Google+ Followers

Google+ Followers

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

VÓMITO

Administradores aumentados 65%

Com o País a braços com uma crise, o Governo deu aumentos milionários às administrações de três empresas estatais, todas elas com prejuízos. Os presidentes e os vogais da Carris e da CP viram os respectivos vencimentos aumentados em mais de 50%, enquanto no porto de Lisboa as actualizações rondaram os 30%. A situação foi denunciada ontem por Marques Mendes, ex-líder do PSD.
Por:Sandra Rodrigues dos Santos
José Manuel Rodrigues, presidente da Carris, foi quem teve o maior aumento salarial, 65%, passando a receber 6923,26 euros. A mesma percentagem de subida tiveram os vogais da empresa de transportes públicos que ficaram a auferir 6028,52 euros. Em 2008, a Carris apresentou um prejuízo de 17 milhões de euros e em 2009 esse montante ascendeu aos 41 milhões de euros.
Na CP, os prejuízos ascenderam em 2008 aos 190 milhões de euros, mas isso não impediu a actualização do vencimento de José Benoliel( na foto) em 52%, para 7225,60 euros. Os vogais da administração viram os seus salários aumentados em quase 60% para 6719,81 euros. A actualização ocorreu em Julho de 2009, tendo, no final desse ano, a CP apresentado prejuízos de 217 milhões de euros.
Na Administração do Porto de Lisboa, os aumentos foram menores, mas igualmente milionários. Natércia Cabral, a presidente, passou a ganhar 6357,48 euros e os vogais 5438,52 euros, uma subida de 34% e de 29%, respectivamente.
Para o antigo líder do PSD, que falava no seu comentário semanal na TVI24, o contraste destes aumentos com o ano de crise que o País atravessava – e ainda atravessa – "é escandaloso". Aumentos que em muito contrastam com a redução de 10% que estes salários sofrerão no próximo ano de acordo com a proposta do Governo para a Administração Pública. 
Por:Sandra Rodrigues dos Santos



6 comentários:

José Sousa e Silva disse...

Pudera !...
Há mais uma explicação para que os políticos não queiram acabar com as "vacas sagradas". Antes pelo contrário, como são os casos em apreço.
Estão a tratar dos seus futuros empregos (quanto mais dourados melhor) quando deixarem de ser governantes.
E nós, 10 milhões de Portugueses, venerados e obrigados ... a pagar.

Manel disse...

Na revista Sábado vem que o Administrador dos Estaleiros navais de Viana e ex Presidente da Câmara de Valença, José Luís Serra, que se tinha recusado a declarar o seu salário, acabou por confessar que era de 89992€/ano+BMW+telemóvel c/ plafond de 100€(acreditam?)+cartão crédito....
Mas o fantástico é que a administração, em comunicado escrito, diz"que os cargos são providos por eleição em AG da empresa e não o são por nomeação política"....
Andam a gozar. O Estado tem 100% e não é nomeação política?

1677/78 disse...

ÁS armas ,mas a sério.

Anónimo disse...

Acho graça à etiqueta

Anónimo disse...

Em que "Sábado" é que vem essa notícia?

Obrigado

José Sousa e Silva disse...

No meu comentário anterior, por lapso dactilográfico, escrevi "venerados" quando quis escrever "venerandos".

Quanto à notícia do "Sábado" é óbvio que a nomeação é política.
O que acontece hoje em dia é ficarmos admirados quando "eles" dizem verdades...