Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

ET VOILÁ

Angola vai enviar, proximamente, uma equipa técnica militar e de segurança à Guiné-Bissau para apoiar a implementação do programa de reforma das forças armadas daquele país.
Para o efeito, assinaram esta quarta-feira, em Luanda, um acordo, os chefes de Estado Maiores das Forças Armadas dos dois países, nomeadamente, general Francisco Pereira Furtado, por Angola, e António Injai, pela Guiné-Bissau.
Segundo o comunicado final das conversações entre as delegações militares dos dois Estados, as Forças Armadas Angolanas enviarão á Guiné Bissau uma equipa técnica de especialistas militares para, em conjunto com os especialistas guineenses, procederem à avaliação das necessidades reais para implementação dos programas a definir.

Em declarações à imprensa o chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angolanas, Francisco Pereira Furtado, disse que esta equipa será constituída por oficiais das FAA e da Polícia Nacional.

“É preciso compreender melhor as necessidades da reforma e da desmobilização, o que deve-se fazer no quadro dos programas concretos de formação sócio-profissional para uma administração condigna", sublinhou.

Francisco Pereira Furtado mostrou-se satisfeito pela forma corajosa, transparente e de confiança como decorreram as conversações, o que contribuiu para o reforço das relações entre as duas instituições.

Antes das conversações, a delegação guineense visitou o Instituto Superior Técnico militar e a Escola Superior de Guerra do Grafanil, onde estudam militares da Guiné Bissau.

As conversações decorreram no quadro da visita que o chefe de Estado-Maior General das Forças Armadas da Guiné-Bissau, Tenente-General António Indjai, efectua desde o dia 4 de Setembro a Luanda.
A mesma se insere nas acções desenvolvidas pelo Comité Restrito da CPLP para a Guiné-Bissau e no excelente relacionamento existente entre os governos de ambos os países, visando o alcance da estabilidade naquele país.
António Injai deixa o país esta quinta-feira.


E nós a ver navios





Sem comentários: