Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

A ULTIMA ACÇÃO


"O presidente do Serviço Nacional de Bombeiros e Protecção Civil (SNBPC), Leal Martins, apresentou hoje de manhã a demissão em fax enviado ao ministro da Administração Interna.

Na carta em que apresenta a demissão, Leal Martins referia, entre outros factos, que não pode deixar de assumir as suas responsabilidades no caso da utilização abusiva em Lamego de um helicóptero de combate a incêndios, que fazia também viagens turísticas.""


O Senhor Engº Joaquim Leal Martins partiu , hoje, para sempre , na sua última viagem.

Cap.m.g EMN entrou para a Escola naval com o curso "Oliveira e Carmo" , em 1962 e desempenhou variadíssimos cargos na Armada estando embarcado em vários navios.

No 15º Governo  Constitucional , e sendo MAI o Dr. Figueiredo Lopes , o Engº Leal Martins desempenhou o alto cargo de Presidente do Serviço Nacional de Bombeiros, embora por curto espaço de tempo.

Ao curso Oliveira e Carmo e ao seu Chefe de Curso, C/Almirante Nunes da Cruz e ao Chefe de curso dos EMN C/Almirante Jorge Beirão Reis e à Exma Família do Engº Leal Martins, um bom Militar e um Excelente Homem, a homenagem da guarnição da CACINE

1 comentário:

JOÃO SENA disse...

ZARPOU O QUIM DA ORCA


As nuvens negras, de um astro bem escuro, atormentaram a nave em que, quase desnudo, há muito navegavas. Reduziste o pano ao mínimo e içaste a vela de tempo e aproaste na esperança de uma aberta na tempestade.
O vento nunca amainou. No mar grosso com os panos arreados enfrentaste a tempestade de vagas de cristas compridas, ronciana em lençóis estirados em faixas brancas de água esbranquiçada.
O rolo foi violento e caótico.
Sem visibilidade acabaste por naufragar.
Regressaste hoje á terra que sempre te foi fraterna, bem longe das terras que nos viram nascer. Estavas cansado e, muito mais, desiludido. Escalar a vida a pulso, rindo dos aplausos e das pancadinhas nas costas, igual a ti mesmo, ao Quim da Orca, que fora de carroça fazer o exame da quarta classe à vila, chegaste onde muito poucos chegaram com muito trabalho, determinação e coragem.
Na Escola Naval que te formou e onde tu ensinaste, depois de teres de prestar provas públicas para professor, ficou a esteira de um Engenheiro Naval sabedor, humano e exemplo de Marinheiro.
Fomos amigos no colégio do Fundão. Acompanhei-te nestas últimas singraduras. Dei conta da coragem com que lutaste contra a morte.
Resta-me ficar a acenar neste cais da Saudade enquanto as lágrimas que me caiem do rosto engrossam as águas do mar salgado.
Eu e os meus perdemos um querido AMIGO. Daqueles genuinos da rama do castanheiro!
Que sem ventos nem tempestades Deus te acolha no Porto Eterno.


joão sena