Google+ Followers

Google+ Followers

segunda-feira, 4 de junho de 2012

HIPO ...QUÊ?


O deputado socialista Marcos Perestrello requereu, nesta segunda-feira, ao ministro da Defesa que esclareça se em maio o Fundo de Pensões das Forças Armadas não pagou o complemento de pensões aos seus beneficiários.

Na mesma pergunta formal dirigida a Aguiar Branco, o líder da Federação da Área Urbana de Lisboa (FAUL) do PS e ex-secretário de Estado da Defesa questionou, ainda, se «é verdade que o Governo não deu qualquer explicação aos militares lesados sobre esse incumprimento».

«Quando prevê o Governo corrigir essa situação?», perguntou Marcos Perestrello.

Segundo o deputado socialista, cidadãos beneficiários do Fundo de Pensões das Forças Armadas dirigiram-se ao Grupo Parlamentar do PS queixando-se de que, em maio, não lhes foi pago o complemento de pensão de reforma «a que têm direito e para o qual têm descontado ao longo dos anos».

«Estes cidadãos, militares aposentados, recordam que as Forças Armadas, que serviram ao longo de toda uma vida, os convidaram a aderir ao aludido fundo de pensões mediante pagamento da respetiva quotização, com a expetativa de que a sua pensão de reforma não desceria abaixo dos 80 por cento do correspondente posto no ativo. A situação destes militares reformados é tanto mais indefesa quanto se trata de cidadãos com mais de 70 anos, idade a partir do qual o fundo passa a contemplar a respetiva pensão de reforma», escreveu Marcos Perestrello na sua pergunta formal dirigida ao ministro da Defesa Nacional.

De acordo com o ex-secretário de Estado da Defesa do segundo executivo liderado por José Sócrates, este fundo sempre registou «dificuldades», sobretudo quando o executivo PSD/CDS de Durão Barroso e de Paulo Portas [então ministro da Defesa] «não assumiu as suas obrigações perante o fundo, não transferindo nesses anos as verbas a que estava obrigado».

«Perante as dificuldades conhecidas, o anterior Governo iniciou um processo tendente à integração do fundo na Caixa Geral de Aposentações, estando as negociações em curso quando esse Governo foi derrubado. Quase um ano passado sobre a tomada de posse do atual executivo, não há notícias sobre o que pretende o Governo fazer para resolver o problema do Fundo de Pensões das Forças Armadas», criticou Marcos Perestrello.

É preciso ter lata, dizemos nós aqui

1 comentário:

J.N.Barbosa disse...

Hipopótamo, hipomóvel,hipocampo,hipólito,hipócrita.