Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 28 de maio de 2013

DESTERRO


CML, ESTAMO e MAINSIDE estabelecem parceria para reabilitar e reutilizar o Hospital do Desterro. O Equipamento será “território experimental aberto ao mundo” e será inaugurado até final deste ano. 
Na próxima terça-feira, dia 28 de maio, às 11 horas, será assinado um protocolo entre a CML, a ESTAMO (empresa que gere património imobiliário do Estado) e a MAINSIDE (empresa promotora da Lx Factory, entre outros projetos, e que será responsável pela gestão do espaço), tendo em vista a reabilitação e reutilização do Hospital do Desterro. A cerimónia decorrerá no local e contará com a presença do Presidente da CML.
Este projeto tem por base uma iniciativa da Invest Lisboa, agência de promoção económica de Lisboa criada pela CML e ACL que tem como funções a promoção internacional, o apoio a investidores e empresas e a dinamização da economia da cidade.
Para o local, segundo a MAINSIDE, está prevista a instalação de “um território experimental aberto a Lisboa e ao mundo, onde será possível habitar e trabalhar numa cela, cultivar uma horta urbana, frequentar um clube, almoçar num refeitório ou assistir a uma aula, entre muitas outras experiencias desenvolvidas por várias empresas e organizações”, prevendo-se a abertura ao público nos próximos meses.
"A CML considera o projecto estratégico para Lisboa, tendo em conta a sua localização no eixo de intervenção prioritário Martim Moniz – Praça do Chile onde tem vindo a efectuar diversas intervenções, designadamente a regeneração da Mouraria e do Largo do Intendente. Segundo a vereadora Graça Fonseca, responsável pela Economia e Inovação, “este projecto enquadra-se no trabalho que temos vindo a desenvolver de regeneração e dinamização de edifícios e áreas urbanas não ocupadas para gerar novas actividades, novos negócios e mais empregos. Acresce que, pela dimensão, localização e relevância do equipamento, este poderá ser uma âncora fundamental para a regeneração e revitalização de toda a área, razão pela qual a CML se comprometeu a apoiar o projecto em diversas vertentes”.
Para a ESTAMO, este projecto, no actual contexto do mercado, é uma forma inovadora de valorizar os seus activos, evitando a sua comercialização em condições necessariamente muito desvalorizadas e a sua manutenção sem qualquer rentabilidade, sendo uma motivação acrescida poder contribuir para a dinamização económica do país e para a reabilitação urbana de uma importante zona de Lisboa. Considerando ainda que o apoio da CML e a escolha de um operador com provas dadas, como é o caso da MAINSIDE, se revelam essenciais para o sucesso desta iniciativa.
Para a MAINSIDE trata-se de uma oportunidade de desenvolver um novo projecto em Lisboa, com dimensão internacional que, não obstante ser em tudo diferente da Lx Factory, beneficia em muito da experiência acumulada com esse projecto."

Sem comentários: