1974, no restaurante "Dom Rogério", Oiã, Oliveira do Bairro.
  • Encontro-convívio dos "Jacarés", Destacamento de Fuzileiros Especiais nº 12, Guiné Jan1970 a Dez1971, em Estremoz.
  • 27º Convívio do Batalhão de Artilharia 6221/72, "Os Castores", Moçambique 1973/1974, Priscos, Braga.
  • Convívio da Companhia de Caçadores 2380, Angola 1968/1970, Quinta da Malgueira, Minde.
  • 25º Encontro do Batalhão de Caçadores 3840 (CCS, CCac3346, CCac3347 e CCac3348), Angola Mai71/Mai73, no restaurante "O Truão", Boleiros, Fátima.
  • 51º Aniversário da Companhia de Sapadores 151, Angola 1961/1963, no Salão de Festas Visconde de Coruche, Quinta Grande, em Coruche.
  • VIII Almoço de confraternização do Batalhão de Artilharia 733, "Valorosos Audazes Corajosos", Guiné 1964/1966, Meia Légua (Estrada Nacional 125), em Olhão.
  • Encontro-convívio comemorativo do 42º Aniversário do regresso da Companhia de Artilharia 2388, "Os Rafeiros", Moçambique 1968/1970, no restaurante "Barraca de Pau", ao Km4 da Estrada Évora>Lisboa (lado direito), Évora.
  • Almoço-convívio dos Katuas de Bobonaro, Cavalaria 5, Timor, no Salão Moinho de Vento, em Almeirim.
  • XXII Encontro da Companhia de Caçadores 3351 do Batalhão de Caçadores 3841, Angola 1971/1973, no restaurante na Quinta do Picado, Aradas, Aveiro.
  • Convívio da Companhia de Comando e Serviços (CCS) do Batalhão de Cavalaria 571, "Se Fizeram Por Armas Tão Subidos", Moçambique (Mocuba, Zambézia) 1963/1966, Quinta do Lago, Alferrarede, Abrantes.
  • X Convívio da 1ª Companhia "Diabos do Lago" do Batalhão de Caçadores 19, em Mecanhelas, Moçambique, no restaurante "Mont'Alto", Serra de Monte Alto, Arganil.
  • Convívio da Companhia de Caçadores 1632 do Batalhão de Caçadores 1899, Moçambique 1967/1969, no restaurante "Arcada", Tocha, Cantanhede.
  • Almoço de confraternização do Batalhão de Cavalaria 8422/73, "Perguntai ao inimigo quem Somos", Moçambique, na Igreja de Fazendas de Almeirim, Fazendas de Almeirim.
  • Convívio da 4ª Companhia de Comandos de Moçambique 1971/1973, em Almeirim.
  • Encontro-convívio da 2ª Companhia do Batalhão de Caçadores 4214/73, "Caças", Angola (Luvaca) 1973/1974, em São Pedro de Moel.
  • 14º Convívio do Hospital Militar Territorial nº 2031, Beira, Moçambique, no Montijo.
  • Convívio do Batalhão de Caçadores 3874 (CCS), Moçambique 1972/1974, em Águeda.
  • Encontro-convívio Companhia de Caçadores 2351 do Batalhão de Caçadores 2840, no Cadaval.
  • Encontro-convívio dos Combatentes de Reconhecimento de Cavalaria do Esquadrão de Cavalaria 2, sedeado em Mueda, Cabo Delgado, Moçambique, que combateram por todo o Planalto Maconde de 1964 a 1974, em Guardão de Cima, Tondela.
  • Almoço-convívio dos Combatentes do Batalhão de Caçadores 4613/72 que andou por terras de Angola nos anos de 1973/1974, em Vila do Conde.
  • Almoço-convívio dos Combatentes da CART 1407, Angola 1965/1967, no restaurante "A Ti Matilde" em Chão de Couce, Ansião.
  • 19º Encontro-convívio de Combatentes do Batalhão CAV 8322/72, na Quinta do Paúl, Ortigosa, Leiria.
  • Almoço-convívio de Combatentes do PAD 1048, Angola 1965/1968, no restaurante "O Telheiro", Mealhada.
  • Almoço-convívio de Combatentes da Companhia de Caçadores 3444 do Batalhão de Caçadores 3858, Angola (Região dos Dembos, Piri e Quibaxe) 1971/1974, em Lagos (junto à marina e à estação dos comboios).
  • 23º Convívio do Esquadrão de Reconhecimento 8840/73, (Chaimites), Guiné (Bafatá, Piche e Aldeia Formosa) 1973/1974, no restaurante "O Teixeira", Brogal, Parceiros, Leiria.
  • Convívio de Combatentes do BTR AAA 386, comemorativo do 50º aniversário da partida para África, no restaurante "Zé da Génia", Quinta das Carrascas, Cela, Alcobaça.
  • "Comandos do Alentejo". 20º Almoço de Confraternização de Combatentes que prestaram e prestam serviço em Unidades 'Comando', no restaurante "Manuel Galhetas" (Estrada Évora>Redondo, ao Km 4, a contar da rotunda junto à bomba da BP), Quinta Nova do Degebe, Évora.
  • 8º Encontro-convívio de Combatentes da Companhia de Engenharia 9146, Nangade/Nogomano, Moçambique, na Quinta da Salmanha, Vila Verde, Figueira da Foz.
  • 43º Encontro-convívio de Combatentes da Companhia de Caçadores 2534, "Destemidos e Confiantes", Angola (Madureira, Zala Nambuangongo e Cambambe) 1969/1971, na Aldeia de Santo Antão, Batalha.


    Encontro em Montemor-o-novo do DFE 11 (1967/69)



    Domingo, 20 de Maio

    • 32º Encontro da Associação de Amizade do Batalhão de Artilharia 645 "Águias Negras", "Bravos, Leais e Fiéis", Guiné (Mansoa, Bissorã e Olossato) 1964/1966, no restaurante "Dom Nuno", Boleiros, Fátima.
    • 2º Convívio de Combatentes do Batalhão de Intendência de Angola, incluindo PelInt.'s, CInt.'s e CTpts, adstritas, sob o lema: "Perdidos e Achados", 40 anos depois!, na Aldeia de Alqueva (próximo da Barragem do mesmo nome, no Rio Guadiana), Portel.
    • 6º Convívio da Companhia de Cavalaria 2443, Guiné 1968/1970, "Vitória só com Sangue", "Os Reis do Inferno", na Quinta dos Castanheiros, Boa Vista, Leiria.
    • Associação de Combatentes do Concelho de Arganil. Almoço de Aniversário 2012, no restaurante "O Cantinho", Mucelão, São Martinho da Cortiça.
    • Almoço-convívio de Combatentes do Batalhão de Caçadores 2914.
    • XXXV Convívio do Batalhão de Caçadores 2874 (CCS, CCAÇ 2510, 2511, 2512), Angola 1969/1971, no restaurante "Farnel", Quinta do Monte da Barca, Coruche.