Google+ Followers

Google+ Followers

quinta-feira, 20 de maio de 2010

ÁS ARMAS


Ministra assegura que um projecto não invalida o outro
Possível integração do Museu da Marinha no Museu da Viagem gera contestação
Está a gerar alguma contestação a ideia de que o futuro Museu da Viagem poderá vir a absorver o centenário Museu da Marinha. Nos últimos dias, têm circulado na Internet vários comentários de indignação face à possibilidade de aquele museu vir a desaparecer enquanto instituição autónoma.
O Ministério da Cultura desmente a existência de qualquer proposta, assegurando que o Museu da Viagem, é, nesta altura, apenas um conceito. Mas o PÚBLICO sabe que essa hipótese está na calha e até já foi avançada num projecto de protocolo.

Nesse mesmo esboço de documento de entendimento, surge a indicação de que as instalações do futuro Museu da Viagem corresponderão às instalações do actual Museu Nacional da Arqueologia - que, como já era do conhecimento público, passará para a Cordoaria Nacional -, abrangendo também o espaço actualmente ocupado pelo Museu de Marinha.

Esta hipótese, que é encarada por alguns dos contestatários como uma tentativa de "eliminação" do museu que comemorará 150 anos em 2013, levaria a que a unidade da Marinha e todo o seu espólio passassem a ser parte integrante do Museu da Viagem - ficando sob a alçada do Ministério da Cultura. Outro dos argumentos usados assenta no facto de esta proposta poder levar a que Portugal seja um dos poucos países no mundo sem Museu da Marinha.

Da parte do Ministério da Cultura, surge a explicação, através do seu gabinete de imprensa, de que nada foi ainda avançado relativamente ao projecto do futuro Museu da Viagem, para além daquilo que foi anunciado pela ministra Gabriela Canavilhas - a ideia de o futuro museu apresentar a epopeia das Descobertas e a expansão dos portugueses no mundo. O Ministério da Cultura desmente, assim, a existência de propostas e eventuais negociações para a associação da futura unidade museológica ao Museu da Marinha, asseverando-se que o futuro Museu da Viagem está apenas na fase de "conceito" e "ideia".

Contactado pelo PÚBLICO, o chefe do serviço de informação e relações públicas da Marinha, João Barbosa, também declarou ser "prematuro" avançar qualquer tomada de posição em relação a uma negociação que está "numa fase muito embrionária". Ainda que se tenha escusado a confirmar a existência ou não dessa proposta de ocupação das instalações do Museu da Marinha, o porta-voz admitiu existirem conversações ao nível dos ministérios da Cultura e Defesa Nacional.
Maria José Santana

1 comentário:

A. João Soares disse...

Visite e comente e divulgue por e-mail

Museu da Marinha deve ser defendido

Depois das primeiras notícias e do post aqui colocado, Museu da Marinha, com quase 150 anos, será extinto, surge agora o artigo

Possível integração do Museu da Marinha no Museu da Viagem gera contestação
Público. 20.05.2010 - 19:15 Por Maria José Santana

Está a gerar alguma contestação a ideia de que o futuro Museu da Viagem poderá vir a absorver o centenário Museu da Marinha. Nos últimos dias, têm circulado na Internet vários comentários de indignação face à possibilidade de aquele museu vir a desaparecer enquanto instituição autónoma.

A ministra da Cultura garante que o futuro Museu da Viagem só ocupará o espaço que é agora da arqueologia. Ministra assegura que um projecto não invalida o outro

O Ministério da Cultura desmente a existência de qualquer proposta, assegurando que o Museu da Viagem, é, nesta altura, apenas um conceito. Mas o PÚBLICO sabe que essa hipótese está na calha e até já foi avançada num projecto de protocolo.

Nesse mesmo esboço de documento de entendimento, surge a indicação de que as instalações do futuro Museu da Viagem corresponderão às instalações do actual Museu Nacional da Arqueologia – que, como já era do conhecimento público, passará para a Cordoaria Nacional -, abrangendo também o espaço actualmente ocupado pelo Museu de Marinha. (…..)

Este artigo mostra que, felizmente, nem todos os portugueses estão adormecidos em permanente estado vegetativo e alguns estão atentos aos verdadeiros valores nacionais que devem se defendidos por todo e qualquer meio.

A ideia inicialmente divulgada mostra a triste sina dos portugueses. A incompetência dos governantes e a vontade de fazerem algo de diferente, só para mudar e para alimentarem a própria vaidade de colocar uma placa com o seu nome, leva-os a estragar o que está a funcionar bem e a nivelar por baixo e pôr tudo na lama.Aconteceu com o ensino técnico de que agora se sente a falta, aconteceu na saúde, na Justiça com a descriminação e despenalização, nas Forças Armadas, nas Forças de Segurança, etc. etc.

Não tenham inveja do Museu das Marinha. Deixem-no continuar na senda da excelência e tomem-no como modelo e exemplo; imitem-no. Procurem imitar o que há de melhor e, em vez de destruírem apoiem o que merece apoio e aperfeiçoem o que está pior, para se aproximar daquilo que possui boa qualidade.


Cumprimentos
A João Soares
Do Miradouro