Google+ Followers

Google+ Followers

domingo, 18 de abril de 2010

O FARWEST


Viva o faroeste! Para quê perder tempo e dinheiro com julgamentos, condenações e lamentáveis masmorras? Uma sociedade de adultos é uma sociedade capaz de puxar o gatilho sem a intromissão do Estado. E o novo Código de Execução de Penas, aprovado pelo PS, é um incentivo ao tiroteio que faria as delícias de John Wayne.
A partir de amanhã, qualquer criminoso, independentemente da natureza do crime, poderá sair da cadeia com um quarto da pena cumprida. ‘Pena’, aqui, é eufemismo: se o criminoso violou ou matou, por exemplo, terá cinco anos para descansar da excitação antes do regresso triunfal às pradarias lusitanas. Momento em que as vítimas, ou os familiares das vítimas, estarão à espera dele, prontas para ajustar contas e desfrutar de igual período de férias.
O novo código é um convite ao crime pela tolerância do crime. E não se entende por que motivo o PS não vai mais longe, abolindo de uma vez por todas o sistema judicial e promovendo a construção de saloons (com portas bang-bang) e, pormenor fundamental, bebedouros para as montadas. A seu tempo.
João Pereira Coutinho     

1 comentário:

Anónimo disse...

Mesmo assim,o Faroeste era mais le_
al e justo.Lá toda a gente,que vis_
se grande necessidade disso, podia
andar armado e fazer uso da arma.
Um cidadão,honesto;cumpridor se a integridade dele e a dos seus esti_
vesse em causa,por causa de um fu_
lano qualquer,que só vivia do sub_
terfúgio e da violência,"afincava_
lhe"um balázio entre os olhos.Cá só
os bandidos,podem ter armas e dis_
parar indiscriminadamente de tal
ordem que em acçôes com as Forças da Ordem Pùblica, houver troca de tiros os "coitados" dos delinquen_
tes, podem disparar em todas as di_
recções,os policias numa persegui_
ção,primeiro: devem passar para a
frente do perseguido(este sempre a
atirar)depois perguntar:porque é
que o Xõr vai a fugir e aos tiros
contra nós?depois:dá-me licênça(de_
licadamente)que atire sobre si de
frente, para evitar de o atingir
pelas costas e evitar melindres com
a Comunicação Social as Associações
dos Direitos(tortos)dos OUTROS,as
minorias,que lhes convêm serem mi_
norias,para fazerem o que querem
impunemente.
Apre PORTUGAL,tu não um País,és um
Paradoxo, com MIL ANOS,gerido por
politicos Kafkianos.
Para que conste.Não sou militar,nem
policia,sou civil, habitante de uma
cidade bonita, de gente de Paz que
tem pago bom preço(agora a parada
pelos vistos vai subir)os desmandos
que os "COITADINHOS"estão a provo_
car nesta BABEL.
Desenganado.