Google+ Followers

Google+ Followers

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

VERGONHA ou....

MEDICAMENTOS SEM PREÇO PÕEM EM CAUSA O DIREITO À INFORMAÇÃO DOS CONSUMIDORES

O Governo aprovou um diploma legal que elimina das embalagens dos medicamentos comparticipados a indicação dos preços. Se essa medida entrar em vigor, os consumidores deixam de ter ao seu dispor nas embalagens o preço dos medicamentos. Esta eliminação não lhes permite a comparação dos preços no momento da sua aquisição.

É uma medida inesperada, que nunca tinha sido anunciada pelo Ministério da Saúde. Os prejudicados serão os portugueses, em particular aqueles que mais necessitam dos medicamentos, nomeadamente os idosos, reformados e doentes crónicos. A medida esconde dos consumidores as alterações de preços dos medicamentos. Ora, a transparência dos preços é um direito dos consumidores em todos os sectores de actividade. Nos medicamentos esse direito é essencial, porque são um encargo inevitável das Famílias.

A confiança dos consumidores nos medicamentos seria gravemente afectada. Apesar dos protestos de várias entidades, representativas de doentes e consumidores, nenhum responsável político foi capaz de dar, até hoje, qualquer explicação pública sobre a medida. A Assembleia da República vai analisar o diploma do Governo. Nestas circunstâncias, os signatários peticionam à Assembleia da República que determine a manutenção do preço nas embalagens dos medicamentos comparticipados.

Junte-se a este movimento.
Clique aqui..

www.medicamentoscompreco.com



-PFFA:enUS:
pBj39gCE0fMYkZaMo9B0GE- NOTA: Vergonha ou ????? Vigarice, pois claro, ou até inconstitucional.Então compro algo que não tem preço?

3 comentários:

Anónimo disse...

Acho graça à etiqueta

Manel disse...

Será que os medicamentos para os funcionários da Carris e do Metro, que sõ à borla(ou melhor, pagos por nós) também não têm preço?

José Sousa e Silva disse...

Creio bem que a questão é outra. Como "eles" têm um preço nas costas e sabem que estão de saída querem apagar rapidamente o preço "deles" para fazer de conta que não estão à venda.