Google+ Followers

Google+ Followers

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A BANDEIRA

Esta é que é a bandeira da República.
 Só que não nasceu com ela , não foi hasteada nos Paços do Concelho ,nem o Almirante Reis pôde ser pintado abraçado a ela.
Esta bandeira, ou este símbolo, muito mais feio que o anterior, só aconteceu por decreto de 19 de Junho de 1911 , da Assembleia Nacional Constituinte, presidida por Anselmo Braamcamp Freire,:
"!A Bandeira Nacional é bipartida verticalmente em duas cores fundamentais, verde escuro e escarlate, ficando o verde do lado da tralha.Ao centro, e sobreposto à união das duas cores ,terá o escudo das Armas Nacionais, orlado de branco e assentando sobre a esfera armilar manuelina, em amarelo e avivada de negro.
As dimensões e mais pormenores do desenho, especialização e decoração da bandeira,são os do parecer da comissão nomeada por decreto de 15 de Outubro de 1910, que serão imediatamente publicados em Diário do Governo" .
Diário do Governo141, 20 de Junho de 1911

Já agora a dita Comissão era:
Abel Almeida Botelho, Columbano Bordalo Pinheiro,1º Tenente Ladislau Parreira,Capitão José Affonso de Palla e João Chagas.
Assina,em 15-10-1910, António José de Almeida


2 comentários:

Anónimo disse...

Bravo

LGF

Manel disse...

"(...) E o regimen está, na verdade, expresso naquele ignóbil trapo que, imposto por uma reduzidíssima minoria de esfarrapados mentais, nos serve de bandeira nacional - trapo contrário à heráldica e à estética, porque duas cores se justapõem sem intervenção de um metal e porque é a mais feia coisa que se pode inventar em cor. Está ali contudo a alma do republicanismo português - o encarnado do sangue que derramaram e fizeram derramar, o verde da erva de que, por direito natural, devem alimentar-se."
F.Pessoa, "Da República"