Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 7 de novembro de 2010

GRANDE LATA

GNR sem saúde

São graves as carências no subsistema de saúde da GNR. A falta de capacidade para dar resposta aos profissionais que desenvolvem uma actividade de risco e de elevado desgaste físico e psíquico é preocupante.
 diz José Manageiro, Presidente da Associação dos Profissionais da Guarda.
A má cobertura da rede de assistência na doença e a falta de políticas de medicina preventiva são cada vez mais degradantes, apesar das denúncias da APG, sem que até agora se tenha procedido a qualquer alteração. Antes pelo contrário, estes serviços têm vindo progressivamente a ser ignorados.
Para agravar a situação, entendeu o Governo reduzir o orçamento do MAI, à custa da saúde na GNR, em cerca de 49 M €, ou seja, um corte de 48%. Neste cenário de crise, parece ser legítimo fazer tudo, sem olhar a meios ou às consequências. Lamentavelmente, as baixas médicas e a taxa de suicídios, que põem em causa a boa imagem das forças de segurança, assumem contornos anormais.
Mas parece que o Governo não respeita nem polícias nem cidadãos. Só assim se justifica esta medida, numa área tão carenciada.
Muito se pouparia se cortasse na duplicação das polícias; muito se pouparia com a prevenção e com o rigor que carece de intervenção imediata. 

NOTA: É sabido que o sub-sistema da GNR é excelente, além de poderem ir a qualquer das unidades de saúde militares.
Este sujeito é que é demais...

Sem comentários: