Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

RIDICULUM


MP investiga declarações de Otelo                                                                                                                                            
                O MINISTÉRIO Público abriu um inquérito às declarações de Otelo Saraiva de Carvalho, que admitiu a possibilidade de haver um golpe militar no País «para derrubar o Governo», caso fossem «ultrapassados os limites». A investigação surgiu na sequência de uma queixa de um grupo de cidadãos indignados com declarações do Capitão de Abril.
                Numa entrevista à agência Lusa a propósito de uma manifestação de militares no dia 12 de Novembro de 2011,0 coronel na reserva defendeu ser contra estas manifestações, mas admitia que, se fossem ultrapassados os limites, os militares deveriam «fazer uma operação militar e derrubar o Governo». «Estou convicto  que, em qualquer altura, se os militares estiverem dispostos a isso, podem avançar sempre para uma tomada de poder», explicou, adiantado que uma revolta como a de Abril de 1974 seria agora mais fácil. «Bastam 800 homens».
                As declarações foram recebidas com preocupação por alguns antigos responsáveis militares, que as classificaram como um «incitamento à alteração violenta d  Estado de Direito», crime punível no Código Penal com um a oito anos de prisão. Confrontado com a abertura do inquérito, Otelo Saraiva de Carvalho desdramatizou: «Limitei-me a emitir uma opinião e esta não pode ser crime nenhum».


Nota:As palavras poderão (se foi exactamente o que o Coronel disse) ser ridículas, mas a investigação do MP é muito mais

2 comentários:

Allen disse...

Isto não é um caso de MP, mas sim de SNS (área da psiquiatria). O homem é nitidamente inimputável.

Anónimo disse...

O MP custa-nos muito dinheiro e não pode perder tempo com isto. Há muitas outras coisas mais importantes para fazer, sobretudo na área da corrupção. Ataquem a corrupção e deixem o Otelo falar, falar, falar.