Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 30 de setembro de 2012

CHEIRA A ....GNR


O Ministério da Administração Interna (MAI) quer instalar no Cabo da Roca,uma torre de radar com 45 metros que terá mais do dobro da altura do farol , que tem apenas 22 metros. O posto de observação costeira deverá ser instalado a apenas 70 metros do miradouro e a 190 metros do farol do Cabo da Roca, num local onde actualmente existe uma pequena construção.

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

A SABER


 Tomará posse na próxima quinta-feira, pelas 15h30, na Estação Salva-Vidas de Peniche do Instituto de Socorros a Náufragos, o novo comandante da Capitania do Porto de Peniche.
  O capitão-tenente Pedro Daniel Vinhas Silva, natural das Caldas da Rainha, onde viveu e estudou até ingressar na Escola  Naval ,substitui o capitão-de-fragata Luís Filipe Patrocínio Tomás.
 Também a Capitania da Nazaré terá um novo dirigente. O capitão-tenente Manuel Lourenço Gorricha substituirá o capitão-de-fragata António José Henriques de Albuquerque e Silva.

Felicidades aos empossados

GUINÉ,UÉ


Guiné-Bissau: CPLP e União Europeia «financiam projectos» do Governo de Transição
2012-09-28 18:41:55

Bissau - Artur Sanha, Presidente da Câmara Municipal de Bissau, revelou que, tanto a União Europeia (UE) como a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), já anunciaram acordos de princípios com a finalidade de prestar apoios financeiros ao Governo de Transição, no poder desde golpe de Estado de 12 de Abril.
O Presidente da Autarquia de Bissau não avançou nenhum dos países que manifestou esta intenção.

O ex-secretário-geral do Partido da Renovação Social (PRS) falou esta quarta-feira, 27 de Setembro, em exclusivo à PNN, e sublinhou que a Transição em curso na Guiné-Bissau veio para ficar.

«Que todos saibam que, seja a UE ou a CPLP, existem acordos com o país, pelo que é necessário esquecer condenações ou intervenções, que não nos vão ajudar em nada», disse Artur Sanha.

Interrogado sobre os moldes como estes acordos vão ser implementados após o golpe, Artur Sanha explicou que os referidos documentos são multi-sectoriais, no que diz respeito à concessão de créditos financeiros, projectos de desenvolvimento de diferentes sectores, na segurança alimentar, agricultura e pescas e pistas rurais.

«São ainda os acordos por parte da BAD, BOAD isto tudo adicionado a solicitações que são feitas por empresários estrangeiros de diferentes tipos. Trata-se de um conjunto de projectos, incluindo a construção de 80 casas pré-fabricadas, que dentro de 60 dias deverão iniciar os trabalhos», revelou Artur Sanha.

A nível da Câmara Municipal de Bissau, O Presidente revelou que está em curso o projecto de construção do matadouro na capital guineense, e anunciou acabar com as práticas de venda ao ar livre de pão e construções clandestinas.

A ideia da construção de mercados nos diferentes bairros da capital e também a suspensão de licenças de concessão de terrenos e de construção de casas foram, entre outros, aspectos abordados durante a entrevista com Artur Sanha.

O Presidente da Câmara falou à PNN no âmbito da tomada de posse de novo Director da Polícia da Câmara Municipal de Bissau.
(c) PNN Portuguese News Network

BRAVO


A anexação do Instituto de Odivelas Infante D. Afonso ao Colégio Militar, em Lisboa, tem suscitado a maior controvérsia nos meios académicos, militares e políticos. Esta eventual junção, apresentada como inevitável dentro do contexto de uma política economicista, desvirtuará os estabelecimentos de ensino, bem como a base dos projectos, particularmente da instituição de Odivelas, também importante instrumento de política externa porque forma alunas oriundas de países de língua oficial portuguesa, futuros quadros superiores e decisores desses países, seguramente determinantes nas relações sociais, económicas, culturais e, porventura, também políticas entre os Estados que falam a mesma língua.
Mas a perspectiva de anexação do Instituto de Odivelas no Colégio Militar levanta vozes dissonantes no seio da própria coligação que suporta o governo. O tema gerou grande mobilização contra a junção que começou com uma petição pública para ser debatida na Assembleia da República.
Ontem, José Maria Pignatelli, independente eleito pela coligação "Em Odivelas, primeiro as Pessoas" apresentou uma proposta no decurso de uma Assembleia da segunda maior freguesia do País, Odivelas, no sentido da manutenção do Instituto de Odivelas, como um estabelecimento de ensino de referência nacional e internacional, mantendo-se no Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo.
Passamos a transcrever a proposta:
Começo por citar a Professora Margarida Cunha:
«Há uma escola em Portugal que defende a qualidade, o rigor e a exigência;
Há uma escola em Portugal que há 112 anos alia tradição e inovação;
Há uma escola em Portugal, fundada em 1900, com um propósito inicial nobre e social: educar e formar meninas e jovens órfãs de militares;
Há uma escola em Portugal com alunas, filhas de militares e de civis, provenientes de meios socioeconómicos e geográficos muito diversos;
Há uma escola em Portugal onde valores como o dever, a honra, a disciplina e a responsabilidade são praticados diariamente;
Há uma escola em Portugal que há décadas possui estudos acompanhados, apoios educativos e atividades extracurriculares reconhecidas em Portugal e no estrangeiro;
Há uma escola em Portugal com sucesso escolar e com resultados nos exames nacionais e provas de final de ciclo muito acima das médias nacionais;
Há uma escola em Portugal onde se vive o lema das antigas alunas: SER AMIGA É SER IRMÃ;
Há uma escola em Portugal que tem no seu hino e na sua prática o ideal da VERDADE;
Há uma escola em Portugal que tem como divisa: DUC IN ALTUM – Cada vez mais alto!». Fim da citação.
«Há uma escola que interessa a Portugal acarinhar e incentivar, e da qual têm saído mulheres que têm prestado relevantes serviços ao País nas diversas áreas da cultura, das artes e das ciências...», afirmou o Presidente da República, por ocasião da Comemoração do 110.º Aniversário do Instituto de Odivelas, a 14 de Janeiro de 2010.
Essa escola é o Instituto de Odivelas – Infante D. Afonso.
O Instituto de Odivelas é escola há 112 anos. Foi fundado precisamente em 1900 pelo Infante D. Afonso de Bragança e, é hoje um estabelecimento de ensino - ainda que dependente do Estado-Maior do Exército – que forma e educa filhas de militares, de militares da Guarda Nacional Republicana, da Polícia de Segurança Pública de todas as patentes, e da comunidade civil.
A instituição é também reconhecida como um importante instrumento de política externa porque forma alunas oriundas de países de língua oficial portuguesa, futuros quadros superiores e decisores desses países, seguramente determinantes nas relações sociais, económicas, culturais e, porventura, também políticas entre os Estados que falam a mesma língua.
Assim é: a ligação entre alunas perdura por décadas, muito por força das características do projecto de ensino do Instituto de Odivelas que vai para além do estudo e aprendizagem, mas antes se enquadra num âmbito pedagógico com horizontes sociais precisos e em áreas curriculares universais.
Este ano lectivo, frequentam o Instituto de Odivelas 281 alunas que se preparam em diversas valências.
A instituição -que funciona em regime de internato e externato - promove cursos com as competências essenciais e as orientações programáticas e metodológicas fixadas pelo Ministério da Educação. Também ministra sólida formação humanística e técnica de forma a facultar às alunas os conhecimentos e a cultura indispensáveis à frequência do ensino superior e, se for caso disso, ao ingresso nos cursos de formação dos Quadros Permanentes das Forças Armadas.
Ao Instituto de Odivelas é-lhe reconhecida capacidade na gestão de um espaço com quase 6 hectares, da maior importância na zona histórica da cidade de Odivelas.
É inquestionável que à instituição se deve a maior dinâmica daquela área urbana, com influência directa no comércio e serviços locais, bem como, mais recentemente ao apoio de alguns eventos de carácter sociocultural.
Sabe-se que a sua capacidade tem crescido e ainda se encontra distante de esgotada, porventura a carecer de interacção maior entre a instituição e a comunidade.
E às suas antigas alunas todos podemos agradecer trabalho social meritório, particularmente no que resulta do Banco Alimentar Contra a Fome.
Pelo que se expõe, porque a cidade antiga de Odivelas ficaria sujeita à desertificação e ao anonimato e porque não foi anunciada qualquer alternativa para a utilização do espaço que integra Património Cultural do Estado configurado numa obra gótica de relevo na área metropolitana de Lisboa, entende-se:
I. Que a personalidade e o estatuto do Instituto de Odivelas só fazem sentido no espaço a que se vincularam, o Mosteiro de S. Bernardo e S. Dinis, de Odivelas;
II. Que só o Instituto de Odivelas encerra actualmente competência para preservar o Mosteiro de Odivelas, num momento de crise que se agudiza e se prolonga;
III. Que será contraproducente que o Instituto de Odivelas Infante D. Afonso venha a ser integrado no Colégio Militar, em Lisboa, saindo da cidade de Odivelas, 112 anos depois de ter sido fundado;
IV. Apoiar a Petição Pública contra o não encerramento daquele estabelecimento de ensino em Odivelas.
A proposta será enviada ao Presidente da República, aos Líderes das Bancadas dos Partidos com assento na Assembleia da República, ao Primeiro-ministro, ao Ministro da Defesa Nacional, ao Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, ao Chefe do Estado-Maior do Exército, ao Director do Instituto de Odivelas Infante D. Afonso e à Presidente da Câmara Municipal de Odivelas.

SERÁ?


Os chefes militares declararam esta sexta-feira que "os assuntos internos das Forças Armadas são da sua responsabilidade direta e exclusiva".
Em comunicado, no final do Conselho de Chefes de Estado-Maior (CCEM), os seus quatro membros frisaram "claramente que, fora do quadro legalmente estabelecido, não aceitam quaisquer interferências diretas ou indiretas na cadeia hierárquica de comando".
Na base do comunicado do CCEM, feito a três dias da ida dos chefes a Belém para uma reunião marcada há uma semana pelo Presidente da República mas apresentada como "de urgência", estão as "afirmações públicas [...] exteriores à cadeia de comando das Forças Armadas, amiudadas vezes totalmente descontextualizadas, ilegítimas, despropositadas e mesmo irresponsáveis".

Nota:Com o devido respeito não é o que  tem parecido.Pelo contrário o ministro aguiar hifen branco tem-se metido, e de que maneira.Ainda há tempos parece que, numa conferencia,um ex-CEMA lhe perguntou porque não estava ninguém a representar a Armada , ao que o habitante teria respondido que ele o fazia...(vendo como foi comprada). Vejam o que se passa no IASFA, por exemplo, que mandou embora um Almirante e um General da Força Aérea , para os substituir por um Amigo civil.

OH TEMPO,VOLTA.....


A IR


AINDA POR CÁ SE GRITA

As proximas medidas que vai propor o governo grego a Troika. Isto e por cima dos recortes que ja fizeram ate agora:

Of the €10.5bn in spending cuts, €6.5bn is coming from cuts to wages, pensions and benefits. The rest is due from savings produced by structural reforms. Up to €8bn of measures are due to be implemented next year.
·         Retirees will lose roughly a month’s worth of payments. Any pensions between €1000 and €1500 will be cut by 2%. Those between €1500 and €2000 will be reduced by 5% and any above €2000 reduced by 10%.
·         Extra holiday payments for pensioners and for civil servants will be abolished.
·         The increase in the retirement age from 65 to 67 is due to be implemented from next year.
·         Civil servants salaries will be cut by up to 10%, those working at public enterprises will see reductions of between 20% and 30%.
·         Self-employed will lose their tax-free threshold of €5000 (although it will remain in place for salaried) and be taxed on the whole of their income at a rate of 30% or 35%.
·         Some 300,000 farmers who are currently not obliged to keep records of what they sell will have to do so and will be taxed at a similar rate to other self-employed Greeks.

Como dizem em espanhol: "Cuando veas las barbas de tu vecino quemar, por las tuyas a remojar".


 

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

RELÍQUIA

Esta placa, existente na ex-cooperativa Militar, ali para a Rua de São José, é uma obra de arte ...de remendos.

Os nomes foram-se acrescentando, não cuidando na forma, tamanho, local...enfim.

Só falta o ministro aguiar hifen branco também lá querer o nome.Admirem-se!!!!

Mas hoje é, sem dúvida, uma peça a ser guardada, e bem guardada.

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

LIVRO


Capítulo
Autor
I. Enquadramento estratégico
Victor Lopo Cajarabille
II. Regime jurídico dos espaços marítimos
António Neves Correia e Nuno Sardinha Monteiro
III. Riscos e Ameaças em ambiente marítimo

Subcapítulo Considerações Gerais
Nuno Sardinha Monteiro
Subcapítulo Pirataria marítima
Henrique Portela Guedes
Subcapítulo Terrorismo Marítimo
Henrique Portela Guedes
Subcapítulo Poluição do mar
José Velho Gouveia
IV. A IMO como agência especializada da ONU. O seu papel nuclear na regulação da segurança marítima
Dr. Luís Costa Diogo
V. A NATO e a segurança no mar
Luís Sousa Pereira
VI. A União Europeia e a segurança no mar
José Rodrigues Pedra
VII. Ações bilaterais e multilaterais
José Vizinha Mirones
VIII. Conhecimento Situacional Marítimo
António Gameiro Marques e Armando Dias Correia
IX. O salvamento no mar
Ricardo Correia Guerreiro
X. A Segurança no transporte marítimo
José Velho Gouveia e Luís Costa Diogo
XI. Monitorização, controlo e fiscalização da pesca
António Anjinho Mourinha
XII. Segurança ambiental
Álvaro Milho Semedo
XIII. Construção Naval Militar
Victor Gonçalves de Brito
XIV. Conhecimento científico e a segurança e defesa no mar
Carlos Ventura Soares
XV. Modelo Português de atuação do Estado no âmbito da segurança no mar
Nuno Sardinha Monteiro
XVI. Modelos organizacionais em países de referência
José Pais Neto

Este livro foi patrocinado pela Fundação para o Estudo e Desenvolvimento da Região de Aveiro (FEDRAVE) e editado pela MARE LIBERUM que, através do Fórum Empresarial da Economia do Mar, que apoiou institucionalmente esta iniciativa, poderá, até 30 de Setembro de 2012, ser adquirido ao preço unitário de € 12.00 (o preço de capa nas livrarias será de € 25.00).
Caso esteja interessado na sua aquisição, é favor informar-nos em resposta a este email, indicando o número desejado de exemplares. 

Melhores cumprimentos

Fernando Ribeiro e Castro
Secretário-Geral

Fórum Empresarial da Economia do Mar
Rua das Portas de Sto Antão, 89
1169-022 Lisboa

Telef.: 213 224 050 / 917 219 197
Fax: 213 224 051
Email:
sg@fem.pt
 

COMUNICA-SE QUE.....


ASSOCIAÇÃO DE FUZILEIROS
Fundada em 29 de Março de 1977


COMUNICADO


A Associação de Fuzileiros (AFZ) que também utiliza a denominação de Associação Nacional de Fuzileiros, tendo conhecimento de cartazes que circulam na Internet - presumindo-se que apócrifos - apelando para a participação de FUZILEIROS em manifestações de rua, utilizando simbologia que se pode confundir com a que esta Associação legalmente ostenta, esclarece que se trata de aproveitamento injustificado e totalmente ilegítimo do prestígio desta Associação Nacional e das suas Delegações.

A Associação de Fuzileiros persegue fins estatutários objectivamente claros que nada têm a ver, directa ou indirectamente, com quaisquer intervenções ou interesses de natureza religiosa, político-partidária, e muito menos sindical, pelo que, para que não restem dúvidas, transcrevem-se os artigos 2.º e 3.º do nosso Estatuto:

«ARTIGO SEGUNDO
Fins Estatutários

A Associação tem por objectivos essenciais:
1. - Salvaguardar, conservar e desenvolver os valores que sempre presidiram ao espírito de serviço, de camaradagem, de lealdade, de coragem, de sacrifício e de solidariedade dos Fuzileiros da Marinha de Guerra Portuguesa;
2. - Promover a elevação das qualidades cívicas e culturais dos seus membros;
3. - Defender os direitos dos associados, seus cônjuges, ascendentes e descendentes – incluindo, no que respeita às responsabilidades de Portugal perante as consequências dos estados de guerra em que este se haja envolvido ou venha a envolver ou, ainda, no que concerne às missões de apoio à paz ou de interposição a que venha a ser chamado, no país ou no estrangeiro – procurando que se ajustem à adequada integração social do associado ou à justa compensação dos seus ascendentes ou descendentes e, designadamente:
a) - Procurar apoiar os sócios na obtenção de emprego, quando tal se reconheça indispensável à respectiva integração na sociedade civil;
b) - Procurar apoiar os sócios e seus familiares directos, que se encontrem em dificuldades sociais, económicas ou de saúde;
c) - Promover, quanto possível, a obtenção rápida das pensões de sobrevivência em relação a viúvas, pais ou filhos de sócios falecidos incluindo, também, os familiares directos dos que faleceram antes da fundação da AFZ;
4. - Promover e desenvolver laços de amizade e camaradagem, não só entre os associados, como com todos aqueles que tenham colaborado com os Fuzileiros ou com a Marinha de Guerra Portuguesa, bem como desenvolver relações de colaboração e entreajuda com outras Associações Nacionais ou Internacionais;

5. - Desenvolver intervenção cultural e científica, em especial, no campo da História, da Náutica, Ciências Militares, Geografia, Matemática, Música e Artes Plásticas;
6. - Promover actividades sociais, culturais e desportivas, estas em especial relacionadas com o Mar e orientadas, preferencialmente, para os descendentes dos associados.

ARTIGO TERCEIRO
Restrição

É expressamente vedado aos sócios utilizar a Associação, directa ou indirectamente, como veículo de discussões, intervenções ou interesses de natureza religiosa, político-partidária, de promoção pessoal ou material».



A AFZ não se vincula a qualquer tipo de manifestação de rua, considerando absolutamente abusivos todos e quaisquer apelos para tal – ou mesmo outros comunicados sejam eles quais forem - que utilizem a denominação FUZILEIROS e/ou simbologias que se possam confundir com aquelas que esta Associação estatutária e legalmente tem o direito de ostentar.   


AFZ, com sede no Barreiro, aos 25 de Setembro de 2012.


                                                                    P/. Direcção Nacional,

        O Presidente
                                                     Francisco Lhano Preto
                                                              CMG FZE (AP)





DRONES


Trois annonces importantes sont intervenues ces dernières semaines concernant les futurs systèmes de drones aériens français. D’abord, dans le domaine des drones tactiques, la France a annoncé fin juillet qu’elle procèderait à des évaluations opérationnelles et à des essais du  Watchkeeper de Thales, en coopération avec le Royaume-Uni, qui prend actuellement livraison des premiers systèmes. Construit entièrement en Europe, cet engin, qui remplit le critère européen de navigabilité,  est conçu pour apporter des capacités opérationnelles et des capacités de surveillance pour protéger les troupes déployées en opérations. Proposé dans une configuration à double charge utile, le Watchkeeper est équipé de senseurs électro-optiques/infrarouges avec désignation de cibles par laser, ainsi que d’un radar avancé I-Master à synthèse d’ouverture et radar indicateur de cibles terrestres mobiles.

O FUTURO EX

Ontem, um Sargento Chefe enfermeiro, de perna traçada e estendido na cadeira do cubículo da consulta de Oto-rino informou que já não há consultas para reservistas e reformados (quis certamente dizer "a canalha", mas a língua não chegou a tanto).
Dizia ele, sem mudar de posição , de tom e de ar que havia um despacho do Senhor General.....!!!!!!

Perante isto , se calhar o melhor é mesmo desistir da luta.....

CÁ NÃO HÁ


Vue du futur HMAS Canberra 

Longs de 230.1 mètres pour 32.6 mètres de large, les HMAS Canberra et HMAS Adelaide sont directement dérivés du bâtiment de projection Juan Carlos I de l'Armada espagnole. Présentant un déplacement de 27.000 tonnes en charge, ils pourront atteindre la vitesse de 24 nœuds. Dotés d'un radier permettant d'abriter quatre chalands de débarquement, les futurs bâtiments australiens pourront embarquer de nombreux véhicules, dont des chars, ainsi que 1125 hommes de troupe, en plus des 280 membres d'équipage. Ils pourront, en outre, embarquer 24 hélicoptères, avec la possibilité de mettre en œuvre des avions à décollage court et appontage vertical.

Foto:mer e marine

terça-feira, 25 de setembro de 2012

ORA BOLAS

O Governo, através de uma resolução hoje publicada em Diário da República, decidiu proceder à extinção e cessar o apoio público às seguintes fundações:
Extinção
- Fundação Cidade de Guimarães (com a reversão do património e atribuições para o Município de Guimarães e ou com concessão da exploração dos equipamentos a entidades privadas e ou com alienação de equipamentos e património a entidades privadas. Este procedimento deverá ocorrer em 2013)
- Fundação Museu do Douro
- Côa Parque — Fundação para a Salvaguarda e Valorização do Vale do Côa
- Fundação para a Protecção e Gestão Ambiental das Salinas do Samouco, com passagem das atribuições para o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P. (ICNF, I. P.)
E ainda uma recomendação às instituições de ensino superior públicas da extinção das seguintes fundações:
- Fundação Carlos Lloyd de Braga (Universidade do Minho)
- Fundação Cultural da Universidade de Coimbra (Universidadede Coimbra)
- Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (Universidade de Lisboa)
- Fundação da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (Universidade Nova de Lisboa)
- Fundação da Universidade de Lisboa (Universidade de Lisboa)
- Fundação Fernão de Magalhães para o Desenvolvimento (Instituto Politécnico de Viana do Castelo)
- Fundação Gomes Teixeira (Fundação da Universidade do Porto)
- Fundação Instituto Politécnico do Porto (Instituto Politécnico do Porto)
- Fundação João Jacinto de Magalhães (Fundação da Universidade de Aveiro)
- Fundação Luis de Molina (Universidade de Évora)
- Fundação Museu da Ciência (Universidade de Coimbra)
- FNE — Fundação Nova Europa (Universidade da Beira Interior);
- Fundação para o Desenvolvimento da Universidade do Algarve (Universidade do Algarve)

Cessação do total de apoios financeiros públicos
- Fundação Casa de Mateus
- Fundação Oriente
- Fundação Casa de Bragança
- Fundação Luso Africana para a Cultura
- Fundação D. Manuel II
- Fundação Vox Populli
- Fundação para as Comunicações Móveis
- Fundação Alter Real
- Fundação Mata do Buçaco
- Fundação Convento da Orada — Fundação para a Salvaguarda e Reabilitação do Património Arquitectónico


Nota: E a Montanha entrou em trabalhos de parto

A VER


6 de Outubro 2012  CLXVII REAL REGATTA DE CANOAS da MARINHA DO TEJO entre a Praia de Pedrouços e a Moita. 

sábado, 22 de setembro de 2012

CPLP

O Embaixador moçambicano Murade Isaac Miguigy Murargy assumiu funções na CPLP a 18 de Setembro de 2012. Isaac Murargy foi eleito Secretário Executivo da CPLP pela IX Conferência de Chefes de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que se realizou em Maputo, no dia 20 de Julho de 2012, sucedendo no cargo ao guineense Domingos Simões Pereira.

Embaixador de carreira diplomática, Murade Isaac Murargy, de 65 anos, foi durante dez anos Secretário-Geral da Presidência de Moçambique. Chefiou a missão diplomática moçambicana em Paris, França. A partir da capital francesa esteve acreditado como embaixador extraordinário e plenipotenciário na Alemanha, Suiça, Tunísia, Gabão, Mali, Costa do Marfim, Senegal e Irão, tendo sido também delegado permanente de Moçambique na UNESCO. Isaac Murargy era, até ao momento da sua eleição para Secretário Executivo da CPLP, Embaixador de Moçambique em Brasília.

O FUTURO

A Marinha por um bordo e a GNR por outro

AGUENTA MARUJO

Cumprindo instruções do inefável ministro aguiar hifen branco , a câmara hiperbárica do Hospital de Marinha (que lhe foi dada pelos alemães) foi transportada para o Lumiar, para o Hospital da Força Aérea. Lá chegada e montada constatou-se , como óbvio, que não podia ser assim e que o sofisticado aparelho tinha de ter instalações especiais de conservação e sobretudo de segurança.

Neste momento, e seguindo a inteligência hiperbárica do inimigo dos militares , a câmara encontra-se abandonada, desligada e naturalmente fora do serviço , enquanto se procura projecto, concurso, construtor e sobretudo muito dinheiro  para construir as tais instalações.

Quem precisar, e se tiver vaga e euros, que vá ao Norte ou aos Açores, onde existe 1 equipamento de privados....

Mais uma desta espécie de  ministro

EM TEMPO : 24 Set 1914 horas

A CACINE tomou conhecimento de :

1º A Câmara foi paga pela Marinha e não oferecida pelos Alemâes

2º Ainda não está efectuada a transferência, pelo que a informação que recebemos não corresponde à verdade total. Confirma-se  que o modo como essa transferência se irá concretizar será uma tarefa muito complexa  e que implica obras de engenharia complicadas e dispendiosas.

Pelas partes não verdadeiras pedimos desculpa.

Mas já agora estaremos atentos , para se saber quanto custará esta brincadeira...............

UAU!!!!!!!!!!!


"Na sequência das imagens transmitidas por uma estação de televisão, hoje, de manifestantes alegadamente fuzileiros utilizando uniformes anteriormente em uso no Corpo de Fuzileiros, a Marinha esclarece não ter conhecimento de militares do ramo no activo que tenham participado na manifestação desta sexta-feira, junto do Palácio de Belém", refere um comunicado da Marinha.
Assim, e "atendendo às informações veiculadas em alguns órgãos de comunicação social", a Marinha informa que "procede de momento a averiguações internas no sentido de determinar a veracidade das mesmas, e à identificação de eventuais casos de uso indevido de uniformes e símbolos militares, por parte de pessoas não autorizadas".
Na manifestação de hoje junto ao Palácio de Belém, onde está reunido o Conselho de Estado, destacava-se um grupo que se identificou como sendo de fuzileiros, alguns deles fardados.
Milhares de pessoas participam no protesto que decorre seis dias depois de centenas de milhar de pessoas terem saído à rua em mais de 40 cidades portugueses."

In JN

SNIPER´s

A Brigada de Reacção Rápida, do Exército Português, tem recebido várias armas ligeiras para equipar o CTOE (Centro de Tropas de Operações Especiais) e do CTC (Centro de Tropas Comandos) .

Em Setembro, o CTOE recebeu quantidades não reveladas de uma nova versão da espingarda de precisão AW, da Accuracy International rifle . A espingarda AW, é equipada com uma mira da Gmbh Schmidt & Bender & Co. KG
 .

O CTOE também recebeu da Heckler & Koch GmbH, G-36K e G-36C 5,56 milímetros, e Heckler & Koch GmbH MG 4 ,para substituir as HK21 de 7,62 milímetros .

Os "Comandos" operam agora três versões da Heckler & Koch GmbH USP, pistolas de 9 milímetros (padrão, curto e com supressor), metralhadoras MG4 e sub-metralhadoras UMP de 9 milímmetros , equipadas com apontador laser .(Defesa Global)

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

FACADA NAS COSTAS

Mais uma facada, e das grandes, na Marinha e nas Forças Armadas.

Feito D. Pedro , o ministro aguiar hifen branco , fardou-se de Polícia Marítimo , com uma placa ao peito de Capitão de Porto da Lagoa de Santo André, e , dando um grito de quem é multado por ter o carro em cima do passeio público, com um pé no Spa do hotel Ipiranga em horas de serviço, declarou a independência da Autoridade Marítima, de vez.

Como não conseguiu ser arvorado em Almirante, nem representar com crédito a Marinha(como tentou fazer numa conferência) , agora é Comandante em Chefe da Autoridade Marítima

É O QUE SE PODE ARRANJAR


  • Dra. Maria da Assunção Andrade Esteves
    Presidente da Assembleia da República
  • Dr. Pedro Manuel Mamede Passos Coelho
    Primeiro-Ministro
  • Juiz Conselheiro Rui Manuel Gens de Moura Ramos
    Presidente do Tribunal Constitucional
  • Juiz Conselheiro Alfredo José de Sousa
    Provedor de Justiça
  • Sr. Carlos Manuel Martins do Vale César
    Presidente do Governo Regional dos Açores
  • Dr. Alberto João Jardim
    Presidente do Governo Regional da Madeira
  • General António Ramalho Eanes
  • Dr. Mário Alberto Nobre Soares
  • Dr. Jorge Fernando Branco Sampaio
  • Prof. Doutor João Lobo Antunes
  • Prof. Doutor Marcelo Nuno Duarte Rebelo de Sousa
  • Dra. Maria Leonor Couceiro Pizarro Beleza de Mendonça Tavares
  • Dr. Vítor Augusto Brinquete Bento
  • Dr. António José de Castro Bagão Félix
  • Dr. Francisco José Pereira Pinto Balsemão
  • Dr. António José Martins Seguro
  • Dr. Luís Manuel Gonçalves Marques Mendes
  • Sr. Manuel Alegre de Melo Duarte
  • Dr. Luís Filipe Menezes Lopes

Este é o Conselho de Estado que temos........O seu dever será aconselhar, imparcialmente e em consciência , o Presidente da Republica.
Este só pode escolher 5 membros e assim fez . Escolheu Leonor Beleza, Lobo Antunes,Marcelo Rebelo de Sousa, Vítor Bento e Bagão Felix(pediu um nome ao CDS).


A IR

Para descontrair....em Belém

QUEM FOI ?

Os Estaleiros de Viana , que já foram grandes e bons, estão arruinados, hipotecados, destroçados , arrasados.....

Dizem-me que até as gruas e outro ferramental estão hipotecados......

E de quem foi a culpa?????

De ninguém , claro. Estamos em Portugal

A LEI DA VIDA

O navio balizador Schultz Xavier tem desde ontem um novo comandante, o Capitão-Tenente Rodrigues Vicente que sucede no cargo ao Capitão-Tenente Pereira Cavaco.
A cerimónia realizou-se a bordo do navio atracado na Base Naval de Lisboa e foi presidida pelo Comandante Naval, Vice-Almirante Monteiro Montenegro.
O navio balizador "Schultz Xavier" foi construído nos estaleiros do Arsenal do Alfeite e aumentado ao efetivo de unidades navais em julho de 1972.

BRIOSA

Cursor no escuro
A Fragata Álvares Cabral da Marinha Portuguesa encontra-se em Inglaterra desde 13 de setembro de 2012 para cumprir um período de treino operacional com a Marinha Inglesa designado por Operational Sea Training (OST).


Durante este exigente período em Inglaterra, a Fragata Álvares Cabral será acompanhada por equipas de treino e avaliação da Royal Navy – Flag Officer Sea Training, entidade reconhecida pelas marinhas de todo o mundo, pela exigência e excelência do treino ministrado.
O OST constitui-se como a validação de todo o processo de avaliação e certificação de unidades navais, em lugar de excelência reconhecida. Os altos padrões de exigência no OST e os elevados resultados atingidos de forma consistente pelos navios portugueses atestam o elevado padrão de treino que é efetuado na Marinha através da Flotilha, órgão que treina anualmente a esquadra.
Neste programa de treino além das disciplinas clássicas da guerra, também se incluirá a preparação dos navios para os “novos desafios", tais como o combate ao terrorismo, imigração ilegal, interdição marítima/embargo, assistência humanitária, apoio a zonas de catástrofe e evacuação de não combatentes.
“Hoje iniciamos um período de treino operacional, que nos irá colocar num patamar de desempenho mais elevado, consistente e sustentado no tempo, e melhorar a capacidade de atuação nos mais exigentes teatros de operações” referiu o Comandante da Fragata Álvares Cabral.
A Álvares Cabral é comandada pelo Capitão-de-mar-e-guerra Nuno Sobral Domingues, tem um helicóptero Lynx embarcado e a sua guarnição é constituída por 195 militares, dos quais 22 são militares femininos.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

A IR








O Aqueduto das Águas Livres é a maior ponte de pedra do mundo, ostenta o maior arco em ogiva do mundo ( está no Guiness por tal razão)  guarda um conhecimento, saber, únicos, uma obra hidráulica notável, o único monumento câmara escura jamais construído (permite o reflexo da paisagem exterior, um jogo de cor, luz, sombra, aromas que toca o sagrado e que jamais nos separa do Todo) , um sistema de distribuição de água duplo de 58 km de comprimento, descida gravítica, em média 3mm em cada metro, que os Portugueses deixam á humanidade.

Foi o único monumento que ficou incólume durante o Terramoto de 1755, dominante  numa Lisboa destruída  tornou-se o símbolo do futuro dos Portugueses porque a nova cidade seria construída com o mesmo conhecimento e saber. Foi inteiramente pago pelo Povo de Lisboa.

O Aqueduto está ligado ao Belo e como não podia deixar de ser, está ligado à Gastronomia. O Bairro da Serafina, assim denominado porque a dona de Taberna, chamada Serafina era cozinheira exímia e aí almoçavam os Mestres  que construíram o Aqueduto. O livro As Receitas da Serafina reúne uma boa investigação realizada pela Margarida Pereira-Mueller sobre a cozinha popular do Sec  XIX.

Assim chegámos a uma simbiose perfeita: um Passeio ao Aqueduto das Águas Livres organizado pela Chaîne des Rotisseurs e  Fact Finders (Grupo ligado ao Corpo Diplomático) no qual teremos oportunidade de conviver com o rei Don Louis, conhecer as razões que o levaram a fundar a Chaîne e PROVAR na Merenda Real O BOLO DA SERAFINA.

Não é possível faltar a este encontro.



PROGRAMA 25 DE SETEMBRO

16.00– ENCONTRO  NA MÃE D’ÁGUA- RUA DAS AMOREIRAS 101

16.30 – PARTIDA EM AUTOCARRO PARA O AQUEDUTO DAS ÁGUAS LIVRES- TRAVESSIA DO VALE DE ALCANTARA- ENCONTRO COM O TEMÍVEL DIOGO ALVES

17.OO-PARTIDA PARA AS NASCENTES  (BELAS)

VISITA MÃE D’ÁGUA VELHA E NOVA

ENCONTRO AS LAVADEIRAS DE CANEÇAS (teatralização)
ENCONTRO COM O REI D.LOUIS E A RAINHA DONA CARLOTA JOAQUINA

AUDIENCIA ESPECIAL COM O REI D. LOUIS QUE NOS FALARÁ DAS RAZÕES QUE O LEVARAM A FUNDAR A CHAÎNE DES ROTISSEURS

MERENDA REAL COM A PROVA DO BOLO DA SERAFINA

VISITA PONTES DE DONA MARIA

VISITA TORRE DAS 14 JANELAS

19.00-REGRESSO A LISBOA


Preço por pessoa 50 Euros (autocarro, visita guiada, teatralização,)



“The Queen freshens up.  On the Baroque trail”

We are entering an enlightened century, a period when reason prevailed and the spirit of the Baroque was at its peak.

This was a period obsessed with theatrical grandiosity as though creating an impression mattered more than cost.  Around that time there was also growing awareness that grandiose public works were the best vehicle to bring rulers prestige.  Add to that sentiment  the wealth generated by the  gold and diamonds coming in from Brazil at the time and you have the scenario for the construction of the Águas Livres Aqueduct.

On the other hand, the Aqueduct had its practical side. The spaces it created had a style aimed at popular sensitivities, spaces made to be lived in and worked in.

We are on the route of the Baroque.  The Aqueduct’s galleries are more like passages in a monastery than water channels. Air and light filters in gently through openings located at intervals all along the galleries.

   

This play on shadow and light and the beauty of the hewn stonework lead us on to  “The Queen freshens up”.  The Guide involved in-depth historical research into the construction and importance of the Águas Livres Aqueduct within the context of the Lisbon water supply system as well as into the history of personages and costumes of the period. This outing is intended to recreate Queen Carlota Joaquina’s journey to the Carenque Springs where she would stop for a breath of fresh air on her way to Mafra or Sintra or on her way from Lisbon to Queluz.  The “Entretempos” leisure activity group is in charge of the reconstitution of the Queen’s outings.
                                                                                                                 




The meeting-point is at EPAL’s premises on Rua das Amoreiras.  Visitors are taken first of all to Caneças to see and to greet Queen Carlota Joaquina, her coachman and the traditional Caneças washerwomen.  You will then cross the Alcantara Valley stretch of the Aguas Livres Aqueduct where you will be “attacked” by the infamous Diogo Alves. The outing ends at the Mãe d’Água Reservoir where lunch, comprising typical dishes of the epoch, will be served.

       

MDA – Museu da Água has taken this initiative in order to divulge the history of the Lisbon water supply system and to raise awareness of the importance of the city’s cultural heritage and of the preservation of industrial archaeology.

       

The Águas Livres Aqueduct took 102 years to build, bridging the reign of three monarchs, King João V, King José I and Queen Maria I, and involving three great architects, Manuel da Maia, Custódio Vieira and Carlos Mardel.



The stretch of the Aqueduct spanning Alcantara Valley is notable on account of its length  (914 metres) and the height of its 35 arches, 14 of which are ogival in shape. The Aqueduct is mentioned in the Guiness Book of Records due to incorporating the largest ogival-shaped stone arch ever built anywhere in the world.  It is 65.29 metres high and 28.86 metres wide.

Since 1910 this stretch of the Aqueduct spanning the Alcantara Valley has been classified as a National Monument.